Atividades

Ciclo discute os impactos das tecnologias na democracia

Democracia Hackeada

Voltar para o início Democracia Hackeada

Programa

Ao mesmo tempo que há um processo de popularização do acesso à rede mundial de computadores, principalmente pela mediação de plataformas de mídias sociais e conexão por smartphones, o espaço livre da internet passa a ser controlado por empresas que concentram o tráfego de dados na rede, que desenvolvem processos de apropriação de dados produzidos pelos usuários para o desenvolvimentos de modernas técnicas de marketing personalizados de acordo com os perfis definidos por sofisticadas técnicas de inteligência artificial.

Esse tipo de prática permite a criação de produtos e serviços mais eficientes para seus usuários. A análise massiva de dados disponíveis no ciberespaço por técnicas de machine learning também faz parte das principais agências de publicidade que desenvolvem anúncios direcionados para públicos com perfis customizados.

Essas técnicas já se fazem presentes nas campanhas eleitorais dos principais candidatos à cargos públicos. Além do monitoramento do "humor" das redes sociais de internet, em relação ao debate político e a imagem dos políticos, também permite o direcionamento das mensagens de campanhas para públicos específicos e de acordo com as características de cada meio digital (Facebook, Twitter, Instagram, Youtube, WhatsApp, etc).

Contudo, esse processo além de recriar um gap financeiro entre as campanhas de candidatos com maiores recursos e candidaturas com menos recursos, que a internet havia diminuído, também cria novos problemas para a democracia, como a radicalização da polarização ideológica, uso de bots sociais para difusão artificial de candidaturas e a proliferação do uso de desinformação e fake news como estratégia eleitoral, conforme verificado no pleito eleitoral de 2018 no Brasil.

Outro dilema democrático está associado ao uso de dados pessoais, coletados de forma ilegal ou antiética, por meio de processos sofisticados de violação de privacidade, para influenciar a opinião pública e processos eleitorais como apresentado no escândalo Facebook-Cambridge Analytica, que influenciou os resultados das eleições do Brexit no Reino Unido e nas eleições estadunidense de 2016, com a vitória de Donald Trump.

O objetivo deste ciclo é fazer uma discussão sobre os desafios para a democracia a partir do desenvolvimento de técnicas de inteligência artificial, machine learning, difusão de desinformação e modulação algorítmica utilizado pelas campanhas eleitorais, conforme denunciado no escândalo envolvendo a empresa Cambridge Analytica e a plataforma de rede social Facebook, retratado nos documentários Privacidade Hackeada (The great hack, 2019) e Driblando a Democracia (Fake America Great Again, 2018), que influenciou os processos eleitorais do Brexit e a vitória de Donald Trump nos EUA.

Para a realização dessa discussão será realizada duas atividades: aula-debate sobre o filme Privacidade Hackeada e uma mesa de debate sobre os perigos para a democracia da intensificação do uso de sistemas algorítmicos e matematização da vida promovido pelas grandes empresas de comunicação da Internet.

As inscrições pela internet podem ser realizadas até um dia antes do início da atividade. Após esse período, caso ainda haja vagas, é possível se inscrever pessoalmente em todas as unidades. Após o início da atividade não é possível realizar inscrição. O cadastro é pessoal e intransferível.

Se você necessita de recursos de acessibilidade, como tradução em Libras, audiodescrição, entre outros, solicite por e-mail ou telefone, com até 48 horas de antecedência do início da atividade. centrodepesquisaeformacao@sescsp.org.br / 11 3254-5600

(Foto: Divulgação)

Palestrantes

Claudio Penteado

Claudio Penteado

Doutor em Ciências Sociais pela PUC/SP,  Professor da UFABC, pesquisador do LabLivre (UFABC) e do Núcleo de Estudos em Arte, Mídia e Política (NEAMP/ PUC).
(Foto: Acervo Pessoal)

Sergio Amadeu da Silveira

Sergio Amadeu da Silveira

Doutor em Ciência Política pela USP, é formado em Ciências Sociais e Prof. Associado da Universidade Federal do ABC (UFABC). Integrou o Comitê Gestor da Internet no Brasil (2003-2005 e 2017-2020). Presidiu o Instituto Nacional de Tecnologia da Informação (2003-2005). É pesquisador do CNPq - PQ2.
(Foto: Acervo Pessoal)

Paulo Roberto Souza

Paulo Roberto Souza

Cientista Político. Doutor em Ciências Humanas e Sociais pela UFABC. Pesquisador do Laboratório de Tecnologias Livres (LabLivre/UFABC).
(Foto: Acervo Pessoal)

Nina Santos

Nina Santos

Dra em Comunicação pela Paris 2. Pesquisadora do Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia em Democracia Digital (INCT.DD).
(Foto: Acervo Pessoal)

Data

05/03/2020 a 06/03/2020

Dias e Horários

Quinta e Sexta, 15h às 18h.

As inscrições podem ser feitas a partir de 26 de fevereiro, às 14h, aqui no site do Centro de Pesquisa e Formação ou nas Unidades do Sesc em São Paulo.

Local

Rua Dr. Plínio Barreto, 285 - 4º andar
Bela Vista - São Paulo.

Valores

R$ 15,00 - credencial plena: trabalhador do comércio de bens, serviços e turismo matriculado no Sesc e dependentes
R$ 25,00 - pessoa com mais de 60 anos, pessoa com deficiência, estudante e professor da rede pública com comprovante
R$ 50,00 - inteira

Inscreva-se agora