Atividades

Quais as vantagens de se filmar, sozinho, um documentário? O que muda na relação com o outro? O que muda na estética do documentário? Como se dá a adaptação a uma mudança substancial de rumo em relação ao material pesquisado neste contexto?

Contextos
A produção solitária no audiovisual

Voltar para o início A produção solitária no audiovisual

Programa

Condições especiais de atendimento, como tradução em libras, devem ser informadas por email ou telefone, com até 48 horas de antecedência do início da atividade.
centrodepesquisaeformacao@sescsp.org.br / 11 3254-5600

Quais as vantagens de se filmar, sozinho, um documentário?  O que muda na relação com o outro?  O que muda na estética do documentário?  Como se dá a adaptação a uma mudança substancial de rumo em relação ao material pesquisado neste contexto?  Estas são algumas das perguntas que serão exploradas durante este curso. Serão abordados dilemas, potencias e dificuldades de se realizar um trabalho audiovisual de modo solitário. Serão realizadas discussões conceituais, orientações técnicas e vivências profissionais do documentarista e viajante Luís Nachbin. 

Objetivo
Discutir técnicas e conceitos de filmagem sem equipe; passar orientações para lidar com as imprevisibilidades e adversidades no campo; sugerir caminhos para a construção de linguagens narrativas autorais.

Programa

Aula 01: Por que viajar sozinho?  Como é ser um jornalista independente? Luís Nachbin vai iniciar a discussão sobre a construção de linguagens narrativas, sem a presença de uma equipe. Da relação com os personagens à captação do som, serão vários os aspectos da produção audiovisual a serem debatidos.  Um documentarista solitário é produtor, diretor, diretor de fotografia, operador de áudio e até apresentador. Este acúmulo de funções não implica em perda de qualidade, e sim em alternativa de linguagem.

Aula 02: A opção de se trabalhar com o mínimo possível de equipamento.  Qual seria este mínimo?  E as vantagens/desvantagens no desafio de gerar um produto final profissional?  A linguagem narrativa varia de acordo com os equipamentos escolhidos?  De que forma?

Aula 03: A maleabilidade no mundo dos documentários.  Como lidar com mudanças de rumo que sejam substanciais em relação ao material pesquisado, incluindo os acasos na hora das gravações?  Novas rotas na construção de uma história podem implicar na necessidade de adaptar o equipamento. Dicas práticas também estarão em pauta.

As inscrições pela internet podem ser realizadas até um dia antes do início da atividade. Após esse período, caso ainda haja vagas, é possível se inscrever pessoalmente em todas as unidades. Após o início da atividade não é possível realizar inscrição.

(Foto: Sada Mire)

Palestrantes

Luis Nachbin

Luis Nachbin

Produtor audiovisual independente, jornalista e professor. Mestre em Rádio e Televisão pela San Francisco State University. Viajou e documentou 83 países sozinho ou com uma equipe mínima. Gravou séries de reportagens e documentários, dentre eles dirige o programa "Entre fronteiras"  pelo Canal Futura.
(Foto: Acervo Pessoal)

Data

20/09/2017 a 22/09/2017

Dias e Horários

Quarta a Sexta, 15h às 18h

As inscrições podem ser feitas a partir de 25 de agosto às 14h, aqui no site do Centro de Pesquisa e Formação ou nas Unidades do Sesc em São Paulo.

Local

Rua Dr. Plínio Barreto, 285 - 4º andar
Bela Vista - São Paulo.

Valores

R$ 18,00 - credencial plena: trabalhador do comércio de bens, serviços e turismo matriculado no Sesc e dependentes
R$ 30,00 - pessoa com mais de 60 anos, pessoa com deficiência, estudante e professor da rede pública com comprovante
R$ 60,00 - inteira