Atividades

Caminhos, intervenções e proposições da arte pública e urbana no país.

Contextos
Protagonismos poético-políticos da Arte Pública e Urbana no Brasil

Voltar para o início Protagonismos poético-políticos da Arte Pública e Urbana no Brasil

Programa

Condições especiais de atendimento, como tradução em libras, devem ser informadas por email ou telefone, com até 48 horas de antecedência do início da atividade.
centrodepesquisaeformacao@sescsp.org.br / 11 3254-5600

O curso propõe a apresentação e discussão dos aspectos poético-políticos de proposições em Arte Pública e Urbana no Brasil, a partir de um conjunto de projetos realizados, em sua grande maioria, nas três últimas décadas. Busca assim promover um levantamento cartográfico, simbólico, criativo e crítico de alguns dos protagonistas dessas vertentes analisados por meio de suas relações espaço-temporais com os lugares urbanos escolhidos para a efetivação dos trabalhos.

Permanência, fluxo ou deriva são pontos igualmente estudados para compreendermos como a descentralização das ações movidas por essas vertentes contemporâneas efetivam outra modulação para o circuito artístico atual. 


Distante de reforçar as agendas veiculadas pela mídia especializada busca-se apresentar uma seleção de trabalhos, artistas, instituições e lugares escolhidos pela combinatória dentre arte, ambiência e público atuantes no vasto território nacional por meio de uma relação crítica que revisa e revitaliza os modelos institucionalizados da arte.

18/07 - Central e Distante. 
Conjugações possíveis para novas centralidades do fazer artístico instaurado na paisagem urbana. A descoberta de outros públicos e interatores. Nuno Ramos (em Horlândia/SP); Hector Zamora (nas margens do rio Tamanduateí/São Paulo) e Mônica Nador+JAMAC (no Jardim Miriam/SP).

19/07 - Derivas, derivações e outras temporalidades. 

Das formas possíveis para se mapear a paisagem por meio de intervenções artísticas. Desvios, derivas e derivações de projetos artísticos que tem no trajeto pelo espaço da paisagem sua significação. Entre o monumento e a escultura pública. Novas métricas e temporalidades para a arte na atualidade. Guga Ferraz; Nele Azevedo; Maria Ivone dos Santos; Amilcar Packer e Thiago Bortolozzo.

20/07 - Afinal, o que fazem pela Arte os artistas interventores da paisagem urbana? 

Diálogos e embates travados pela Arte Pública e Urbana contemporâneas na paisagem brasileira; o entorno urbano e as revisões propostas para a instituição museológica e seus agentes. O grito, o culto e os distintos tipos de profanação. Paulo Bruscky; Profeta Gentileza; Tom Lisboa; Marlon Azambuja e Frente 3 de Fevereiro.

As inscrições pela internet podem ser realizadas até um dia antes do início da atividade. Após esse período, caso ainda haja vagas, é possível se inscrever pessoalmente em todas as unidades. Após o início da atividade não é possível realizar inscrição.

(Ilustração: Nele Azevedo)


Palestrantes

Sylvia Furegatti

Sylvia Furegatti

Artista visual e docente do Instituto de Artes da Unicamp. Coordena os trabalhos do Grupo de Pesquisas CNPQ Propostas Artísticas Contemporâneas. É coorganizadora do livro “Espaços da Arte Contemporânea”.

(Foto: Acervo Pessoal)

Data

18/07/2017 a 20/07/2017

Dias e Horários

Terça a Quinta, das 19h às 21h30.

As inscrições podem ser feitas a partir de 27 de junho às 14h, aqui no site do Centro de Pesquisa e Formação ou nas Unidades do Sesc em São Paulo.

Local

Rua Dr. Plínio Barreto, 285 - 4º andar
Bela Vista - São Paulo.

Valores

R$ 15,00 - credencial plena: trabalhador do comércio de bens, serviços e turismo matriculado no Sesc e dependentes
R$ 25,00 - pessoa com mais de 60 anos, pessoa com deficiência, estudante e professor da rede pública com comprovante
R$ 50,00 - inteira

Inscreva-se agora