Atividades

Discussão sobre os graus de influência e ressonância do Estado no fomento à cultura, no período de 1995 a 2010

Gestão Cultural
História das Políticas Culturais no Brasil: 1995 a 2010

Voltar para o início História das Políticas Culturais no Brasil: 1995 a 2010

Programa

O tema “História das Políticas Culturais no Brasil” foi abordado em 2018, centrado no período de 1981-1993. Retomado neste ano, tem como base os eixos conceituais e linhas programáticas das políticas culturais no Brasil, no período de 1995 a 2010, e contempla cinco mesas independentes, mas complementares. Serão objetos de discussões os avanços e conquistas das políticas culturais neste período.

27/5
Os novos modelos de gestão da cultura (1995 a 2000)
Discussão sobre a reforma administrativa comandada pelo Ministro da Administração Federal e Reforma do Estado (1995-1998) Bresser-Pereira, no Governo Fernando Henrique Cardoso, quando foram criadas as Organizações Sociais (OSs). Reflexão sobre a importância dos manifestos “Arte contra a Barbárie”, que em sua terceira versão conquistou uma importante vitória, com a aprovação da Lei de Fomento Municipal de São Paulo, em 2002.
Com Luiz Carlos Bresser-Pereira e Sérgio de Carvalho.

3/6
O Cinema vira agência: a criação da ANCINE e a proposta de criação da ANCINAV
Debate acerca da criação da Ancine (Agência Nacional do Cinema) e sobre as polêmicas que envolveram transforma-la em Ancinav (Agência Nacional do Cinema e do Audiovisual), sob o viés da política cultural adotada pelo ministro da Cultura, Gilberto Gil, em 2004.
Com Vera Zaverucha e Carlos Augusto Calil

10/6
Do-in antropológico na cultura: novas ações políticas no campo da cultura (2002-2006).
Debate sobre as novas diretrizes de ação política na cultura, propostas pelo ministro Gilberto Gil, ou como afirmou em sua posse: “um Do-in antropológico”, que para Gil significava tirar o ministério da distância em que ele se encontrava do dia-a-dia dos brasileiros.
Com Heloísa Buarque de Hollanda, Luiz Fernando de Almeida e Orlando Senna.

17/6
Quando novos atores entraram em cena: mudanças na cultura em razão do avanço tecnológico (2006-2010).
A proposta é reverberar temas de grande importância na agenda da cultura, constantemente moldada por transformações dos avanços tecnológicos, discutindo abordagens que envolvem disputas clássicas no campo cultural e que voltaram a repercutir nesse momento histórico.
Com Alfredo Manevy, Marcos Napolitano e Eliane Costa.

24/6
A consolidação das Leis de Incentivo Cultural no Brasil: o mecenato estatal e a gestão privada da cultura (1995 -1998)
O debate centra-se fundamentalmente sobre as leis de incentivo à cultura, como a Lei Rouanet e a Lei do Audiovisual, e reflete sobre sua estrutura básica na política cultural brasileira, em especial, durante a gestão do Ministro Francisco Weffort.
Com José Álvaro Moises e Albino Rubim.

Curadoria e mediação: Fabio Maleronka Ferron.

As inscrições pela internet podem ser realizadas até um dia antes do início da atividade. Após esse período, caso ainda haja vagas, é possível se inscrever pessoalmente em todas as unidades. Após o início da atividade não é possível realizar inscrição.

Se você necessita de recursos de acessibilidade, como tradução em Libras, audiodescrição, entre outros, solicite por e-mail ou telefone, com até 48 horas de antecedência do início da atividade. centrodepesquisaeformacao@sescsp.org.br / 11 3254-5600

(Foto: Matheus Jose Maria)

Palestrantes

Albino Rubim

Albino Rubim

Professor titular da Universidade Federal da Bahia, atuando no Programa Multidisciplinar de Pós-Graduação em Cultura e Sociedade e do Programa de Artes Cênicas. Autor de diversos livros, como “Marxismo, Cultura e Intelectuais no Brasil”. Foi Secretário de Cultura da Bahia, de 2011 até 2014.
(Foto: Acervo Pessoal)

Alfredo Manevy

Alfredo Manevy

Foi assessor do MINC de 2003 a 2006 e depois secretário de Políticas Culturais. Foi secretário-executivo do Ministério da Cultura durante a gestão do ministro Juca Ferreira, em 2008. Participou da elaboração do primeiro Plano Nacional de Cultura e dos debates que resultaram na criação da Agência Nacional de Cinema (Ancine). Foi Presidente da SPCINE.
(Foto: Acervo Pessoal)

