Atividades

A tradução como ferramenta, um método próprio de se relacionar com a diferença

Cursos On-Line
Ciclo de estudos: Atos de tradução

Voltar para o início Ciclo de estudos: Atos de tradução

Programa

O ciclo Atos de tradução surge como ambiente para discussões e práticas acerca de uma problemática que hoje se coloca enquanto potência no debate contemporâneo: a tradução, em seu sentido ampliado. Noção que tem sua origem no campo da literatura, a tradução pode ser estendida a outras práticas do conhecimento se reconhecida enquanto ato, movendo de forma experimental as delimitações do conceito.

Propomos, assim, pensar atos de tradução de maneira próxima ao que o antropólogo Roy Wagner chama de “extensão analógica de conceitos”, que acontece quando, ao mergulhar nas especificidades de outros universos ontológicos, precisamos mobilizar nossos próprios conceitos para acessar outras formas do pensamento.

Reconhecemos enquanto atos de tradução experimentos internos da literatura, da poesia e dos estudos de tradução em que a forma com que se opera recursos da tradução interpela o próprio campo; a antropologia, quando pensada ela própria como um procedimento de tradução por diferenças; a ciência, quando entendida não como uma verdade que dá transparência ao mundo em que vivemos, mas sim como um acontecimento narrativo; a psicanálise, em seu modo de reconhecer formações do inconsciente via a diferença e como corpo estranho à linguagem, exigindo exercícios de tradução onde supõe-se a mesma língua; a arte - em suas possibilidades visuais, sonoras, textuais e cênicas – quando, por exemplo, os próprios meios, suportes e linguagens de certos trabalhos artísticos parecem eles mesmos se fazerem visíveis diante do espectador, ou quando algo de intraduzível se mantém sobre a obra, ou ainda quando próprio lugar de tradução, em seu cruzamento de linguagens ou de perspectivas sobre algo, se inscreve como lugar poético.

O ciclo se destina a pensar esses atos a fim de extrair, da maneira como cada um deles se vale da tradução enquanto ferramenta, um método próprio de se relacionar com a diferença e, nesse sentido, um método de criação.

Curadoria: Bruno Siniscalchi e Maria Borba (Instituto Comum, Brasil).

Programação
25/10
14h30 Tradução como ato
Abertura e mediação - Helena Martins (PUC-Rio, Brasil).
Conferencistas: André Capilé (Brasil), Guilherme Gontijo Flores (UFPR, Brasil) e Paulo Henriques Britto (PUC-Rio, Brasil).
Artista: Leonardo Nunes (Brasil).

26/10
10h30 Antropologia como tradução
Conferencistas: Marisol de la Cadena (Universidade da Califórnia Davis, Estados Unidos) e Patrice Maniglier (Universidade de Paris-Ouest Nanterre, França).
Mediação: Maria Borba (Instituto Comum, Brasil).
Artistas: Ayani Hunikuin (Brasil) e Louise Botkay (Brasil) / Jaider Esbell (Brasil).

27/10
10h30 Ciência como tradução
Conferencistas: Mario Novello (Brasil, CBPF) e Steve Woolgar (Universidade de Oxford, Reino Unido).
Mediação: Maria Borba (Instituto Comum, Brasil).
Artista: Alice Miceli (Brasil).

28/10
10h30 Psicanálise como tradução
Conferencistas: Joel Birman (UFRJ, Brasil) e Monique David-Ménard (Universidade Paris-Diderot, França).
Mediação: Bruno Siniscalchi (Instituto Comum, Brasil).
Artista: Yhuri Cruz (Brasil).

29/10
10h30 Arte como tradução
Conferencistas: Caroline Bergvall (Reino Unido) e Flora Süssekind (Brasil, UNI-Rio).
Mediação: Bruno Siniscalchi (Instituto Comum, Brasil).
Artistas: Cid Campos (Brasil) / Maria Palmeiro (Brasil).

Obs: O participante precisa ter celular e computador e conhecer os princípios básicos para uso desses equipamentos. Após a conclusão da sua inscrição on-line na atividade e/ ou curso, você receberá por e-mail um link de acesso à Plataforma Zoom, onde será realizada a atividade e/ou curso, com até 1 (um) dia de antecedência da data de início. O acesso também poderá ser realizado através do web navegador de sua preferência.

Se você necessita de recursos de acessibilidade, como tradução em Libras, solicite pelo e-mail centrodepesquisa.cpf@sescsp.org.br, após a conclusão e efetivação do pagamento da sua inscrição, com até 48 horas de antecedência do início da atividade.

