Atividades

Práticas ilegais que foram objeto de vigilância transnacional em escala sul-americana: ladrões, estelionatários, falsários e anarquistas

Em Debate: Crime e Cultura
Crime e Cultura: Histórias Transnacionais em Quatro Tempos

Voltar para o início Crime e Cultura: Histórias Transnacionais em Quatro Tempos

Programa

Este curso tem como propósito analisar o imaginário social do "criminoso internacional", que se consolidou no mundo atlântico na época das migrações maciças de europeus. Fenômeno de dimensões mundiais que envolveu a imprensa, a literatura, a polícia, o campo científico e o jurídico, a linguagem do crime transnacional teve uma singular presença nos portos do espaço atlântico sul-americano.

Buenos Aires, Montevidéu, São Paulo, Rio de Janeiro, entre outras cidades da região, foram percebidas e narradas como nós de uma mesma rede de conexões criminais e policiais.

A estrutura das aulas privilegia quatro figuras seminais no imaginário do crime internacional.

- O ladrão viajante, que se deslocava de cidade em cidade, oras para eludir a vigilância policial, oras para aproveitar oportunidades ilegais. Ladrões de hotéis, punguistas e outros "gatunos internacionais".

- O segundo encontro persegue os rastros de uma prática paradigmática das circulações transnacionais de criminosos, conhecida no mundo luso-brasileiro como "conto do vigário".

- Redes de fabricação e distribuição de dinheiro falso, com especial atenção para a história sociocultural dos falsários internacionais.

- Anarquista transfronteiriço, passando pela "era dos atentados" da década de 1890, o processo de cooperação policial internacional para a repressão do anarquismo e a trama de deportações de militantes e vigilâncias portuárias.

Para o acompanhamento do curso, se sugere a leitura do livro Criminosos viajantes: circulações transnacionais entre Rio de Janeiro e Buenos Aires, 1890-1930 (Rio de Janeiro: Arquivo Nacional, 2016).

As inscrições pela internet podem ser realizadas até um dia antes do início da atividade. Após esse período, caso ainda haja vagas, é possível se inscrever pessoalmente em todas as unidades. Após o início da atividade não é possível realizar inscrição.

Se você necessita de recursos de acessibilidade, como tradução em Libras, audiodescrição, entre outros, solicite por e-mail ou telefone, com até 48 horas de antecedência do início da atividade. centrodepesquisaeformacao@sescsp.org.br / 11 3254-5600

(Foto: Hermeto Lima)

Palestrantes

Diego Galeano

Diego Galeano

Doutor em História Social (UFRJ) e professor de História Contemporânea na PUC-Rio. Foi professor visitante na Universidad Nacional de La Plata (Argentina) Universidad de la República (Uruguai) e Université Paris 1 Panthéon-Sorbonne (França).
(Foto: Núcleo de Memória da PUC Rio)

Data

29/01/2019 a 01/02/2019

Dias e Horários

Terça a Sexta, 10h às 13h.

As inscrições podem ser feitas a partir de 19 de Dezembro, às 14h, aqui no site do Centro de Pesquisa e Formação ou nas Unidades do Sesc em São Paulo.

Local

Rua Dr. Plínio Barreto, 285 - 4º andar
Bela Vista - São Paulo.

Valores

R$ 18,00 - credencial plena: trabalhador do comércio de bens, serviços e turismo matriculado no Sesc e dependentes
R$ 30,00 - pessoa com mais de 60 anos, pessoa com deficiência, estudante e professor da rede pública com comprovante
R$ 60,00 - inteira