Atividades

cultura e identidade okinawa

Percursos Urbanos
Okinawa: representações, memória e identidade

Voltar para o início Okinawa: representações, memória e identidade

Programa

Condições especiais de atendimento, como tradução em libras, devem ser informadas por email ou telefone, com até 48 horas de antecedência do início da atividade.
centrodepesquisaeformacao@sescsp.org.br / 11 3254-5600

O ciclo pretende abordar as narrativas e representações sobre a história, etnicidade, identidade, gênero e memória ao longo da relação entre Okinawa e Brasil, além de conhecer a territorialidade do grupo e o festival anual de cultura okinawana.

Dia 18/08, 14h às 17h – Introdução: cultura okinawana e imigração
Introdução histórica sobre Okinawa e sua imigração ao Brasil, passando pelos temas: identidade, festividades, gênero e cosmologia religiosa, como parte da sensibilização para a saída ao bairro Vila Carrão e ao Okinawa Festival.
Com Ana Luisa Campanha Nakamoto, Laís Miwa Higa, Ricardo Sorgon Pires, Samara Konno, Victor Hugo Kebbe, e Vitoru Kinjo.

Dia 19/08, 10h às 14h30 – Okinawa Festival – atividade externa
Atividade externa no bairro Vila Carrão, onde será possível visitar o comércio étnico okinawano e o festival anual de Okinawa.  O objetivo é abordar a flexibilidade histórica e social de ideias de identidade e cultura a partir da observação in loco das práticas culturais okinawanas no Brasil.
Com Laís Miwa Higa e Samara Konno.


Dia 01/09, 14h00 às 17h00 - Culto aos antepassados okinawanos: cosmologia, permanências e sincretismos

Trata da cosmologia okinawana e as maneiras pela qual esta afeta o cotidiano dos descendentes no Brasil. Serão apresentados exemplos de sincretismos – emergidos do contexto da imigração okinawana em São Paulo – e suas várias facetas.

Com Samara Konno e Victor Hugo Kebbe.

 

Dia 08/09, 14h00 às 17h00 –  História, memória e representação em contextos diaspóricos

As narrativas da história são um campo de disputa e significação que envolve representações sociais, identidades e memórias da experiência vivida. Nessa palestra, abordamos criticamente os discursos oficiais da história do Japão e da imigração japonesa para o Brasil. Busca-se problematizar como os marcadores sociais de gênero estruturam narrativas históricas acerca do processo imigratório. A partir das representações hegemônicas sobre o Japão e do devir diaspórico do uchinanchu, objetiva-se refletir sobre (des)identificações, performance e descolonização.

Com Ana Luisa Campanha Nakamoto e Vitoru Kinjo.


Dia 25/08, 14h00 às 17h00 – Festividades, identidade e cultura

A proposta dessa mesa redonda é refletir sobre o processo de construção da(s) identidade(s) étnica, cultural e de gênero da comunidade okinawana brasileira enfocando suas narrativas e manifestações artísticas e culturais expressas em diversos eventos e festivais.

Com Ana Luisa Campanha Nakamoto e Vitoru Kinjo.



As inscrições pela internet podem ser realizadas até um dia antes do início da atividade. Após esse período, caso ainda haja vagas, é possível se inscrever pessoalmente em todas as unidades. Após o início da atividade não é possível realizar inscrição.

(Ilustração: Sonia Ishikawa)

Palestrantes

Samara Konno

Samara Konno

Bacharel em Ciências Sociais pela Unesp e mestra em Estudos Culturais pela USP.  É pesquisadora LEER-USP, onde trabalha com a temática do Holocausto. Também desenvolve pesquisa sobre imigração, etnicidade, Okinawa, Japão e religião.
(Foto: Maria Esther Franklin)

Victor Hugo Kebbe

Victor Hugo Kebbe

Doutor em Antropologia Social pela UFSCar; ex-fellow  de Japanese Studies/Intellectual Exchange da Japan Foundation (Tokyo, Japão); pesquisador associado da Faculdade de Educação da Shizuoka University (Shizuoka, Japão); pesquisador associado do Nanzan Anthropological Institute.
(Foto: Acervo Pessoal)

Ana Luisa Campanha Nakamoto

Ana Luisa Campanha Nakamoto

Mestra em Sociologia pela USP e doutoranda em Sociologia na USP. Atuou como docente visitante na Muhammadiyah University e Brawijaya University em Java, na Indonésia.
(Foto: Acervo Pessoal)

Laís Miwa Higa

Laís Miwa Higa

Mestra em Antropologia Social pela USP, doutoranda em Antropologia Social pela mesma Universidade. Pesquisadora do NUMAS -USP e do Núcleo de Etnohistória da USP.
(Foto: Acervo Pessoal)

Ricardo Sorgon Pires

Ricardo Sorgon Pires

Doutor em História social pela USP. Docente do IFSP, campus de São José dos Campos.
(Foto: Acervo Pessoal)

Vitoru Kinjo

Vitoru Kinjo

Cantor, compositor e pesquisador. Doutor em Ciências Sociais pela Unicamp. É fundador e artista-pesquisador. Lançou primeiro álbum autoral, KINJO, pré-lançado em 2016 no VI Worldwide Uchinanchu Festival, em Okinawa.
(Foto: Acervo Pessoal)

Data

18/08/2017 a 08/09/2017

Dias e Horários

18/8 a 8/9 Sextas, 14h às 17h

19/8, Sábado, das 10h às 14h30

As inscrições podem ser feitas a partir de 25 de julho às 14h, aqui no site do Centro de Pesquisa e Formação ou nas Unidades do Sesc em São Paulo.

Local

Rua Dr. Plínio Barreto, 285 - 4º andar
Bela Vista - São Paulo.

Valores

R$ 18,00 - credencial plena: trabalhador do comércio de bens, serviços e turismo matriculado no Sesc e dependentes
R$ 30,00 - pessoa com mais de 60 anos, pessoa com deficiência, estudante e professor da rede pública com comprovante
R$ 60,00 - inteira