Os encontros em ambiente on-line não são gravados, não sendo disponibilizados seus registros para posterior visualização.

As inscrições podem ser feitas a partir das 14h do dia 27/9, aqui no site do Centro de Pesquisa e Formação do Sesc. Após o início da atividade não é possível realizar inscrição. O cadastro é pessoal e intransferível.

O pagamento dever ser feito através do cartão de crédito, e trabalhamos com as bandeiras Visa, Mastercard, Elo e Hipercard.

*Este curso será 100% Online. A declaração será enviada automaticamente em até 10 dias após a finalização da atividade e caso isso não ocorra, você poderá solicitar pelo e-mail: declaracao.cpf@sescsp.org.br

(Arte: Walter Cruz)

Palestrantes

Bruno Siniscalchi

Bruno Siniscalchi

Artista, pesquisador e psicanalista. Membro do Espaço Brasileiro de Estudos Psicanalíticos (EBEP-Rio) e integrante do grupo de pesquisa "Trauma e Catástrofe" (IP/UFRJ), da clínica do Instituto de Estudos da Complexidade (IEC) e do Coletivo Psi Maré. Criador, em parceria com Maria Borba, do Instituto Comum, organização dedicada a estabelecer espaço institucional “comum” a diferentes práticas e saberes, e de "Outra gente", performance a partir de recortes do livro A queda do céu , de Davi Kopenawa e Bruce Albert.
(Foto: Acervo Pessoal)

Jaider Esbell

Jaider Esbell

Nasceu em Normandia, Roraima, do povo Macuxi, é artista multimídia e curador independente. A cosmovisão de seu povo, as narrativas míticas e a vida cotidiana nas Amazônias compõem a poética de seu trabalho que se desdobra em desenhos, pinturas, vídeos, performances e textos. Definindo suas proposições artísticas como artivismo, as pesquisas de Esbell combinam discussões interseccionais entre arte, ancestralidade, espiritualidade, história, memória, política e ecologia.
(Foto: Acervo Pessoal)

Maria Borba

Maria Borba

Doutoranda em Literatura, Cultura e Contemporaneidade na PUC-Rio, mestre em Cosmologia e Gravitação pelo Centro Brasileiro de Pesquisas Físicas (ICRA/CBPF), artista e criadora em parceria com Bruno Siniscalchi, do Instituto Comum, espaço dedicado a abrigar e desenvolver trabalhos artísticos e pesquisas nas mais diversas práticas do conhecimento, e de "Outra gente", performance a partir de recortes do livro A queda do céu, de Davi Kopenawa e Bruce Albert. Sua obra está no entrelaçamento da cosmologia moderna com outras práticas do conhecimento.
(Foto: Acervo Pessoal)

Mario Novello

Mario Novello

Pesquisador emérito do Centro Brasileiro de Pesquisas Físicas (CBPF). Doutor Honoris Causa pela Universidade de Lyon (França) por seus estudos sobre modelos cosmológicos sem singularidade. Doutor em Física pela Université de Génève (1972) e mestre em Física pelo Centro Brasileiro de Pesquisas Físicas (1968). É autor de inúmeros artigos científicos e livros, entre eles Cosmos e Contexto (Forense Universitária, 1988), O que é cosmologia? (Zahar, 2006) e O universo inacabado (N-1, 2015).
(Foto: Acervo Pessoal)

Paulo Henriques Britto

Paulo Henriques Britto

Mestre em Letras e graduado em Licenciatura em Língua Inglesa e Portuguesa, pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio) que lhe conferiu o título de Notório Saber. Atualmente é professor associado da PUC-Rio, escritor e tradutor. É autor de diversos livros, entre eles, Nenhum mistério (Cia das Letras, 2018).
(Foto: Acervo Pessoal)

Cid Campos

Cid Campos

Músico, compositor e produtor musical. Nascido em São Paulo, filho do poeta Augusto de Campos, conviveu desde cedo com a poesia, a música e a arte em geral. Trabalhou com vários grupos, compositores, cantores e poetas. Dirige o MC2 STUDIO, onde tem dado continuidade ao seu trabalho sobretudo na área da experimentação musical.
(Foto: Acervo Pessoal)

Flora Süssekind

Flora Süssekind

Professora associada no curso de Estética e Teoria do Teatro do Centro de Letras e Artes da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO). Doutora, mestre e graduada em Letras pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC – Rio). Seus estudos envolvem a historiografia literária e teatral, a cultura oitocentista brasileira, a produção cultural contemporânea, as relações entre as artes e entre arte e técnica, e formas diversas de intervenção crítica.
(Foto: Acervo Pessoal)

