Atividades

O sul do norte

Perspectivas
Dixieland: História, Política e Cultura do Sul dos EUA

Voltar para o início Dixieland: História, Política e Cultura do Sul dos EUA

Programa

Os Estados Unidos da América, apesar de estereótipos simplificadores, é um país continental e bastante complexo, com grandes desigualdades regionais e diversidade cultural e étnica. Uma das divisões mais recorrentes entre os norte-americanos, que remonta aos tempos da colonização e se acentuou na Guerra da Secessão, é entre o norte e o sul.

Em uma análise superficial, o primeiro seria mais industrializado, cosmopolita e teria valores mais liberais, enquanto o segundo seria mais agrário, provinciano e teria valores mais conservadores.

O objetivo deste ciclo é analisar a história do sul dos Estados Unidos, debater seus conflitos, suas narrativas, seus valores, sua cultura política e a forma como é retratado no cinema, música e literatura.     

16/9
A Guerra de Secessão Americana no Cinema: Os Casos de "O Nascimento de uma Nação" (1915) e "...E o Vento Levou" (1939)
A palestra pretende realizar uma análise das representações cinematográficas da Guerra de Secessão Americana (1861 - 1865) e do subsequente período de “Reconstrução” dos Estados Unidos da América (1865 - 1877) apresentadas pelos filmes “O Nascimento de uma Nação” (“The Birth of a Nation”, dir. David W. Griffith, EUA, 1915) e “...E o Vento Levou” (“...Gone With the Wind”, dir. Victor Fleming, EUA, 1939), considerados as duas produções cinematográficas mais representativas sobre esse período histórico, com o objetivo de discutir, dentre outros aspectos,  a evolução na forma de representação e abordagem do tema da Guerra Civil ao longo da história; a relação entre história, historiografia e cinema, as razões político-ideológicos de época para revisitar o tema através dessas produções culturais, o impacto de representatividade que esses filmes possuem na memória e na identidade nacional coletiva dos Estados Unidos até os dias atuais.
Com Wagner Pinheiro Pereira.

18/9
Da Senzala ao Palco: canções escravas e racismo nos Estados Unidos
A fala discutirá a importância das canções escravas, dos cakewalks e spirituals na nascente indústria musical atlântica, assim como o papel dos músicos negros na transformação do racismo no campo artístico, especialmente entre o final do século XIX e inicio do XX. As aproximações entre a experiência musical nos Estados Unidos e Brasil serão discutidas.
Com Martha Abreu.

O folk e o country nos Estados Unidos no século XX
Tendo em vista processos de modernização e urbanização ocorridos nos Estados Unidos ao longo do século XX, a apresentação versará sobre as transformações no campo cultural que acompanharam a história do país. Será analisado o desenvolvimento da música folk, passando por gêneros musicais como o country e o spiritual.
Com Mariana Oliveira Arantes.

23/9
Literatura Chicana nos Estados Unidos: marcas de resistência e de reavaliação de fronteiras

A literatura produzida por Chicanos/as nos Estados Unidos torna-se uma importante maneira de revelar suas lutas por conquistas sociais e sua busca por uma identidade. Os textos desse grupo colocam em xeque fronteiras geográficas, econômicas, culturais e de gêneros literários, bem como apresentam a resistência desse grupo contra estruturas sociais estabelecidas. Essa literatura mostra conflitos de identidade (interiores e exteriores) vividos pelo sujeito pós-moderno, pois encontra-se envolvido pela globalização e pelo encontro de culturas em toda sua complexidade. Textos teóricos de Walter Mignolo (2000) e de Hugo Achugar (2006) serão utilizados para a discussão dos tópicos na palestra.
Com Giséle Manganelli Fernandes.

25/9
A Cultura Política do Sul dos EUA e a Nova Direita

Na dinâmica eleitoral bipartidária dos EUA e com o Colégio Eleitoral funcionando como uma forma de garantir uma sensível equação entre o voto popular e a distribuição dos votos pelos estados da União, os estados do Sul ganham relevância política e status estratégico para que o candidato conquiste os necessários 270 votos para vencer (de um total de 538). Trata-se do que ficou conhecido por "estratégia sulista". Esta atenção eleitoral ao Sul também se relaciona com dois temas sensíveis: o passado segregacionista (racismo) e o conservadorismo social. Temas centrais para a compreensão sobre a formação de uma Nova Direita a partir de 1960. A palestra tem por foco estes temas e seus desdobramentos até o momento contemporâneo.
Com Ariel Finguerut.

