Atividades

100 anos de Bauhaus

Em Debate: Bauhaus
Dois Olhares que Conversam: Bauhaus

Voltar para o início Dois Olhares que Conversam: Bauhaus

Programa

A edição de setembro da série "Dois olhares que conversam" aborda a escola de arte vanguardista Bauhaus sob o olhar do arquiteto Guilherme Wisnik e da curadora independente Luiza Proença.

Em sua fala, Wisnik faz uma abordagem do legado da Bauhaus 100 anos depois, com seus méritos e suas contradições.

Por sua vez, Luiza Proença parte de sua experiência no projeto "Bauhaus imaginista" para abordar especificamente como, no Brasil, o conceito da fita de Moebius, propagado pelo expoente da Bauhaus Max Bill, foi usado por práticas artísticas como reflexão sobre as relações entre sujeito, espaço e alteridade.

A fita de Moebius será tratada aqui como imagem para se pensar criticamente tanto nas possíveis subversões das formas eurocêntricas como nas variadas apropriações culturais pela arte moderna e contemporânea.

Organização: Tania Rivitti.

As inscrições pela internet podem ser realizadas até um dia antes do início da atividade. Após esse período, caso ainda haja vagas, é possível se inscrever pessoalmente em todas as unidades. Após o início da atividade não é possível realizar inscrição.

Se você necessita de recursos de acessibilidade, como tradução em Libras, audiodescrição, entre outros, solicite por e-mail ou telefone, com até 48 horas de antecedência do início da atividade. centrodepesquisaeformacao@sescsp.org.br / 11 3254-5600

(Foto: Divulgação)

Palestrantes

Guilherme Wisnik

Guilherme Wisnik

Professor na FAU/USP. Publicou livros como Espaço em obra: cidade, arte, arquitetura (Edições Sesc SP, 2018, com Julio Mariutti), e outros. Foi curador das exposições Pedra no céu: arte e a arquitetura de Paulo Mendes da Rocha (Mube, 2017, com Cauê Alves), entre outras. Foi o Curador Geral da 10ª Bienal de Arquitetura de São Paulo (IAB, 2013).
(Foto: Acervo Pessoal)

Tania Rivitti

Tania Rivitti

Educadora com pós-graduação em Museologia (MAC-USP). Trabalhou nas Bienais de 1996 e 1998; no MASP e no Centro Universitário Maria Antonia-USP. Participa da gestão compartilhada do Ateliê397.
(Foto: Acervo Pessoal)

Luiza Proença

Luiza Proença

Crítica de arte e curadora independente. Foi pesquisadora curatorial do projeto Bauhaus Imaginista (Haus der Kulturen der Welt, Berlim, e Sesc Pompeia, São Paulo). Foi curadora de Mediação e Programas Públicos do MASP e curadora associada da 31ª Bienal de São Paulo "Como (...) coisas que não existem".
(Foto: Acervo Pessoal)

Data

24/10/2019 a 24/10/2019

Dias e Horários

Quinta, 19h30 às 21h30.

As inscrições podem ser feitas a partir de 26 de setembro, às 14h, aqui no site do Centro de Pesquisa e Formação ou nas Unidades do Sesc em São Paulo.

Local

Rua Dr. Plínio Barreto, 285 - 4º andar
Bela Vista - São Paulo.

Valores

R$ 4,50 - credencial plena: trabalhador do comércio de bens, serviços e turismo matriculado no Sesc e dependentes
R$ 7,50 - pessoa com mais de 60 anos, pessoa com deficiência, estudante e professor da rede pública com comprovante
R$ 15,00 - inteira

Inscreva-se agora