Atividades

As orquestras de viola como formas de expressão e sociabilidade na urbe

Contextos
Viola Perpétua: as Orquestras de Viola do Estado de São Paulo

Voltar para o início Viola Perpétua: as Orquestras de Viola do Estado de São Paulo

Programa

As orquestras de viola se consolidaram como um fenômeno sociocultural contemporâneo. Hoje estão enleadas à escolarização deste instrumento, mas, no final da década 1960, surgem acompanhando badaladas missas sertanejas.

Este é o fio condutor que Saulo Alves recupera acerca desta formação musical de resistência da cultura caipira. Por sua vez, Mário de Almeida apresenta seu documentário, “Viola Perpétua” (2018), lançando luz sobre as histórias de pessoas que encontram nas orquestras formas de expressão e sociabilidade na urbe.

A maestrina Irmei Liz, à frente da orquestra de Bragança Paulista, participa do debate com suas experiências.

As inscrições pela internet podem ser realizadas até um dia antes do início da atividade. Após esse período, caso ainda haja vagas, é possível se inscrever pessoalmente em todas as unidades. Após o início da atividade não é possível realizar inscrição.

Condições especiais de atendimento, como tradução em libras, devem ser informadas por email ou telefone, com até 48 horas de antecedência do início da atividade.
centrodepesquisaeformacao@sescsp.org.br / 11 3254-5600

(Foto: Acervo Casa do Violeiro do Brasil)

Palestrantes

Irmei Liz

Irmei Liz

Violeira e professora de viola em Bragança Paulista. É regente da Orquestra Violeiros do Rio Jaguari, onde desenvolve o trabalho de manter a tradição da viola e da cultura popular, trazida por sua família do interior de Minas Gerais.
(Foto: Acervo Pessoal)

Mário de Almeida

Mário de Almeida

Realizador audiovisual e pesquisador de cultura caipira. Em 2018 lança seu primeiro longa-metragem, o documentário “Viola Perpétua".
(Foto: Carolina Scatolino)

Saulo Alves

Saulo Alves

Pós-doutor em música pela UNICAMP. Produziu o curta metragem "A mão direita do Itapuã" (2017), em parceria com Mário de Almeida. É autor do livro  “O processo de escolarização da viola caipira: novos violeiros (in)ventano modas e identidades” (2012).
(Foto: Felipe Alves)

Data

01/08/2018 a 01/08/2018

Dias e Horários

Quarta, 14h30 às 17h30.

As inscrições podem ser feitas a partir de 26 de Julho, às 14h, aqui no site do Centro de Pesquisa e Formação ou nas Unidades do Sesc em São Paulo.

Local

Rua Dr. Plínio Barreto, 285 - 4º andar
Bela Vista - São Paulo.

Valores

R$ 4,50 - credencial plena: trabalhador do comércio de bens, serviços e turismo matriculado no Sesc e dependentes
R$ 7,50 - pessoa com mais de 60 anos, pessoa com deficiência, estudante e professor da rede pública com comprovante
R$ 15,00 - inteira