Helena Franco Martins

Helena Franco Martins

Doutora em Letras (Linguística) pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e mestre em Letras pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC- Rio). Atualmente é pesquisadora do CNPq, com bolsa de produtividade, nível 2. Pesquisa a interface entre filosofia e os estudos da linguagem e da literatura, com interesse especial pelos pensamentos de orientação perspectivista.
(Foto: Acervo Pessoal)

André Capilé

André Capilé

Doutor em “Literatura, Cultura e Contemporaneidade” e mestre em Estudos Literários pela PUC-Rio, graduado em Filosofia pela Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF).  Integra o corpo editorial da Revista Escamandro e da Edições Macondo. É poeta e tradutor.
(Foto: Acervo Pessoal)

Guilherme Gontijo Flores

Guilherme Gontijo Flores

Doutor em Letras (Letras Clássicas) pela Universidade de São Paulo (USP), mestre em Estudos Literários pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) e graduado em Licenciatura em Língua Portuguesa e Literaturas de pela Universidade Federal do Espírito Santo (UFES). É poeta, tradutor e docente na Universidade Federal do Paraná (UFPR).
(Foto: Rafael Dabul)

Leonardo Nunes

Leonardo Nunes

Nascido em Pernambuco, iniciou a sua prática de dança com o coreógrafo Ivaldo Bertazzo. Estagiou na Deanima Companhia de Dança e fez parte do grupo jovem da Escola de Dança Maria Olenewa. Atualmente é bailarino na Lia Rodrigues Companhia De Danças, participando das criações de "Encarnado", "Hymnem", "Chantier Poetique", "Pororoca", "Piracema", "Pindorama", "Para Que o Céu Não Caia" e “Fúria".
(Foto: Acervo Pessoal)

Marisol de la Cadena

Marisol de la Cadena

Antropóloga, professora na University of California-Davis. Estudou na Universidade Católica de Lima, na Universidade de Durham (Inglaterra), na École des Hautes études (Paris) e na University of Wisconsin-Madison (EUA). Seu último livro é Seres-Tierra. Ecologías de Práctica a través de Mundos en los Andes (Duke University Press, 2015).
(Foto: Acervo Pessoal)

Patrice Maniglier

Patrice Maniglier

Professor associado do Departamento de Filosofia da Universidade de Paris Nanterre, onde leciona estética e filosofia francesa contemporânea. É autor de La Vie énigmatique des signes: Saussure et la naissance du structuralisme (Léo Scheer, 2006), Foucault va au cinéma (Bayard, 2011), La Philosophie qui se fait (Cerf, 2019), entre outros.
(Foto: Acervo Pessoal)

Ayani Hunikuin

Ayani Hunikuin

Cineasta, mãe e xamã, mora no Acre, fronteira do Brasil com o Peru, na Aldeia São Joaquim - Centro de Memória. Filha do renomado pajé Augustinho, com quem estudou a medicina da floresta, é artesã, mestra das artesãs do Rio Jordão e desde 2005 representa e coordena o movimento das mulheres das terras indígenas do município de Jordão.
(Foto: Acervo Pessoal)

Louise Botkay

Louise Botkay

Formada na Escola nacional de cinema da França (FEMIS), desde 2003, realiza seus filmes em países como Haiti, Congo, Níger, Chad, Holanda, França e Brasil. Utiliza diferentes mídias, como o telefone celular, vídeo e película, super-8, 16 e 35 milímetros, que revela artesanalmente. Seus trabalhos foram selecionados e premiados em diversos festivais.
(Foto: Acervo Pessoal)

Steve Woolgar

Steve Woolgar

Professor de Estudos da Ciência e Tecnologia (Linköping University) e Professor Emérito de Marketing (Said Business School, University of Oxford). É autor de Laboratory Life: The Construction of Scientific Facts (Princeton University Press, 2013) em colaboração com Bruno Latour e, mais recentemente, The Imposter As Social Theory: thinking with gatecrashers, cheats and charlatans (Bristol University Press 2021). Publicou amplamente sobre estudos da ciência e tecnologia e ciências sociais, pesquisando temas tão diversos como sociedade virtual, neuromarketing, globalização, desobediência ontológica e avaliação acadêmica.
(Foto: Acervo Pessoal)