Carlos Augusto Calil

Carlos Augusto Calil

Professor do Departamento de Cinema, Rádio e Televisão da ECA-USP. Dirigiu instituições culturais como a Embrafilme, Cinemateca Brasileira, Centro Cultural de São Paulo. Foi Secretário Municipal de Cultura de São Paulo na gestão 2005-12.
(Foto: Garapa Coletivo_Multimidia)

Eliane Costa

Eliane Costa

De 2003 a 2012 foi gerente de Patrocínios da Petrobras, responsável pela concepção, implantação e gestão do Programa Petrobras Cultural. Coordena o MBA em Bens Culturais: Cultura, Economia e Gestão da FGV-Rio.
(Foto: Steferson Faria)

Fabio Maleronka Ferron

Fabio Maleronka Ferron

Doutorando em Sociologia da Cultura - USP. Mestre em Estudos Culturais pela mesma universidade. Foi curador da Virada Cultural em 2014 e 2015. Foi consultor do Ministério da Cultura em Brasília, pelo Centro de Gestão e Assuntos Estratégicos durante a gestão Gilberto Gil.
(Foto: Acervo Pessoal)

Heloísa Buarque de Hollanda

Heloísa Buarque de Hollanda

Professora Emérita da Escola de Comunicação, e coordenadora do Programa Avançado de Cultura Contemporânea da Faculdade de Letras da UFRJ. Coordena o laboratório de tecnologias sociais Universidade das Quebradas, e o Laboratório da Palavra.
(Foto: Marcelo Correa)

José Álvaro Moises

José Álvaro Moises

Professor Titular aposentado do DCP-USP. Foi Secretário Nacional de Apoio à Cultura (1995-1998) e Secretário Nacional de Audiovisual (1999-2002) do Ministério da Cultura.  É membro do International Social Sciences Council - ISSC, da UNESCO, e do Comitê Executivo da International Political Science Association – IPSA.

Luiz Carlos Bresser-Pereira

Luiz Carlos Bresser-Pereira

Foi Ministro da Administração Federal e Reforma do Estado (1995-1998) e Ministro da Ciência e Tecnologia (1999), na presidência de Fernando Henrique Cardoso, entre outros cargos públicos.
(Foto: FGV Divulgação)

Luiz Fernando de Almeida

Luiz Fernando de Almeida

Por quase 10 anos, atuou como presidente do IPHAN e coordenador nacional do Programa Monumenta. Foi Membro do Comitê de Patrimônio Mundial da Unesco de 2008 e 2011. Formado em Arquitetura, é Diretor Presidente do Instituto Pedra.
(Foto: Acervo Pessoal)

Marcos Napolitano

Marcos Napolitano

Professor no Departamento de História da Universidade Federal do Paraná, entre 1994 e 2004. É professor de História do Brasil Independente e docente-orientador no Programa de História Social da USP.
(Foto: Acervo Pessoal)

Orlando Senna

Orlando Senna

Foi diretor e roteirista de 30 filmes de ficção e documentários, incluindo Iracema (1974). Assumiu a Secretaria do Audiovisual do Ministério da Cultura, de 2003 até 2007. Atualmente, lidera o Núcleo Criativo de Ondina (ANCINE). É membro do Conselho Superior da Nova Fundação do Cinema Latino-Americano.
(Foto: Acervo Pessoal)

Sérgio de Carvalho

Sérgio de Carvalho

Fundou com outros artistas, em 1997, a Cia do Latão, com montagens históricas do teatro brasileiro, como Círculo de Giz Caucasiano (2006), entre outras. É professor de Teoria do Teatro e Lliteratura dramática na Unicamp. Atualmente é diretor do TUSP.

Vera Zaverucha

Vera Zaverucha

Integrou a equipe da Casa Civil da Presidência da República responsável pela coordenação do Grupo Executivo da Indústria Cinematográfica, que culminou na criação da Agência Nacional do Cinema – Ancine. De 2002 a 2010 foi assessora-chefe da Presidência da Ancine e superintendente de Acompanhamento de Mercado. Foi diretora da Ancine de 2011 a 2015.
(Foto: Acervo Pessoal)

Data

27/05/2019 a 24/06/2019

Dias e Horários

Segundas, 19h às 21h30.

As inscrições podem ser feitas a partir de 25 de Abril, às 14h, aqui no site do Centro de Pesquisa e Formação ou nas Unidades do Sesc em São Paulo.

Local

Rua Dr. Plínio Barreto, 285 - 4º andar
Bela Vista - São Paulo.

Valores

R$ 18,00 - credencial plena: trabalhador do comércio de bens, serviços e turismo matriculado no Sesc e dependentes
R$ 30,00 - pessoa com mais de 60 anos, pessoa com deficiência, estudante e professor da rede pública com comprovante
R$ 60,00 - inteira