Atividades

Diferentes olhares sobre a crítica e a condição da arte no cenário contemporâneo

Perspectivas
Dilemas da Crítica: Para Onde Vamos?

Voltar para o início Dilemas da Crítica: Para Onde Vamos?

Programa

Ao abordar a produção atual pelo prisma do dilema, acreditamos sempre poder escolher um lado. É chegada a hora de pensar que todos os lados precisam ter visibilidade na intersecção entre as áreas e possibilitar que novos panoramas sejam criados na confluência entre diferentes pontos de vista.

O curso propõe um trânsito entre as áreas da filosofia, literatura, urbanismo, gênero, raça e psicanálise, através do pensamento de críticos que têm sua inserção em diferentes campos da cultura, como Beatriz Sarlo, Bell Hooks, Fredric Jameson, Georges Didi-Huberman, Hal Foster e Mario Pedrosa.

16/05. Mário Pedrosa: arquitetura e arte na batalha pela abstração
Mário Pedrosa é um dos maiores críticos de arte do Brasil. Além disso, escreveu sobre arquitetura, e em especial no período do projeto de construção de Brasília. Inimigo do nacionalismo e da arte figurativa, ou realista, viu na arquitetura não apenas um fenômeno cultural da mais alta importância em si mesmo, como também compreendeu a arquitetura moderna brasileira como uma poderosa aliada na batalha pela abstração no campo das artes visuais como um todo.
Com Guilherme Wisnik.

23/05 - Beatriz Sarlo: a crítica pelas bordas
A palestra apresenta algumas linhas de força do trabalho de Beatriz Sarlo, que sabe, como poucos, desvelar os elos secretos entre a paisagem sensível e o acontecimento político. Em um balanço de sua produção crítica, a ensaísta argentina afirmou recentemente que sua obra busca "reconstruir aquelas dimensões da experiência diante da mudança cujos rastros, muitas vezes cifrados, enigmáticos ou contraditórios, aparecem como traços e lembranças nos textos de uma cultura".
Com Eliane Robert Moraes.

30/05 - Bell Hooks: a cultura e as políticas da diferença
O tema da diversidade nas artes, tão em voga, não é novo. Nos Estados Unidos, o recorte racial recebe atenção ao longo do século XX, já a partir de suas décadas iniciais. Nos anos 1990 Bell Hooks se apresenta como uma voz distinta a abordar pautas que relacionam cultura, raça, sexualidade, feminismo e classe ao lançar Art on My Mind: Visual Politics. A autora aborda imagens relacionadas à sua biografia, investiga a representação do corpo negro, além de tratar de artistas como Jean-Michel Basquiat e Andres Serrano.
Com Renata Bittencourt.

06/06 - Georges Didi-Huberman: história, imagem e tempo
A palestra discute alguns conceitos fundamentais do pensamento do historiador da arte e filósofo francês Georges Did-Huberman. O autor é um dos principais representantes do movimento de renovação da disciplina "História da Arte" desde o final do século XX, notadamente na França. Sua abordagem caracteriza-se pela aproximação a outros campos do saber, como a filosofia, a psicanálise, a teoria da arte, a antropologia e a teoria política.
Com Taisa Palhares.

13/06 - Hal Foster: o retorno ao real e o contexto brasileiro
O tema da palestra é um paralelo entre as questões levantadas por Hal Foster no primeiro capítulo de seu livro "O Retorno do Real", de 1996, e o contexto brasileiro. Trata-se, mais especificamente, de procurar entender como a teoria crítica se manteve viva no debate artístico nacional, a partir da recepção da produção da década de 1980 e suas tensões com novas categorias como a instalação e a aproximação entre "arte e vida" que se firmam com base no legado de artistas como Helio Oiticica, Lygia Clark e Tunga.
Com Rafael Vogt Maia Rosa.

20/06 - Fredric Jameson: arte e imagem
A palestra analisa a crítica da cultura na época do "capitalismo pós-industrial" ou "financeiro" de Fredric Jameson. Enfatiza suas concepções de "transformação da imagem" e de "fim da arte" na dita "pós-modernidade". O objetivo é situar sua crítica estética marxista em relação à "Teoria Crítica da Sociedade" da Escola de Frankfurt de Theodor Adorno e Jürgen Habermas; e ao pensamento francês pós-estruturalista de Roland Barthes, Jean-François Lyotard e Jean Baudrillard.
Com Ricardo Fabbrini.

Coordenação: Tania Rivitti.

As inscrições pela internet podem ser realizadas até um dia antes do início da atividade. Após esse período, caso ainda haja vagas, é possível se inscrever pessoalmente em todas as unidades. Após o início da atividade não é possível realizar inscrição.

Condições especiais de atendimento, como tradução em libras, devem ser informadas por email ou telefone, com até 48 horas de antecedência do início da atividade.
centrodepesquisaeformacao@sescsp.org.br / 11 3254-5600

(Foto: Cornelis Norbertus Gysbrechts - Domínio Público)

Palestrantes

Renata Bittencourt

Renata Bittencourt

Historiadora da arte tendo desenvolvido suas pesquisas de mestrado e doutorado sobre a representação do negro na pintura brasileira na Unicamp. É diretora de Processos Museais no Instituto Brasileiro de Museus (IBRAM).
(Foto: Lucas Bittencourt)

Eliane Robert Moraes

Eliane Robert Moraes


Professora de Literatura Brasileira da USP. Publicou a Antologia da poesia erótica brasileira e, atualmente, pesquisa as figuras do excesso na prosa de ficção brasileira.
(Foto: Acervo Pessoal)


Guilherme Wisnik

Guilherme Wisnik

Professor da FAU-USP, foi colunista do jornal Folha de S. Paulo (2006-07 e 2016). Foi o Curador Geral da 10ª Bienal de Arquitetura de São Paulo (2013).
(Foto: Acervo Pessoal)

Taisa Palhares

Taisa Palhares

Doutora em Filosofia pela USP, crítica de arte e curadora. Professora do Departamento de Filosofia do Instituto de Filosofia e Ciências Humanas (IFCH) da UNICAMP.
(Foto: Acervo Pessoal)

Rafael Vogt Maia Rosa

Rafael Vogt Maia Rosa

Mestre e doutor em Teoria Literária e Literatura Comparada pela USP, com Pós-doutorado pela ECA-USP.
(Foto: Francio de Holanda)

Ricardo Fabbrini

Ricardo Fabbrini

Professor de estética do Departamento de Filosofia da USP e do PPG Interunidades em Estética e História da Arte da mesma universidade.
(Foto: Acervo Pessoal)

Data

16/05/2018 a 20/06/2018

Dias e Horários

Quartas, 19h às 21h.

As inscrições podem ser feitas a partir de 24 de abril às 14h, aqui no site do Centro de Pesquisa e Formação ou nas Unidades do Sesc em São Paulo.

Local

Rua Dr. Plínio Barreto, 285 - 4º andar
Bela Vista - São Paulo.

Valores

R$ 18,00 - credencial plena: trabalhador do comércio de bens, serviços e turismo matriculado no Sesc e dependentes
R$ 30,00 - pessoa com mais de 60 anos, pessoa com deficiência, estudante e professor da rede pública com comprovante
R$ 60,00 - inteira