Atividades

A LGBTfobia no futebol no Brasil

Contextos
Colorindo o Futebol

Voltar para o início Colorindo o Futebol

Programa

O curso irá abordar e discutir três momentos históricos em que o campo futebolístico foi apropriado por grupos ligados à causa LGBT: o surgimento das torcidas gays na segunda metade da década de 1970 em meio ao processo de manifestações culturais e políticas que culminaram com a emergência do movimento homossexual brasileiro em 1978; os movimentos de torcedores anti-homofobia que constroem visibilidade na internet a partir de 2013, apresentando-se como torcidas livres e queer, questionando o machismo e a LGBTfobia no futebol; e mais recentemente o aparecimento dos "times LGBT" em diversas partes do país, que representam espaços seguros e acolhedores para a prática do futebol por pessoas LGBT e têm construído a sua visibilidade por meio da organização de jogos e campeonatos.

O curso é dividido em três encontros e além de aulas expositivas, serão usados materiais de apoio, como imagens e vídeos, que estimulem o debate entre as pessoas participantes.

O curso contempla também momentos de bate-papo com convidadxs ligadxs às torcidas livres e aos times LGBT, que irão trazer suas visões acerca do significado dos grupos/coletivos que fazem parte, assim como das ações empreendidas para o enfrentamento da LGBTfobia no futebol.

As inscrições pela internet podem ser realizadas até um dia antes do início da atividade. Após esse período, caso ainda haja vagas, é possível se inscrever pessoalmente em todas as unidades. Após o início da atividade não é possível realizar inscrição.

Se você necessita de recursos de acessibilidade, como tradução em Libras, audiodescrição, entre outros, solicite por e-mail ou telefone, com até 48 horas de antecedência do início da atividade. centrodepesquisaeformacao@sescsp.org.br / 11 3254-5600

(Foto: Sharon Mccutcheon)

Palestrantes

Alexandre Antoniazzi

Alexandre Antoniazzi

Homem cisgênero, gay, há três anos joga pelo Natus F.C., time de futebol LGBT da cidade de São Paulo, fundado em 2015.
(Foto: Acervo Pessoal)

Henrique Martins

Henrique Martins

Criador do time Meninos Bons de Bola, primeiro time de futebol do Brasil formado exclusivamente por homens trans.
(Foto: Acervo Pessoal)

Luiza Aguiar dos Anjos

Luiza Aguiar dos Anjos

Formada em Educação Física pela Universidade Federal de Minas Gerais, onde também cursou Especialização e Mestrado em Estudos do Lazer. É Doutora em Ciências do Movimento Humano pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Suas pesquisas abordam questões de gênero e sexualidades tomando o esporte e, mais especificamente, o futebol e as torcidas como espaço privilegiado de observação. Desde 2017, é também colaboradora da página GaloQueer.
(Foto: Acervo Pessoal)

Maurício Rodrigues Pinto

Maurício Rodrigues Pinto

Mestre pelo Programa de Mudança Social e Participação Política (USP), pesquisa as relações entre futebol e sexualidades. Atualmente é doutorando do programa de Antropologia Social da USP (PPGAS-USP), estudando a apropriação do futebol por grupos de pessoas LGBT e a formação de times LGBT.
(Foto: Acervo Pessoal)

Sellena Ramos

Sellena Ramos

Mulher transfeminista negra interseccional é ativista do movimento LGBTQI+. Graduanda em Direito pela Faculdade Baiana de Direito, compõe o Grupo de Estudos em Criminologia Feminista. Atua também no Coletivo Mães do Arco-íris e na Rede Proteja LGBTQI+. Integra o Núcleo de Ações Afirmativas do E.C. Bahia, tendo realizado formação sobre Gênero e Sexualidade com funcionárixs do clube. É atualmente é consultora do Projeto Trans-Formação da ONU.

Thaís Nozue

Thaís Nozue

Palmeirense e moderadora de conteúdos do coletivo Palmeiras Livre.
(Foto: Acervo Pessoal)

Data

20/05/2019 a 24/05/2019

Dias e Horários

Segunda, Quarta e Sexta, 14h30 às 17h30.

As inscrições podem ser feitas a partir de 25 de Abril, às 14h, aqui no site do Centro de Pesquisa e Formação ou nas Unidades do Sesc em São Paulo.

Local

Rua Dr. Plínio Barreto, 285 - 4º andar
Bela Vista - São Paulo.

Valores

R$ 15,00 - credencial plena: trabalhador do comércio de bens, serviços e turismo matriculado no Sesc e dependentes
R$ 25,00 - pessoa com mais de 60 anos, pessoa com deficiência, estudante e professor da rede pública com comprovante
R$ 50,00 - inteira