Atividades

Clarice Lispector e os limites da linguagem

Pesquisa em Foco
Clarice Lispector e as artes visuais - influência indelével

Voltar para o início Clarice Lispector e as artes visuais - influência indelével

Programa

Na crônica de 24 de maio de 1969 "Temas que morrem", Clarice Lispector afirma que sua verdadeira vocação teria sido a de desenhar, ainda que fosse uma vocação sem "dom". Em seu ensaio "Literatura de Vanguarda no Brasil", apresentado em várias cidades desde 1971, a autora diz: "pintar (...) é a coisa mais pura que faço."

Estão presentes na Fundação Casa de Rui Barbosa, no Rio, alguns experimentos de Clarice com pintura em madeira, os quais, curiosamente, são lembrados por personagens suas em livros como Sopro de Vida e Água Viva. A Clarice pintora foi estudada por pesquisadores como Ricardo Iannace, Carlos Mendes de Sousa e Lucia Helena Vianna, que estabeleceram relações entre sua obra literária e sua atividade diletante na pintura. Seria difícil afirmar que Clarice tenha sido uma pintora habilidosa, contudo é instigante compreender de que maneira as artes visuais foram decisivas na sua formação como escritora.

Regina Pontieri constata em um dos primeiros romances de Lispector, Cidade Sitiada, "forte tendência ao pictórico que realça a descrição em proposital detrimento da narração" [1999; 120]. Não apenas em A Cidade Sitiada, mas em toda a obra clariceana, a escassez de narrativa promove uma experiência com o tempo que requer atenção minuciosa ao instante. Assim, o tratamento do tempo se aproxima mais da narrativa condensada na imagem sintética de uma pintura, de uma fotografia ou de uma escultura que do desenrolar de acontecimentos romanescos da prosa convencional. Além disso, a busca pela expressão do inefável levou Clarice Lispector a se remeter constantemente ao não-verbal das artes visuais, na tentativa de atribuir materialidade às palavras, consideradas insuficientes.

Em A Paixão Segundo G.H., onde não por acaso a protagonista é uma escultora, a atividade artística é compreendida pela própria G.H. como um "pré-clímax", pelo embate atento com a matéria e pela "objetividade forçada de lidar com aquilo que já não era eu."  Já em Água Viva, não sabemos quase nada sobre a narradora que se dirige ao leitor, além do fato de ela se apresentar como uma pintora.

A palestra irá mostrar que o radicalismo com o qual Lispector esgarça a ficção pode ser comparado com algumas propostas literárias experimentais, como as de Beckett ou Blanchot, contudo é nos debates que ocorrem nas artes visuais que encontraremos muitas das questões abordadas pela autora. A busca pela materialidade e pelo não-verbal, a problematização do mercado de arte e interrogações sobre o ilusionismo são alguns dos temas a se investigar.

As inscrições pela internet podem ser realizadas até um dia antes do início da atividade. Após esse período, caso ainda haja vagas, é possível se inscrever pessoalmente em todas as unidades. Após o início da atividade não é possível realizar inscrição. O cadastro é pessoal e intransferível.

Se você necessita de recursos de acessibilidade, como tradução em Libras, audiodescrição, entre outros, solicite por e-mail ou telefone, com até 48 horas de antecedência do início da atividade. centrodepesquisaeformacao@sescsp.org.br / 11 3254-5600

(Foto: Fernando Frazão - Agência Brasil CC 3.0)

Palestrantes

Ivan Hegenberg

Ivan Hegenberg

Formado em Artes Plásticas pela USP, com mestrado em Teoria Literária e Literatura Comparada pela FFLCH-USP, com a dissertação "Clarice Lispector e os limites da linguagem". É autor de Puro Enquanto, em que alterna texto e pinturas.
(Foto: Nene Júnior)

Data

29/10/2019 a 29/10/2019

Dias e Horários

Terça, 19h às 21h.

As inscrições podem ser feitas a partir de 26 de setembro, às 14h, aqui no site do Centro de Pesquisa e Formação ou nas Unidades do Sesc em São Paulo.

Local

Rua Dr. Plínio Barreto, 285 - 4º andar
Bela Vista - São Paulo.

Valores

R$ 4,50 - credencial plena: trabalhador do comércio de bens, serviços e turismo matriculado no Sesc e dependentes
R$ 7,50 - pessoa com mais de 60 anos, pessoa com deficiência, estudante e professor da rede pública com comprovante
R$ 15,00 - inteira

Inscreva-se agora