Atividades

Divisor de águas na paisagem sensível do país, o ano de 1922 inaugura também novas formas de representar o erotismo, que vão repercutir na literatura brasileira dos últimos 100 anos

Em Debate: Sem Pudores: corpo, sexualidade e erotismo
A Erótica Literária Brasileira a partir do Modernismo

Voltar para o início A Erótica Literária Brasileira a partir do Modernismo

Programa

Num prefácio a Macunaíma, Mário de Andrade observa que, no Brasil, até as literaturas religiosas eram "pornográficas". Apesar disso, ele reclama a ausência de um erotismo literário "organizado" no país, como tinham "os alemães científicos, os franceses de sociedade, os gregos filosóficos, os indianos especialistas, os turcos poéticos". Daí o paradoxo: "Já se falam que três brasileiros estão juntos, estão falando porcaria... De fato".

Não surpreende que tal constatação tenha sido feita por um artífice do modernismo, já que o movimento reunia duas preocupações fundamentais: de um lado, a conquista de um novo olhar para o Brasil que levasse em conta formas mais "rebaixadas" de cultura; de outro, a busca de uma sintonia com as vanguardas europeias que se voltavam para as expressões do erotismo. Munidos dessa curiosidade, os modernistas se empenharam com interesse na pesquisa e na criação de obras do gênero. 

Do deboche escatológico de Oswald à erótica requintada de Bandeira, o que se percebe a partir de 1922 é a consolidação de uma literatura que explora as diversas formas de representação do sexo. Tal disposição deixa marcas na produção do século XX, chegando aos dias de hoje com renovado vigor pela inclusão de tópicas contemporâneas.

Dão testemunho dele os contos libidinosos de Dalton Trevisan, a poética cósmica de Roberto Piva, as "bandalheiras" de Hilda Hilst, e outros exemplos que serão apresentados no curso.

As inscrições pela internet podem ser realizadas até um dia antes do início da atividade. Após esse período, caso ainda haja vagas, é possível se inscrever pessoalmente em todas as unidades. Após o início da atividade não é possível realizar inscrição. O cadastro é pessoal e intransferível.

Se você necessita de recursos de acessibilidade, como tradução em Libras, audiodescrição, entre outros, solicite por e-mail ou telefone, com até 48 horas de antecedência do início da atividade. centrodepesquisaeformacao@sescsp.org.br / 11 3254-5600

(Arte: Cicero Dias, "Sonho de uma Prostituta")


Palestrantes

Eliane Robert Moraes

Eliane Robert Moraes

Professora de Literatura Brasileira na USP e pesquisadora do CNPq. Publicou diversos livros sobre o imaginário erótico nas artes e na literatura, além da recente organização da Antologia da poesia erótica brasileira e da coletânea O corpo descoberto - Contos eróticos brasileiros.
(Foto: Acervo Pessoal)

Data

04/12/2019 a 13/12/2019

Dias e Horários

Quartas e Sextas, 19h às 21h.

As inscrições podem ser feitas a partir de 28 de novembro, às 14h, aqui no site do Centro de Pesquisa e Formação ou nas Unidades do Sesc em São Paulo.

Local

Rua Dr. Plínio Barreto, 285 - 4º andar
Bela Vista - São Paulo.

Valores

R$ 18,00 - credencial plena: trabalhador do comércio de bens, serviços e turismo matriculado no Sesc e dependentes
R$ 25,00 - pessoa com mais de 60 anos, pessoa com deficiência, estudante e professor da rede pública com comprovante
R$ 50,00 - inteira