Atividades

Fotografia em Africa

Cursos On-Line
Fotografia na África - diálogos sobre a fotografia que transforma

Voltar para o início Fotografia na África - diálogos sobre a fotografia que transforma

Programa

A invenção da fotografia coincidiu com a aceleração do colonialismo no séc. 19 e o surgimento de novas disciplinas acadêmicas, como a antropologia e a etnologia. A partir da década de 1860, a câmera fotográfica passou a ser usada como ferramenta para coletar informações, registrar sociedades e classificar os indivíduos dentro do contexto colonial, no continente africano.

A evolução técnica e linguística dos registros fotográficos redimensiona o que representam 16 décadas, tanto na História da Fotografia quanto na História da África.
Poucos lugares no mundo tiveram a sua história traçada, contestada e transformada pelo uso da fotografia. A presença da fotografia no continente pode ser dividida em 3 períodos distintos:

- A leitura colonial que durou cerca de 90 anos definiu uma visão que o mundo tem dos negros até hoje. Tratando o continente, como uma coisa só, atribuiu-se aos seus habitantes, um caráter fraco, uma submissão implícita, uma disponibilidade permanente. Essas fotografias apesar de serem esteticamente poderosas e terem um alto valor documental, falam muito mais sobre quem as produziu do que sobre aqueles que retrata.

- No final da década de 1940 e início da década de 1950 surgem no Mali e no Benin os primeiros estúdios de fotógrafos africanos que começam a trazer com seus retratos uma leitura africana de seu próprio povo. Não é pouca a influência que Seydou Keïta e Malick Sidibé exercem até hoje na grande produção de retratos dos fotógrafos contemporâneos. As guerras de independência nos anos 1960/70 trouxeram também um fotojornalismo forte e revelador.

- No processo fundamental da evolução da leitura fotográfica, no final do séc. XX e início do XXI foi o estabelecido um mercado fotográfico de alta performance, no continente. Resultado da diáspora preta que espalhou pelo mundo uma visão negra sobre negros e uma ampla valorização dos conceitos filosóficos e estéticos da cultura original.
 
A partir deste cenário histórico, social e cultural, o ciclo debate a fotografia na África e na diáspora a partir das seguintes mesas:
 
22/3 - A presença do Negro na fotografia na África e na Diáspora africana
Com Luiz Paulo Lima e Januário Garcia.
 
29/3 - A Mulher na fotografia na África e na Diáspora
Com Rosane Borges, Eliária Andrade, Yassmin Fortes e Queila Fernandes.
 
5/4 - Fotografia Colonial X Expressão fotográfica africana contemporânea
Com Daniela Moreau e Milton Guran.
 
12/4 - Fotografia e Fine Art na África e na Diáspora Negra
Com Denise Camargo e Juvenal Pereira.
Mediação: Ennio Brauns.

Obs: O participante precisa ter celular e computador e conhecer os princípios básicos para uso desses equipamentos. Após a conclusão da sua inscrição on-line na atividade e/ ou curso, você receberá por e-mail um link de acesso à Plataforma Zoom, onde será realizada a atividade e/ou curso, com até 1 (um) dia de antecedência da data de início. O acesso também poderá ser realizado através do web navegador de sua preferência.

As inscrições podem ser feitas a partir das 14h do dia 25/02, aqui no site do Centro de Pesquisa e Formação do Sesc. Após o início da atividade não é possível realizar inscrição. O cadastro é pessoal e intransferível.

O pagamento dever ser feito através do cartão de crédito, e trabalhamos com as bandeiras Visa, Mastercard, Elo e Hipercard.

*Este curso será 100% Online. Após o encerramento, será possível solicitar sua declaração de participação, enviando um email para declaracao.cpf@sescsp.org.br

(Arte: Walter Cruz)

Palestrantes

Milton Guran

Milton Guran

Fotógrafo, mestre em Comunicação Social (UnB) e doutor em Antropologia (EHESS, França), com pós-doutorado na USP.
(Foto: Thais Rocha)

Rosane Borges

Rosane Borges

Jornalista e pesquisadora colaboradora do Colabor-USP. Doutora e mestre em Ciências da Comunicação pela USP.
(Foto: Ayalla Salvador)

Daniela Moreau

Daniela Moreau

Historiadora e mestra em Ciências Políticas. Fundou e coordenou por dez anos a Casa das Áfricas. Atualmente, dirige o Acervo África.
(Foto: Renato Parada)

Denise Camargo

Denise Camargo

Artista visual, doutora em Artes (Unicamp) e mestre em Ciências da Comunicação (USP). Docente no Departamento de Artes Visuais (UnB).
(Foto: Raquel Pellicano)

Eliária Andrade

Eliária Andrade

Formada em jornalismo pela Cásper Líbero. Trabalhou no Diário Popular, no Diário de São Paulo, O Globo, Estadão e Folha de S.Paulo.
(Foto: Ricardo Bakker)

Ennio Brauns

Ennio Brauns

Fotógrafo e jornalista, trabalhou nos jornais Em Tempo, Movimento, Folha S.Paulo e Diário de São Paulo e colaborou com a revista Newsweek.
(Foto: Henrique Parra)

Januário Garcia

Januário Garcia

Fotógrafo com extenso trabalho de documentação de afrodescendentes, formado em Comunicação Visual (International Camaramen School).
(Foto: Junior Esteves)

Juvenal Pereira

Juvenal Pereira

Fotógrafo autodidata, de Romaria, Minas Gerais. Trabalhou na revista O Cruzeiro, Veja, Isto É e nos jornais Estadão e Folha de S.Paulo.
(Foto: Acervo Pessoal)

Luiz Paulo Lima

Luiz Paulo Lima

Cool hunter, comunicador transmídia, sócio-diretor da CDI - Cité de L' image, produtor executivo no audiovisual, jornalista e fotógrafo.
(Foto: Sylvia Arone Fodor)

Queila Fernandes

Queila Fernandes

Fotógrafa, começou com a Fotografia de Teatro, em Mindelo e desenvolve atualmente um trabalho de retratos sobre a identidade.
(Foto: Acervo Pessoal)

Yassmin Fortes

Yassmin Fortes

Licenciada em Ciências da Comunicação, Relações Públicas e Jornalismo no Instituto Superior Politécnico e Universitário (ISPU) em Maputo.
(Foto: Acervo Pessoal)

Data

22/03/2021 a 12/04/2021

Dias e Horários

Segundas, 15h às 17h.

Curso 100% online

Inscrições a partir das 14h do dia 25/2

Vagas Limitadas.

Local

Em Casa

Valores

R$ 21,00 - credencial plena: trabalhador do comércio de bens, serviços e turismo matriculado no Sesc e dependentes
R$ 35,00 - pessoa com mais de 60 anos, pessoa com deficiência, estudante e professor da rede pública com comprovante
R$ 70,00 - inteira