Atividades

A produção fotográfica em periferias brasileiras

Contextos
Fotografia, Periferia e Memória

Voltar para o início Fotografia, Periferia e Memória

Programa

O curso apresenta uma visão sucinta da prevalência da imagem na contemporaneidade, com ênfase na consolidação de uma consistente produção fotográfica nas periferias brasileiras a partir dos anos 2000. A narrativa apresentada estará centrada na experiência de 14 anos como coordenador acadêmico da Escola de Fotógrafos Populares e participante da Agência Imagens do Povo, duas iniciativas concebidas em 2004 pelo fotógrafo documentarista João Roberto Ripper e operacionalizadas desde então pelo Observatório de Favelas da Maré, RJ.

A proposta do curso é desenvolver uma reflexão sobre a potência da fotografia popular, tanto como produtora de uma memória pouco veiculada pela mídia hegemônica, quanto como expressão de mundos possíveis, invadindo os territórios da ficção e da arte. Como pano de fundo, será apresentada uma visão crítica da história da fotografia documental no mundo e no Brasil, profundamente atrelada aos conflitos bélicos e sociais, destacando em contrapartida o trabalho produzido nas periferias brasileiras, pautado na relação entre fotógrafo e fotografado, tendo o afeto como elemento de conexão.


13/2. UM MERGULHO NA CIVILIZAÇÃO DA IMAGEM
Um breve histórico da fotografia e das transformações protagonizadas pela imagem impressa no comportamento humano ao longo dos tempos. A emergência da fotografia popular.
Fotografia e Bem-Querer em João Roberto Ripper: Fotografia como direito humano. Fotografia compartilhada. A grande imprensa e a produção de estereótipos.


14/2. FOTOJORNALISMO E CONFLITOS HUMANOS: UMA RELAÇÃO HISTORICAMENTE DETERMINADA
Das fotos de Roger Fenton e Mathew Brady, documentando respectivamente as guerras da Crimeia e da Secessão, ao atentado de 11 de setembro em Nova Iorque, este módulo pretende enfatizar que a história do fotojornalismo ocidental está profundamente atrelada ao registro das tragédias humanas.
A Agência Imagens do Povo e a Formação de Fotógrafos Populares.
A fotografia produzida nas periferias como oposição à imagem estereotipada de favela veiculada pelas grandes mídias.


15/2. A PRODUÇÃO DOS FOTÓGRAFOS POPULARES ENTRE A DOCUMENTAÇÃO E A ARTE
Projeção comentada de livros e trabalhos autorais produzidos nas periferias brasileiras:
Imagens do Povo, coletânea (Nau Editora, 2012).
Nós, coletânea (Observatório de Favelas, 2015).
Em foto, Ratão Diniz (Mórula Editorial, 2015).
Coletivo multimídia Favela em Foco: nove anos de resistência.
A poética carnavalesca do Folia de Imagens.
A pedagogia criativa de Léo Lima com o Cafuné na Laje.
A cena alternativa carioca: Hip hop & Rock pelas lentes de Thiago Ripper e Paulo Barros.
Contestação e arte nas Fluxografias de Luiz Baltar.

As inscrições pela internet podem ser realizadas até um dia antes do início da atividade. Após esse período, caso ainda haja vagas, é possível se inscrever pessoalmente em todas as unidades. Após o início da atividade não é possível realizar inscrição.

Se você necessita de recursos de acessibilidade, como tradução em Libras, audiodescrição, entre outros, solicite por e-mail ou telefone, com até 48 horas de antecedência do início da atividade. centrodepesquisaeformacao@sescsp.org.br / 11 3254-5600

(Foto: Af Rodrigues)

Palestrantes

Dante Gastaldoni

Dante Gastaldoni

Jornalista e cientista social, com mestrado em Fotografia no PPG em Comunicação e Imagem da UFF. Como professor atuou na UFF e leciona na UFRJ. Em 2006, assumiu a coordenação acadêmica da Escola de Fotógrafos Populares, na favela da Maré (RJ), cuja produção ganhou visibilidade em inúmeras publicações e exposições de fotografia no Brasil e no exterior.
(Foto: João Roberto Ripper)

Data

13/02/2019 a 15/02/2019

Dias e Horários

Quarta a Sexta, 19h às 21h30.

As inscrições podem ser feitas a partir de 29 de janeiro, às 14h, aqui no site do Centro de Pesquisa e Formação ou nas Unidades do Sesc em São Paulo.

Local

Rua Dr. Plínio Barreto, 285 - 4º andar
Bela Vista - São Paulo.

Valores

R$ 15,00 - credencial plena: trabalhador do comércio de bens, serviços e turismo matriculado no Sesc e dependentes
R$ 25,00 - pessoa com mais de 60 anos, pessoa com deficiência, estudante e professor da rede pública com comprovante
R$ 50,00 - inteira