Atividades

Coletividades e novos usos dos espaços públicos.

Percursos Urbanos
Redes de mobilização coletiva

Voltar para o início Redes de mobilização coletiva

Programa

As manifestações de junho de 2013 no Brasil, bem como diversos outros movimentos sociais ao redor do mundo, têm se apropriado das redes de comunicação digital. Possibilitam assim a expressão e articulação de seus participantes e suas propostas, com fortes consequências nos espaços físicos das cidades. O sociólogo Manuel Castells (2013) dá a esse processo o nome de Redes de Indignação. 

Nessas redes, a predominância do uso da internet permite a produção, difusão e autorrepresentação, sem mediação ou censura a priori.  São modelos de organização mais horizontais e polifônicos, capazes de redesenhar as relações de poder –, apesar do inevitável controle mais ou menos centralizado das novas empresas de telecomunicação e das agências de vigilância global.

Diante desse cenário, o curso pretende discutir junto dos participantes, novos entendimentos possíveis para a noção de coletividade e suas articulações, agenciamentos e organizações –, num mundo em crise com as instituições. Para tanto, serão trazidas estratégias adotadas por grupos de mobilização coletiva, nacionais e internacionais, como: Transparência Hacker, MPL, Wikileaks, #Occupy, Mídia Ninja, Podemos, Baixo Centro e outros. O tema será abordado por meio de estudos de casos, teorias e atividades práticas, dentro e fora do centro de pesquisa.

O encerramento será feito com um dos articuladores do Baixo Centro, Thiago Carrapatoso. Esse é um festival de rua colaborativo, sem sede fixa, horizontal, independente, autogestionado e financiado coletivamente utilizando o modelo crowdfunding. Nessa ocasião pretende-se discutir as possibilidades de funcionamento dessa rede, que atua no âmbito da cultura, buscando ocupar a cidade e despertar para os seus usos públicos.

(Foto: Divulgação Grandemidia, Fabio Malini)


Inscrições a partir do dia 26/01, às 14h.

Palestrantes

Cláudio Bueno

Cláudio Bueno

Artista, doutorando em Artes Visuais pela USP, seus trabalhos lidam com a relação entre corpo, espaço, participação, redes e informação. (Foto: Pablo Villar)

 

João Marcelo Simões

João Marcelo Simões

Graduado em comunicação pela ESPM-SP, pós-graduado em mídias digitais pelo Senac-SP, pesquisador em comunicação e redes digitais. (Foto: Acervo pessoal)

Thiago Carrapatoso

Thiago Carrapatoso

Jornalista, mestre em Estudos Curatoriais pela Bard College (NY) ganhador do “Prêmio Estudos e Pesquisas sobre Arte e Economia da Arte no Brasil” concedido pela Fundação Bienal de São Paulo. (Foto: Mark)

Bibliografia

CASTELLS, Manuel. Redes de indignação e esperança. Rio de Janeiro: Zahar, 2013.

BIRMAN, Joel. "O sujeito da diferença e da multidão". In: ide – Psicanálise e cultura, São Paulo, vol. 36, nº 57, 2014.

CANCLINI, Néstor Garcia. A Sociedade sem relato: antropologia e estética da iminência. São Paulo: Edusp, 2004.

DI FELICE, Massimo. "Das tecnologias da democracia para as tecnologias da colaboração". In DI FELICE, Massimo. Do público para as redes: a comunicação digital e as novas formas de participação social. São Caetano do Sul: Difusão, 2008.

LATOUR, Bruno.Networks, Societies, Spheres – Reflections of an Actor-Network Theorist. Disponível em <http://www.bruno-latour.fr/sites/default/files/121-CASTELLS-GB.pdf> Acessado em 11 jan. 2015.

LICHTY, Patrick. Variant Analyses, Interrogations of New Media Art and Culture. Amsterdam: Institute of Network Cultures, 2013. Disponível em: <http://networkcultures.org/blog/publication/no-12-variant-analyses-interrogations-of-new-media-art-and-culture-patrick-lichty/>. Acessado em 11 jan. 2015.

LOVINK, Geert. Networks without a cause. Cambridge: Polity Press, 2012.

MARTIN-BARBERO, Jesús. "Globalização comunicacional e transformação cultural". In: MORAES, Dênis de. Por uma outra comunicação. Rio de Janeiro: Record, 2012.

PELBART, Peter Pál. "Anota aí: eu sou ninguém". Folha de São Paulo, 13 jul, 2013. Disponível em: http://www1.folha.uol.com.br/opiniao/2013/07/1313378-peterpal-pelbart-anota-ai-eu-sou-ninguem.shtml. Acesso em 11 de setembro de 2013.
______. Elementos para uma cartografia da grupalidade. Disponível em

<http://www.itaucultural.org.br/proximoato2006/pdf/reflexoes/textopeterpelbart.pdf> Acesso em: 11 jan. 2015.

Links relacionados:


http://baixocentro.org/

http://guiaculturaldefavelas.org.br/

http://www.mapascoletivos.com.br/

https://ninja.oximity.com/

http://saopaulo.mpl.org.br/

http://networkedcultures.org/

http://networkcultures.org/

http://observatoriodefavelas.org.br/

http://occupywallst.org/

http://partidox.org/

http://podemos.info/

http://somos15m.org/

http://thacker.com.br/projects/index.html

http://wikileaks.org/

Data

26/02/2015 a 21/03/2015

Dias e Horários

Quintas, 19h30 às 21h30. Sábado, 10h às 13h.

Local

Rua Dr. Plínio Barreto, 285 
4º andar do prédio da FecomércioSP
Bela Vista - São Paulo/SP

Valores

R$ 18,00 - credencial plena: trabalhador do comércio de bens, serviços e turismo matriculado no Sesc e dependentes
R$ 30,00 - pessoa com mais de 60 anos, pessoa com deficiência, estudante e professor da rede pública com comprovante
R$ 60,00 - inteira