Atividades

Palestra aborda as características do cinema da ex-União Soviética

Perspectivas
Ciclo 1917: o ano que abalou o mundo, 100 anos da Revolução - O cinema soviético e suas influências no cinema mundial

Voltar para o início Ciclo 1917: o ano que abalou o mundo, 100 anos da Revolução - O cinema soviético e suas influências no cinema mundial

Programa

Condições especiais de atendimento, como tradução em libras, devem ser informadas por email ou telefone, com até 48 horas de antecedência do início da atividade.
centrodepesquisaeformacao@sescsp.org.br / 11 3254-5600

A aceleração do tempo histórico com o advento da Revolução Russa também é notada na construção, mesmo que tardia, de um cinema soviético empenhado na renovação da linguagem cinematográfica. O cinema soviético realizado nos primeiros anos após a revolução é um marco histórico em si e, por isso mesmo, sua influência também se verifica em diversas cinematografias nacionais.

Para abordar suas características próprias e sua irradiação pelo mundo, a palestra destaca as principais obras e coletivos ligados a uma nova estética (as estratégias artísticas e políticas), assim como obras de outras nacionalidades marcadas profundamente pela experiência soviética, sobretudo na Europa e América Latina.

Para Lênin o cinema desempenha um papel fundamental em matéria de propaganda. O poder soviético tem necessidade de desenvolver a consciência de classe das populações rurais não politizadas. O país tem elevados índices de analfabetismo e o cinema é considerado uma ferramenta vital de comunicação e formação. Todas as companhias produtoras são nacionalizadas em 1919 e o cinema fica submetido ao comissariado de instrução pública até 1929, sucessivamente sob a autoridade de dois organismos, o VFKO (Comitê da Fotografia e do Cinema), que retoma a produção e cria as primeiras escolas de cinema do mundo. Em 1922, o VFKO se transforma na GOSKINO.

A estrutura estatal consolida um campo exclusivo para a produção de vanguarda, que reúne artistas e cineastas recém convertidos à causa revolucionária, como Eisenstein, e configura-se como um modelo importante para os cinemas europeus, mas sobretudo para os cinema africanos e latino-americanos a partir da década de 1960.

Esta palestra faz parte do ciclo sobre os 100 anos da Revolução Russa, realizado em parceria com a Boitempo Editorial.

As inscrições pela internet podem ser realizadas até um dia antes do início da atividade. Após esse período, caso ainda haja vagas, é possível se inscrever pessoalmente em todas as unidades. Após o início da atividade não é possível realizar inscrição.

(Arte: Walter Cruz)

Palestrantes

Adilson Mendes

Adilson Mendes

Historiador com estudos sobre cinema e vida social. Doutor pela ECA-USP, autor de "Trajetória de Paulo Emílio" (Ateliê, 2013) e editor de obras sobre o cinema e suas fronteiras. Curador de mostras e festivais cinematográficos.
(Foto: Claire Angelini)

Data

24/08/2017 a 24/08/2017

Dias e Horários

Quinta, 19h30 às 21h30

As inscrições podem ser feitas a partir de 25 de julho às 14h, aqui no site do Centro de Pesquisa e Formação ou nas Unidades do Sesc em São Paulo.

Local

Rua Dr. Plínio Barreto, 285 - 4º andar
Bela Vista - São Paulo.

Valores

R$ 4,50 - credencial plena: trabalhador do comércio de bens, serviços e turismo matriculado no Sesc e dependentes
R$ 7,50 - pessoa com mais de 60 anos, pessoa com deficiência, estudante e professor da rede pública com comprovante
R$ 15,00 - inteira