Atividades

A palestra discutirá de que maneira é possível pensar Grande Otelo como um intérprete do cinema e do racismo no Brasil

Autografias
Grande Otelo: Um Intérprete do Cinema e do Racismo no Brasil

Voltar para o início Grande Otelo: Um Intérprete do Cinema e do Racismo no Brasil

Programa

O itinerário de Grande Otelo, a partir de uma análise transversal, nos permite percorrer diferentes momentos da história do cinema e do racismo no Brasil. O corpo do ator, negro e miúdo, se inscreve na chanchada, nos filmes da Cinédia, no realismo carioca da Atlântida, nos fragmentos de It's All True (1942) de Orson Welles e no comentário pós-Cinema Novo de Nem tudo é verdade (1985), de Rogério Sganzerla, passando por Rio, Zona Norte (1957), de Nelson Pereira do Santos, marco do realismo independente, e por Macunaíma (1969), filme em que Joaquim Pedro de Andrade se aventura na literatura modernista e na chanchada.

Dentro do debate racial, o ator vivenciou o racismo científico, o advento da democracia racial nas décadas de 30 e 40 e o movimento negro da década de 1970. Em cada um desses períodos, ele se posicionou à sua maneira para interpretar as relações raciais e o racismo enfrentados. Tal perspectiva de análise diante desse percurso singular atualiza uma reivindicação de longa data, mas cujo presente ainda está aquém de superá-lo, qual seja: a subrepresentação da população negra no audiovisual brasileiro.

Por fim, não menos importante, ao pensá-lo como interprete do país, pretende-se compreender outras formas de produção de conhecimento fora das instâncias institucionalizadas, ainda mais, por meio de uma população, que foi historicamente alijada desses espaços.

As inscrições pela internet podem ser realizadas até um dia antes do início da atividade. Após esse período, caso ainda haja vagas, é possível se inscrever pessoalmente em todas as unidades. Após o início da atividade não é possível realizar inscrição.

Se você necessita de recursos de acessibilidade, como tradução em Libras, audiodescrição, entre outros, solicite por e-mail ou telefone, com até 48 horas de antecedência do início da atividade. centrodepesquisaeformacao@sescsp.org.br / 11 3254-5600

(Crédito: Jubiaba, de Nelson Pereira dos Santos. Regina Filmes Ltda)

Palestrantes

Luis Felipe Kojima Hirano

Luis Felipe Kojima Hirano

Doutor em Antropologia Social pela USP e professor da Faculdade de Ciências Sociais da UFG. É organizador de Democracia e Ciências Sociais e tem artigos sobre relações raciais e cinema em diversos periódicos nacionais.
(Foto: Acervo Pessoal)

Data

31/07/2019 a 31/07/2019

Dias e Horários

Quarta, 10h30 às 12h30.

As inscrições podem ser feitas a partir de 27 de junho, às 14h, aqui no site do Centro de Pesquisa e Formação ou nas Unidades do Sesc em São Paulo.

Local

Rua Dr. Plínio Barreto, 285 - 4º andar
Bela Vista - São Paulo.

Valores

Grátis