Atividades

A emergência de práticas artísticas "socialmente engajadas" ou "colaborativas"

Contextos
A arte socialmente engajada: práticas emergentes

Voltar para o início A arte socialmente engajada: práticas emergentes

Programa

Arte "colaborativa", "participativa", "dialógica", "relacional" ou "socialmente engajada", o leque de nomenclaturas utilizado para comentar esse modo de produção é vasto e aponta para vertentes teóricas distintas.

Esses termos vêm consolidando um campo literário específico e servido como base para os debates interessados nos binômios "arte-ativismo" e "estética-política". A partir dessas questões, o curso visa discutir esses marcos teóricos e refletir sobre o universo de práticas que surge nos anos 1990 em diferentes partes do globo e que tem como ponto de partida a imersão em localidades específicas e a compreensão de suas dinâmicas comunitárias e modos de sociabilidade.

Tais práticas tencionam as relações entre arte e política, acionam uma compreensão aguda sobre um determinado local, exploram formas complexas de autoria e substituem o pensamento estético objetual por lógicas processuais irregulares. Ainda, marcadas pela interdisciplinariedade, aproximam a arte de outras zonas de produção simbólica (como urbanismo, ativismo ambiental, gestão política, educação, etc.).

O curso pretende debater sobre esses formatos artísticos e estimular a reflexão sobre as relações que essas experimentações estabelecem com o circuito mercadológico e institucional, bem como com o entorno econômico e cultural mais amplo. Para tal, serão apresentados casos de trabalhos que se deram em diferentes territórios, trazendo maior peso para o debate sobre as práticas latino-americanas.

As inscrições pela internet podem ser realizadas até um dia antes do início da atividade. Após esse período, caso ainda haja vagas, é possível se inscrever pessoalmente em todas as unidades. Após o início da atividade não é possível realizar inscrição. O cadastro é pessoal e intransferível.

Se você necessita de recursos de acessibilidade, como tradução em Libras, audiodescrição, entre outros, solicite por e-mail ou telefone, com até 48 horas de antecedência do início da atividade. centrodepesquisaeformacao@sescsp.org.br / 11 3254-5600

(Foto: Leonardo Remor - La Calesita de Las Toscas. Argentina 2016)

Palestrantes

Paola Fabres

Paola Fabres

Doutoranda em Artes Visuais (ECA-USP) e coordenadora do programa de residência Comunitária (Argentina). Atualmente, atua como crítica e curadora, integra o Grupo de Crítica do Centro Cultural São Paulo, o comitê de Acervo e Curadoria do MAC-RS e é co-editora da revista Arte ConTexto.
(Foto: Acervo Pessoal)

Bibliografia

BISHOP, Claire. The Social Turn: Collaboration and inst discontents. ArtForum, Fevereiro. 178-183, 2006.
______. Artifical Hells. Participatory art and the politics of the spectatorship. Londres: Verso, 2012.
______. Antagonism and Relational Aesthetics. October. N.º 110, 2004, pp. 51-79.
BOURRIAUD, Nicholas. Estética Relacional. Buenos Aires: Adriana Hidalgo Editora, 2007.
GILLICK, Liam. Contingent Factors: A Response to Claire Bishop's "Antagonism and Relational Aesthetics". 2006 October. N.º 115, 2006, pp. 95-107.
FOSTER, Hal. The Return of the real. Londres: The Mit Press, 1999.
KRAVAGNA, Christian. Working on the Community. Models of Participatory Practice. In: Republicart. Multilingual Web Journal, 1998. Disponível em: http://www.republicart.net/disc/aap/kravagna01_en.htm.
KWON, Miwon. One Place after Another: Site Specific Art and Locational Identity. Cambridge, Mass.: MIT Press, 2004.
LACY, Susan (ed.). Mapping the Terrain: New Genre Public Art. Seattle, Bay Press, 1995.
LADDAGA, Reinaldo. Estética de la Emergencia: la formación de otra cultura de las artes. B.sas: Adriana Hidalgo, 2006.
______. Estética de Laboratório. São Paulo: Martins Fontes, 2013.
LIPPARD, Lucy. The Lure of the Local: Senses of place on a multicentered society. Nova Iorque: New York Press, 1997.
______. Changing: essays in art criticism. Boston: E. P. Dutton, 1971
MESQUITA, André Luiz. Insurgências poéticas: arte ativista e ação coletiva (1990-2000). Dissertação de mestrado da Universidade de São Paulo, Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Programa de Pós-graduação em História. São Paulo: 2008
PALACIOS, Alfredo. El arte comunitario: origen y evolución de las prácticas artísticas colaborativas. In: Arteterapia: Papeles de arteterapia y educación artística para la inclusión social .Vol. 4/ 2009, p. 197-211.
RANCIÈRE, Jacques. Sobre políticas estéticas. Barcelona: Unversitat Autónoma de Barcelona, 2005.

Data

15/10/2019 a 29/10/2019

Dias e Horários

Terças, 10h30 às 13h30.

As inscrições podem ser feitas a partir de 26 de setembro, às 14h, aqui no site do Centro de Pesquisa e Formação ou nas Unidades do Sesc em São Paulo.

Local

Rua Dr. Plínio Barreto, 285 - 4º andar
Bela Vista - São Paulo.

Valores

R$ 4,50 - credencial plena: trabalhador do comércio de bens, serviços e turismo matriculado no Sesc e dependentes
R$ 7,50 - pessoa com mais de 60 anos, pessoa com deficiência, estudante e professor da rede pública com comprovante
R$ 15,00 - inteira

Inscreva-se agora