Atividades

Em comemoração aos 90 anos do Manifesto Antropófago, o encontro reúne artistas e intelectuais para discutir as contribuições do pensamento de Oswald de Andrade nos séculos XX e XXI

Contextos
Encontros Antropófagos

Voltar para o início Encontros Antropófagos

Programa

O conceito de Antropofagia, elaborado por Oswald de Andrade em 1928, é de imensa importância para a cultura brasileira, abarcando desde o ritual dos índios Tupinambás antes da colonização, até as revoluções digitais da atualidade. Por essa razão, celebramos os 90 anos do Manifesto Antropófago realizando os ENCONTROS ANTROPÓFAGOS com um elenco multidisciplinar de artistas e intelectuais como Alexandre Nodari, Beatriz Azevedo, José Miguel Wisnik, Marcia Tiburi, Fernanda Diamant, e outros.

Inspirado pela tela Abaporu, que Oswald ganhou de Tarsila do Amaral (sua esposa à época) no dia de seu aniversário, o escritor criou um Manifesto que iria influenciar pensadores e movimentos artísticos no Brasil e no mundo, entre eles a Revista de Antropofagia, a Tropicália, o Manguebit, o cinema de Glauber Rocha, a arte de Hélio Oiticica, o Teatro Oficina de Zé Celso Martinez Correa, e outros.

11/12 terça-feira
Aula 19h às 20h
A performatividade do Manifesto Antropófago.
Com Beatriz Azevedo.

Encontro  20h às 21h30
Beatriz Azevedo e José Miguel Wisnik.
Mediação de Fernanda Diamant.

12/12 quarta-feira
Aula 19h às 20h
A performatividade do Manifesto Antropófago. 
No curso será abordado o caráter performático da linguagem do Manifesto Antropófago, suas linhas de força, suas referências e conceitos, estabelecendo articulações com movimentos artísticos brasileiros como a Tropicália e o Teatro Oficina.
Com Beatriz Azevedo.

13/12 quinta-feira
Pocket Show  19h às 20h
Nhac, poemas e canções antroPOPhágicas.
Em uma única mordida, com voz de atriz e coração de poeta, Beatriz Azevedo devora poemas de Oswald de Andrade, Hilda Hilst e Raul Bopp, canta composições gravadas ao vivo no Lincoln Center, no seu disco antroPOPhagia ao vivo em Nova York (Biscoito Fino), além de apresentar repertório original e inédito que estará no próximo disco.
Com Beatriz Azevedo e músicos.
 
Encontro 20h às 21h30
Alexandre Nodari e Marcia Tiburi.
Mediação de Franciele Laura.

As inscrições pela internet podem ser realizadas até um dia antes do início da atividade. Após esse período, caso ainda haja vagas, é possível se inscrever pessoalmente em todas as unidades. Após o início da atividade não é possível realizar inscrição.

Se você necessita de recursos de acessibilidade, como tradução em Libras, audiodescrição, entre outros, solicite por e-mail ou telefone, com até 48 horas de antecedência do início da atividade. centrodepesquisaeformacao@sescsp.org.br / 11 3254-5600

(Ilustração: Tunga, feito para o livro Antropofagia Palimpsesto Selvagem)

Palestrantes

Alexandre Nodari

Alexandre Nodari

Professor de literatura e filosofia na UFPR e fundador do species - núcleo de antropologia especulativa.
(Foto: Acervo Pessoal)

Beatriz Azevedo

Beatriz Azevedo

Poeta e compositora, Doutora em Artes da Cena (UNICAMP) e Mestre em Literatura Comparada (USP).  Estudou no Mannes College of Music em Nova York e na Sala Beckett em Barcelona. Autora de Antropofagia Palimpsesto Selvagem (Cosac Naify) e AntroPOPhagia Ao Vivo em Nova York (Biscoito Fino).
(Foto: Lenise Pinheiro)

Fernanda Diamant

Fernanda Diamant

Curadora da Flip e editora da Quatro Cinco Um, a revista dos livros.
(Foto: Acervo Pessoal)

Franciele Laura

Franciele Laura

Mestranda em Filosofia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, possui graduação na mesma área pelo Instituto de Filosofia, Artes e Cultura da UFOP.
(Foto: Acervo Pessoal)

José Miguel Wisnik

José Miguel Wisnik

Escritor, músico e professor sênior de literatura brasileira na USP. É autor de canções e de música para dança, cinema e teatro, com extensa e intensa parceria com o Teatro Oficina. Publicou, entre outras obras, os livros O som e o sentido – Uma outra história das músicas (1989), Sem receita – ensaios e canções (2004), Veneno remédio – O futebol e o Brasil (2008) e Maquinação do mundo – Drummond e a mineração (2018).
(Foto: Marcelo Correa)

Marcia Tiburi

Marcia Tiburi

Artista, filósofa, ensaísta e romancista. Publicou diversos livros. Entre eles, Como Conversar com um fascista, Ridículo Político, Feminismo em Comum entre outros. Coordena um Laboratório de Escrita Criativa, atualmente no Rio de Janeiro, na Escola Passagens e é colunista da revista Cult.
(Foto: Simone Marinho)

Data

11/12/2018 a 13/12/2018

Dias e Horários

Terça a Quinta, 19h às 21h30.

As inscrições podem ser feitas a partir de 27 de Novembro, às 14h, aqui no site do Centro de Pesquisa e Formação ou nas Unidades do Sesc em São Paulo.

Local

Rua Dr. Plínio Barreto, 285 - 4º andar
Bela Vista - São Paulo.

Valores

R$ 24,00 - credencial plena: trabalhador do comércio de bens, serviços e turismo matriculado no Sesc e dependentes
R$ 40,00 - pessoa com mais de 60 anos, pessoa com deficiência, estudante e professor da rede pública com comprovante
R$ 80,00 - inteira

Inscreva-se agora