30/9
Imigrantes norte-americanos em Santa Bárbara d'Oeste, 1866-1900
Após a Guerra de Secessão Americana (1861-1865), nos deparamos com um contingente de imigrantes norte-americanos (sulistas) que se dirigiram para o Brasil e, mais especificamente, para a região de Santa Bárbara d'Oeste, interior do estado de São Paulo. A palestra abordará as razões dessa imigração, a inserção desse contingente na economia local e sua influência na região. Também será abordada a Festa Confederada, festa típica realizada anualmente pelos descendentes para relembrar e homenagear seus antepassados.
Com Letícia Aguiar.

A influência da cultura country no Brasil
Considerações sobre a elaboração de uma cultura caipira/sertanejo/country no Brasil, com base em pesquisa sobre eventos ruralistas e festas do peão. Serão abordadas as práticas sociais e culturais influenciadas pelas observadas no mundo rural norte-americano, que aqui tiveram seu auge nas décadas de 1980 e 1990.
Com João Marcos Alem.

As inscrições pela internet podem ser realizadas até um dia antes do início da atividade. Após esse período, caso ainda haja vagas, é possível se inscrever pessoalmente em todas as unidades. Após o início da atividade não é possível realizar inscrição.

Se você necessita de recursos de acessibilidade, como tradução em Libras, audiodescrição, entre outros, solicite por e-mail ou telefone, com até 48 horas de antecedência do início da atividade. centrodepesquisaeformacao@sescsp.org.br / 11 3254-5600

(Foto: William Porcher Miles)

Palestrantes

Ariel Finguerut

Ariel Finguerut

Cientista social com doutorado em Ciência Política pela Unicamp. Como pesquisador, trabalha com o conservadorismo americano, com Oriente Médio e temas da politica internacional. É do conselho editorial da Revista Malala da USP.
(Foto: Acervo Pessoal)

Giséle Manganelli Fernandes

Giséle Manganelli Fernandes

Doutora em Estudos Linguísticos e Literários em Inglês pela USP e pós-doutora pela University of Florida. É Professora Associada II da UNESP/São José do Rio Preto.
(Foto: Acervo Pessoal)

João Marcos Alem

João Marcos Alem

Professor de Antropologia e Sociologia da Universidade Federal de Uberlândia. Doutor em Sociologia pela USP (1996). Tem experiência em pesquisas nos temas relativos a culturas populares, religião, indústria cultural, relações interétnicas.
(Foto: Acervo Pessoal)

Letícia Aguiar

Letícia Aguiar

Mestre em Economia pela Unicamp. Foi pesquisadora do Centro de Conjuntura da Unicamp e do Grupo de História Econômica "Famílias e Negócios", promovido pelo Centro de Memória da Unicamp.
(Foto: Acervo Pessoal)

Mariana Oliveira Arantes

Mariana Oliveira Arantes

Doutora em História pela UNESP. Atuou como Pesquisadora Visitante junto à Temple University - EUA. Autora de "Canto em marcha: música folk e direitos civis nos Estados Unidos (1945-1960)" (Alameda/FAPESP, 2016).
(Foto: Jefferson Tavares)

Martha Abreu

Martha Abreu

Professora titular do Instituto de História da UFF. Professora visitante do Programa de Pós-Graduação em História da UNIRIO. Pesquisadora do CNPq. É autora de diversos trabalhos sobre a história da diáspora africana nas Américas.
(Foto: Acervo Pessoal)

Wagner Pinheiro Pereira

Wagner Pinheiro Pereira

Professor de História da América Contemporânea e História do Audiovisual no Instituto de História e no Instituto de Relações Internacionais e Defesa da UFRJ. Coordenador Científico da Cátedra José Bonifácio (USP) e Editor-Chefe da Revista Poder & Cultura.
(Foto: Acervo Pessoal)

Data

16/09/2019 a 30/09/2019

Dias e Horários

Segundas, 19h30 às 21h30.

As inscrições podem ser feitas a partir de 27 de agosto, às 14h, aqui no site do Centro de Pesquisa e Formação ou nas Unidades do Sesc em São Paulo.

Local

Rua Dr. Plínio Barreto, 285 - 4º andar
Bela Vista - São Paulo.

Valores

R$ 18,00 - credencial plena: trabalhador do comércio de bens, serviços e turismo matriculado no Sesc e dependentes
R$ 30,00 - pessoa com mais de 60 anos, pessoa com deficiência, estudante e professor da rede pública com comprovante
R$ 60,00 - inteira

Inscreva-se agora