Atividades

Seminário realizado com o Departamento de Antropologia da USP/ FFLCH e UNICAMP/IFCH. Acontecerá dos dias 1 a 3 de julho de 2019 na Biblioteca Mindlin, Cidade Universitária da USP e nos dias 4 e 5 de julho no Centro de Pesquisa e Formação do SESC .

Acervos e Práticas de Conhecimento: Saberes e Histórias da Antropologia

Voltar para o início Acervos e Práticas de Conhecimento: Saberes e Histórias da Antropologia

Programa


O objetivo desse colóquio internacional é lançar uma reflexão sobre acervos antropológicos, que contribuem para reavermos histórias da antropologia, repensando com elas a própria disciplina, suas práticas e seus procedimentos. Não se trata de realizar uma discussão técnica sobre arquivística, mas de projetar uma reflexão de cunho teórico-metodológico a partir dos arquivos: os usos que deles são feitos e as questões que eles colocam como instrumentos de saber que são, em prol de um debate alargado sobre formas e tecnologias do conhecimento.


Atentar para as estratégias de produção das histórias e memórias da antropologia, seus documentos, suas instituições de guarda e seus intérpretes - em museus, arquivos ou institutos de pesquisa - nos convida a esboçar uma etnografia das tecnologias de informação que amparam essas histórias, bem como das lógicas que orientam as maneiras que dispomos dessas narrativas. Se os acervos fornecem fontes e materiais para as pesquisas nas mais diversas áreas, os antropólogos temos projetado reflexões sistemáticas sobre eles, que incidem sobre práticas e produção de saberes; informação e conhecimento; histórias e memórias; pesquisa em arquivo e etnografia etc.

As discussões acumuladas sobre esses temas vêm definindo novas pautas e reorientando paradigmas, mas ainda são raros os momentos de troca entre os pesquisadores envolvidos com tais problematizações, que terminam dialogando no interior de seus espaços de atuação rotineiros sem, muitas vezes, conseguir ampliar interlocuções na direção de outros contextos institucionais e nacionais, assim como de outros campos e subcampos do conhecimento.


O desafio maior que este colóquio internacional lança é colocar em relação profissionais de trajetórias diversas, assim como diferentes áreas e especialidades antropológicas de modo a realizar um balanço das produções recentes e a aquilatar as contribuições teóricas e metodológicas que têm sido fornecidas pelos estudiosos e pelos acervos com os quais trabalham, de modo a conhecer suas reais dimensões e impactos. Espera-se, com esse esforço, que se estabeleçam novas redes e parcerias que possam alimentar a produção de agendas e problemas de pesquisa originais.

Cabe destacar não apenas a pertinência científica da proposta mas também a sua relevância política, diante das ameaças constantes que os acervos brasileiros em particular vêm sofrendo já há algum tempo, por falta de apoios e incentivos dos mais diversos tipos. Assim que o colóquio visa contribuir também, e antes de mais nada, para valorizar o nosso patrimônio científico e cultural, promovendo um amplo debate sobre ele, de modo a auxiliar a realizar diagnósticos e a propor políticas.

 

4/7 - Gestão e circulação de acervos

Com Elisabete Marin Ribas, Márcia Chuva e Véronique Parmentier. 

 

5/7 - Acervos compartilhados

Com Paula Morgado Lopes, Alexandre de Oliveira Gomes, Luísa Valentini e Pedro Galdino.

 


As inscrições pela internet podem ser realizadas até um dia antes do início da atividade. Após esse período, caso ainda haja vagas, é possível se inscrever pessoalmente em todas as unidades. Após o início da atividade não é possível realizar inscrição.

Se você necessita de recursos de acessibilidade, como tradução em Libras, audiodescrição, entre outros, solicite por e-mail ou telefone, com até 48 horas de antecedência do início da atividade. centrodepesquisaeformacao@sescsp.org.br / 11 3254-5600

(Crédito: Divulgação)

Palestrantes

Elisabete Marin Ribas

Elisabete Marin Ribas

Doutoranda pela área de Ciência da Informação da UNESP, possui graduação em Letras e mestrado em Teoria Literária e Literatura Comparada, ambos pela FFLCH-USP. Tem Especialização em Organização de Arquivos pelo Instituto de Estudos Brasileiros-USP, instituição em que hoje trabalha, compondo a equipe técnica do Serviço de Arquivo. Na área de organização de acervos, atua com documentação permanente e acervos pessoais. Atualmente dedica- se à pesquisas envolvendo a classificação de acervos pessoais de casais; técnicas e políticas para a guarda de arquivos pessoais de cidadãos comuns e a valorização da salvaguarda de arquivos das "minorias". Os principais temas de reflexão partem dos arquivos pessoais como ferramenta de empoderamento e a relação entre memória e poder.
(Foto: Acervo Pessoal)

Márcia Chuva

Márcia Chuva

Professora do Departamento de História da UNIRIO e do Mestrado Profissional em Patrimônio Cultural do IPHAN. 

Véronique Parmentier

Véronique Parmentier

Responsável pelo Serviço de Arquivistas Itinerantes do Centro de Gestão da Função Pública Territorial do Norte (Lille/França) e voluntária no Archivistes sans frontières (ASF, sessão França). 

Julia Vilaça Goyatá

Julia Vilaça Goyatá

E? Doutora pelo Programa de Po?s-Graduac?a?o em Antropologia Social da USP. Membro dos grupos de pesquisa do CNPq: ASA (Artes, saberes e antropologia) da USP e MARES (Religia?o, arte, materialidade, espac?o pu?blico: grupo de antropologia) da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). E? autora do livro Georges Bataille e Michel Leiris: a experie?ncia do sagrado (2016).

Paula Morgado Lopes

Paula Morgado Lopes

Pesquisadora Associada do Grupo de Antropologia Visual - USP e do Centre Interuniversitaire d'études et recherches autochtones. Técnica especializada no Laboratório de Imagem e Som em Antropologia-USP.

Alexandre de Oliveira Gomes

Alexandre de Oliveira Gomes

Doutorando no Programa de Pós-Graduação em Antropologia da UFPE. 

Luísa Valentini

Luísa Valentini

Doutoranda no Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social da USP. É coordenadora editorial da Coleção Mundo Indígena, da Editora Hedra.

Pedro Galdino

Pedro Galdino

Doutorando em Antropologia Social pelo PPGAS-USP. Mestre em Antropologia Social na UNICAMP. 

Data

04/07/2019 a 05/07/2019

Dias e Horários

Quinta e sexta, 19h às 21h30.

As inscrições podem ser feitas a partir de 27 de Junho, às 14h, aqui no site do Centro de Pesquisa e Formação ou nas Unidades do Sesc em São Paulo.

Local

Rua Dr. Plínio Barreto, 285 - 4º andar
Bela Vista - São Paulo.

Valores

Grátis

Inscreva-se agora