Atividades

ATIVIDADE ADIADA.

Perspectivas
História e histórias da música gravada no Brasil em 78 rpm

Voltar para o início História e histórias da música gravada no Brasil em 78 rpm

Programa

Em oito encontros, o curso apresenta um panorama da história da fonografia brasileira a partir da audição comentada de discos de 78 rpm produzidos entre 1902 e 1964.

Conduzido pelo colecionador e pesquisador Gilberto Inácio Gonçalves e pela pesquisadora e radialista Biancamaria Binazzi, o curso contará também apresentações do colecionador de antiguidades Andréas Triantafyllou (com exposição de antigos fonógrafos e gramofones), e dos pesquisadores Rodrigo Caçapa (Discografia nordestina em 78 rpm) e Juliana Perez Gonzalez (Música caipira paulista).

Em uma oportunidade única de ver e ouvir discos raros da coleção particular de Gilberto em ação na vitrola, o curso apresenta um repertório variado de gêneros musicais gravados neste período, acompanhado por comentários sobre histórico das músicas, gravadoras, arranjadores, intérpretes e orquestras e seus contextos históricos,  sociais e culturais.

Fabricados no Brasil a partir de uma mistura de goma-laca e cera de carnaúba de 1902 a 1964, os discos de 78 rotações são extremamente frágeis e, se não fossem colecionadores como Gilberto, Miguel Nirez de Azevedo, Leon Barg, Humberto Franceschi, Tinhorão, Roberto Gambardella e Assis Ângelo, uma importante parte memória da música brasileira estaria perdida.

Além dos três minutos de música prensados em cada chapa, os discos de 78 rpm contam histórias de pessoas, cidades, hábitos e uma imensa diversidade cultural de tempos antigos.

Programa:
24/3  Máquinas Falantes e as primeiras gravações mecânicas 1902 a 1927
Com Gilberto Gonçalves e Andreas Triantafyllou.
Mediação: Biancamaria Binazzi.
*haverá com demonstração ao vivo de fonógrafos e gramofones

31/3  Eletrizando: transições da fase mecânica para o início da gravação elétrica entre  1927 e 1930
Com Biancamaria Binazzi e Gilberto Gonçalves.

7/4 Desde que o samba é samba: as transformações do samba na indústria fonográfica
Com Biancamaria Binazzi e Gilberto Gonçalves.

14/4  Discografia nordestina em 78 rpm:  da embolada ao frevo (1913-1931)
Com Rodrigo Caçapa e Gilberto Gonçalves.
Mediação: Biancamaria Binazzi.

28/4 Marchas (de carnaval, de meio de ano e final de ano)
Com Gilberto Inácio Gonçalves e Biancamaria Binazzi.

5/5  Música caipira paulista em 78 rpm
Com Juliana Perez Gonzalez e Gilberto Gonçalves.
Mediação: Biancamaria Binazzi.

12/5: As folcloristas: mulheres revolucionárias, pontos, cirandas e cateretês
Com Biancamaria Binazzi  e Gilberto Gonçalves.

19/5: Rumo ao vinil: Bossa-Nova e modernidade
Com Biancamaria Binazzi  e Gilberto Gonçalves.

As inscrições pela internet podem ser realizadas até um dia antes do início da atividade. Após esse período, caso ainda haja vagas, é possível se inscrever pessoalmente em todas as unidades. Após o início da atividade não é possível realizar inscrição. O cadastro é pessoal e intransferível.

Se você necessita de recursos de acessibilidade, como tradução em Libras, audiodescrição, entre outros, solicite por e-mail ou telefone, com até 48 horas de antecedência do início da atividade. centrodepesquisaeformacao@sescsp.org.br / 11 3254-5600

Palestrantes

Biancamaria Binazzi

Biancamaria Binazzi

Radialista, produtora cultural com mestrado no Instituto de Estudos Brasileiros (IEB-USP). É idealizadora do projeto Goma-Laca, destinado à pesquisa e difusão da música em 78 rpm tendo produzido os discos “Goma-Laca: Afrobrasilidades em 78 rpm” e “Goma-Laca: Cantos Populares do Brasil de Elsie Houston”. Como radialista, produziu programas e séries sobre discografia brasileira em 78 rpm para a Rádio Cultura Brasil, Rádio Batuta - IMS e Web-Rádio do Centro Cultural São Paulo (Discoteca Oneyda Alvarenga).. 
(Foto: Divulgação Cásper Líbero)

Gilberto Inácio Gonçalves

Gilberto Inácio Gonçalves

Cirurgião dentista e pesquisador de música brasileira. Em seu apartamento na Mooca, possui um acervo próprio de cerca de quinze mil discos em 78 rpm e cinco mil em 33 rpm, que há mais de dez anos tem sido fonte de consulta e pesquisa para músicos e pesquisadores de todo o país. A partir de sua coleção, já ministrou cursos como "Pixinguinha e Radamés em 78 rpm" (com Paulo Serau), " A indústria fonográfica paulista em discos 78" (com Bruno Baronetti) e, "Gira-Disco: Pequena história do 78 rpm" (com Biancamaria Binazzi) entre outros.
(Foto: Acervo Pessoal)

Andréas Triantafyllou

Andréas Triantafyllou

Mercador de antiguidades, há mais de dez anos coleciona máquinas falantes, discos mecânicos e cilindros de cera para fonógrafos. É Proprietário da loja de antiguidades Pocilga! Objetos Inusitados e Restaurações, no bairro do Bixiga.
(Foto: Acervo Pessoal)

Rodrigo Caçapa

Rodrigo Caçapa

Compositor, arranjador, produtor musical e violeiro pernambucano radicado em São Paulo, lançou o seu primeiro disco solo, "Elefantes na Rua Nova", em 2011, sob patrocínio da Petrobras e com repertório composto a partir de Bolsa de Incentivo à Criação Artística, concedida pela Funarte em 2008. Desde 2016 desenvolve o projeto “O Coco-Rojão e as Violas Eletrodinâmicas: Pesquisa e Criação”, aprovado no programa Rumos Itaú Cultural, e em 2017 iniciou a série de artigos “Por Uma Discografia Nordestina”, para o site Outros Críticos.
(Foto: Acervo Pessoal)

Juliana Perez Gonzalez

Juliana Perez Gonzalez

Doutora em História Social pela Universidade de São Paulo. Autora do livro Las historias de la música en Hispanoamérica (2010), texto ganhador do 3º lugar no “X Premio de Musicologia Casa de las Américas”. Seu segundo livro, Da música mecânica à música folclórica. Mário de Andrade e o conceito música popular (2015), ganhou o “Prêmio História Social” (USP). Recentemente, sua pesquisa de doutorado sobre música caipira e fonografia foi destacada com o 1º lugar no Concurso Silvio Romero, 2019 (IPHAN).
(Foto: Acervo Pessoal)

Data

24/03/2020 a 19/05/2020

Dias e Horários

Terças, 19h às 21h.

Exceto dia 21/4.

As inscrições podem ser feitas a partir de 26 de fevereiro, às 14h, aqui no site do Centro de Pesquisa e Formação ou nas Unidades do Sesc em São Paulo.

Local

Rua Dr. Plínio Barreto, 285 - 4º andar
Bela Vista - São Paulo.

Valores

R$ 18,00 - credencial plena: trabalhador do comércio de bens, serviços e turismo matriculado no Sesc e dependentes
R$ 30,00 - pessoa com mais de 60 anos, pessoa com deficiência, estudante e professor da rede pública com comprovante
R$ 60,00 - inteira