Alice Miceli

Alice Miceli

A artista trabalha com fotografia e vídeo, focando nos limites e potencialidades dessas mídias e em suas materialidades específicas. Seu trabalho se desenvolve a partir de viagens investigativas com a intenção de mostrar manifestações virtuais, físicas e culturais de traumas ocorridos em paisagens naturais e urbanas. Lidando com assuntos sociais e políticos ao redor no mundo, suas exposições incluem a 29ª Bienal de São Paulo, festival transmediale, em Berlim, Galeria Nara Roesler em São Paulo, Villa Aymoré / Instituto Pipa, no Rio de Janeiro, e na Americas Society, em Nova York.
(Foto: Acervo Pessoal)

Joel Birman

Joel Birman

Psicanalista, professor titular do Instituto de Psicologia da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), professor aposentado do Instituto de Medicina Social (UERJ), diretor de estudos em Letras e Ciências Humanas na Université de Paris (Paris Diderot), pesquisador associado do Centre de Recherches Psychanalyse, Médecine et Société (Paris Diderot), professor associado da École Doctorale Recherches en Psychanalyse et Psychopathologie (Paris Diderot) e pesquisador e Consultor Ad-hoc do CNPq. É autor de diversos livros, como O sujeito na contemporaneidade (Civilização Brasileira, 2012).
(Foto: Acervo Pessoal)

Monique David-Mérnard

Monique David-Mérnard

Psicanalista em Paris, diretora do Centre d'Études du Vivant (Universidade Paris-Diderot) e diretora de pesquisa da mesma instituição. Doutora em Psicopatologia Clínica e Psicanálise e em Filosofia, é membro da Société de Psychanalyse Freudienne - SPF e membro fundadora da International Society of Philosophy and Psychoanalysis - ISPP. É autora de diversos livros, como Sexualités, genres et mélancolie: S'entretenir avec Judith Butler (Campagne Premiere, 2009).
(Foto: Acervo Pessoal)

Yhuri Cruz

Yhuri Cruz

Artista visual, escritor e dramaturgo. Sua prática artística e literária envolve ficções, cenas e proposições instalativas em diálogo com sistemas de poder, crítica institucional, resgates subjetivos e violências sociais reprimidas ou não resolvidas. A memória coletiva e individual é compreendida como fantasmas que atravessam o tempo e o espaço e constroem as formas canônicas e dissidentes de subjetividades e de sociabilidades. Suas produções mais recentes se relacionam com monumentos, fabulações, performatividade das palavras, presenças e resistências afrodiaspóricas, memoriais e esculturas em pedra.
(Foto: Acervo Pessoal)

Caroline Bergvall

Caroline Bergvall

Poeta e artista interdisciplinar, seus trabalhos atravessam vários idiomas, linguagens artísticas e mídias. Seus projetos incluem performances, instalações, livros, arte sonora, arte digital e trabalhos gráficos retratando as problemáticas contemporâneas audiovisuais e contextuais, assim como as identidades e histórias multilíngues. Foi escritora residente na Whitechapel Gallery, Londres (2014-15). Diretora de Escritas Performáticas - Dartington College of Arts, Reino Unido (1995-2000). Co-Chair MFA em Escrita, Bard College, NY (2004-2006). Atualmente é Professora Visitante em Kings College London.
(Foto: Thierry Bal)

Maria Palmeiro

Maria Palmeiro

Artista pesquisadora. Mestre pelo Programa de Pós-graduação em Artes da Cena pela ECO-UFRJ, é doutoranda no Programa de Estudos Contemporâneos das Artes da UFF, onde pesquisa/produz o entrelaçamento entre pensamento, escrita e prática por meio de objetos, pinturas, performances e narrativas. Realizou residências artísticas em Barcelona (CanSerrat, 2017), Belo Horizonte (Espai, 2018), São Paulo (FAAP, 2019) e Rio de Janeiro (Refresco, 2020 e Silo, 2021).
(Foto: Acervo Pessoal)

Data

25/10/2021 a 29/10/2021

Dias e Horários

25/10, segunda, das 14h30 às 17h.
26 a 29/10, terça a sexta, das 10h30 às 13h.

Curso 100% online

Inscrições a partir das 14h do dia 27/9, até o dia 25/10.
Enquanto houver vagas.

Local

Plataforma Zoom

Valores

R$ 10,50 - credencial plena: trabalhador do comércio de bens, serviços e turismo matriculado no Sesc e dependentes
R$ 17,50 - pessoa com mais de 60 anos, pessoa com deficiência, estudante e professor da rede pública com comprovante
R$ 35,00 - inteira

Inscreva-se agora