Atividades

Jovens e educação: leitura e escrita jovens além da escola.

Autografias
Letramentos em espaços educativos não escolares

Voltar para o início Letramentos em espaços educativos não escolares

Programa

Estabelecer um diálogo é a proposta do livro “Letramentos em espaços educativos não escolares: os jovens, a leitura e a escrita”, dirigido a educadores que trabalham em projetos voltados para jovens, em Ongs brasileiras. O diálogo e não as respostas definitivas, apresenta-se como via possível para lidar com o cotidiano de quem se propõe a mediar interações com um público juvenil em contextos educativos diferentes da instituição escolar. A problemática aponta para os desafios postos aos jovens em contextos sociais que exigem o uso da leitura e/ou da escrita, dentro e fora das escolas, no trabalho, nas próprias Ongs, no âmbito familiar, no âmbito religioso e no círculo de amigos. Vale destacar que o foco nas chamadas práticas de letramento – práticas sociais em que a leitura e/ou a escrita servem para mediar as interações dos sujeitos com os textos – não ignora o fato de que muitas das capacidades de linguagem mobilizadas nessas situações se imbricam com motivações pessoais para usar a leitura e a escrita e também com os percursos singulares de escolarização dos indivíduos. Neste encontro os autores discutem tais os pontos fundamentais da pesquisa que resultou nesta recente publicação.


 


As inscrições pela internet podem ser realizadas até um dia antes do inicio da atividade. Após esse período, caso ainda haja vagas, é possível se inscrever pessoalmente em todas as unidades. Após o início da atividade não é possível realizar inscrição.

Nosso canal no YouTube oferece mais de nossa programação. Inscreva-se e fique por dentro.



Foto: HebiFot-(Pixabay-CCO-public-domain)

Palestrantes

Márcia Mendonça

Márcia Mendonça

Docente do Departamento de Linguística Aplicada da Unicamp, com mestrado e doutorado em Linguística pela UFPE. Centra suas pesquisas no ensino-aprendizagem de língua materna, materiais didáticos, organização curricular, formação de professores e letramentos do mundo do trabalho. 
(Foto: Acervo Pessoal)

Clecio Bunzen

Clecio Bunzen

Possui graduação em Letras pela Universidade Federal de Pernambuco, mestrado e doutorado em Lingüística Aplicada pela Universidade Estadual de Campinas. Atualmente, é professor do Departamento de Métodos e Técnicas de Ensino da UFP e do Programa de Pós-Graduação em Educação da UNIFESP.

Bibliografia

ABREU, Márcia (2001). Diferentes formas de ler.Trabalho apresentado na Mesa-redonda Práticas de Leituras: história e modalidades, no XXIV Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação, Intercom, Campo Grande. Disponível em: http://www.unicamp.br/iel/memoria/Ensaios/Marcia/marcia.htm.


AÇÃO EDUCATIVA /INSTITUTO PAULO MONTENEGRO (2009). INAF 2009 – Indicador de alfabetismo funcional: principais resultados.


Disponível em http://www.ibope.com.br/ipm/relatorios/relatorio_inaf_2009.pdf . Acesso em 12 jul. 2012.


BARTON, D.; HAMILTON, M. (2000). Literacy practices, in BARTON, D. et. al. (orgs.) Situatedliteracies. Reading andwriting in context. London: Routldedge.


BRAGA, Denise; RICARTE, Ivan. Letramento e Tecnologia. Campinas, SP: CEFIEL/IEL/Unicamp; MEC, 2005.


CATANI, Afrânio Mendes e GILIOLI, Renato de S. Porto (2008). Culturas juvenis: múltiplos olhares. São Paulo: Editora Unesp.


CORTI, Ana Paula (2006). Entre a escola e os jovens. Onda Jovem - Edição 06 - Nov 2006. Disponível em http://www.uff.br/observatoriojovem/materia/entre-escola-e-os-jovens. Acesso em 13 jul. 2012.


______ e SOUZA, Raquel. Diálogos com o mundo juvenil: subsídios para educadores. São Paulo: Ação Educativa, 2004.


DIONÍSIO, Maria de Lourdes. Literatura, leitura e escola. Uma hipótese de trabalho para a construção do leitor cosmopolita. In: Aparecida Paiva et al. (Orgs.) Leituras literárias: discursos transitivos. Belo Horizonte: Ceale/Autêntica, 2005. Pp. 49-


FAILLA, Zoara (2008). Os jovens, leitura e inclusão. In: Galeno Amorim (Org.) Retratos da leitura no Brasil. São Paulo: Imprensa Oficial.


GARCÍA CANCLINI, Néstor (2008). Leitores, espectadores e internautas.São Paulo: Iluminuras.


HAMILTON, Mary (2000). SustainableLiteraciesandtheEcologyofLifelong Learning. Paper presented at Suporting Lifelong Learning: a Global Colloquium, in London, England, jul. 2000. London: University of East London. Disponível em http://www.eric.ed.gov/ERICWebPortal/search/detailmini.jsp?_nfpb=true&_&ERICExtSearch_SearchValue_0=ED445251&ERICExtSearch_SearchType_0=no&accno=ED445251. Acesso em 12 jul. 2012.


KLEIMAN, Angela (2006). Leitura e prática social no desenvolvimento de competências no ensino médio. In Clecio Bunzen e Márcia Mendonça (orgs.) Português no ensino médio e formação do professor. São Paulo: Parábola Editorial. Pp. 23-36.


PETIT, Michèle (2008). Os jovens e a leitura: uma nova perspectiva. São Paulo: Editora 34.


ROJO, Roxane (2009). Letramentos múltiplos, escola e inclusão social. São Paulo: Parábola.


TOLEDO, Maria Elena R. de O. (2004). Numeramento e escolarização: o papel da escola no enfrentamento das demandas matemáticas cotidianas. In: FONSECA, Maria da Conceição Ferreira Reis (org.). Letramento no Brasil: Habilidades Matemáticas: reflexões a partir do INAF 2002. São Paulo: Global; Ação Educativa; Instituto Paulo Montenegro. Pp. 91-108.

Data

25/11/2015 a 25/11/2015

Dias e Horários

Quarta, 19h às 21h.

Local

Valores

Grátis

Inscreva-se agora