Atividades

Curso aborda as relações entre arte, intelectuais, engajamento político e indústria cultural

Curso Presencial
O fim da utopia? Modernismo, pós-modernismo e indústria cultural

Voltar para o início O fim da utopia? Modernismo, pós-modernismo e indústria cultural

Programa

Theodor W. Adorno inicia sua Teoria Estética com uma grande provocação à sua leitora. Segundo ele, a arte perdeu sua autoevidência, a tal ponto que sequer o seu direito à existência está garantido. Duas décadas separam esse questionamento e a queda do muro de Berlim, confirmando que as utopias que deram força ao modernismo e às vanguardas eram inseparáveis dos movimentos políticos que revolucionaram o século XX. Será que o tempo que veio depois desse enterrou de vez as utopias que guiaram esses movimentos?

O objetivo desse curso é discutir a relação das vanguardas com a sociedade de massas, mostrar como o desenvolvimento das forças produtivas externas à arte criou inúmeras possibilidades para a sua transformação e para o acesso da classe trabalhadora que dela esteve privada ao longo de séculos, tratar do nascimento do sistema da “indústria cultural” como sistema de socialização, apresentar o debate sobre os conceitos de realismo e modernismo em tensão com as questões descritas acima e, finalmente,  tratar da crise das utopias no pós-modernismo e em nosso próprio tempo no qual uma outra noção de realismo retorna, o realismo capitalista.

Será que há ainda alguma linha depois do fim da linha? O século XXI se caracteriza por uma realidade completamente plástica, capaz de se adaptar a tudo. Quais podem ser os destinos da forma – que depende, da contradição entre liberdade e não-liberdade, autonomia e heteronomia – num mundo como esse? Vamos esses debates com essa pergunta em mente, recorrendo às obras de “frankfurtianos” e “frankfurtianas” que mantêm viva a teoria crítica: Susan Buck-Morss, Walter Benjamin, Bertolt Brecht, Theodor W. Adorno, Georg Lukács, Fredric Jameson, Susan Willis e Mark Fischer.

Programa
9/2 - Vanguardas e utopias de massa: Susan Buck-Morss e a teoria crítica.
Nesse encontro discutiremos, a partir do livro Mundo de sonho e catástrofe, o surgimento de dois grandes projetos de sociedade de massas no século XX: os EUA e a União Soviética, que moldaram as utopias (e distopias) das vanguardas e da indústria cultural.

16/2 - Modernismo, técnica e revolução. Bertolt Brecht e Walter Benjamin.
Esse encontro discute a proposta de "re-funcionalização" da arte de Bertolt Brecht desenvolvida em seus Versuche [Ensaios]. Leremos os ensaios "O autor como produtor" e "A obra de arte na época de sua reprodutibilidade técnica" como textos complementares, para discutir qual é o papel atribuído por Benjamin ao desenvolvimento das forças produtivas no início do século no que se refere à transformação da história da arte.

2/3 - Arte de massas e indústria cultural. Walter Benjamin e Theodor W. Adorno.
Nesse encontro discutiremos as críticas dirigidas por Adorno a Benjamin em sua Correspondência, em especial a influência de Brecht, além de debater o excerto de Dialética do Esclarecimento "Indústria cultural: o esclarecimento como mistificação das massas".

9/3 - Modernismo ou realismo? Theodor W. Adorno, Georg Lukács e as encruzilhadas do romance moderno(ista).
Nesse encontro, trataremos da teoria do romance de Lukács expressa em O Romance Histórico e Realismo Crítico hoje, bem como de algumas réplicas de Adorno. Como veremos, Lukács não era um mero defensor dogmático do realismo soviético. Sua teoria marxista do romance continua a lançar desafios à arte do nosso século e as perguntas que sua obra suscita continuam a orientar os debates sobre estética e política: afinal, no que consiste, onde reside o caráter político de uma obra de arte?

16/3 - Pós-modernismo, crítica feminista do cotidiano e realismo capitalista. Fredric Jameson, Susan Willis e Mark Fisher.
Nesse encontro debateremos o livro Pós-modernismo ou a lógica cultural do capitalismo tardio, um dos grandes livros da teoria crítica contemporânea, de Fredric Jameson, ao lado de A primer for daily life, de Susan Willis, outra herdeira da teoria crítica e importante expoente do marxismo feminista. Apresentaremos a noção de "realismo capitalista", desenvolvida por Mark Fisher, para responder à pergunta: "é mais fácil imaginar o fim do mundo que o fim do capitalismo?"


Recomendamos o uso de máscara cobrindo nariz e boca.

Se você necessita de recursos de acessibilidade, como tradução em Libras, solicite pelo e-mail centrodepesquisa.cpf@sescsp.org.br, após a conclusão e efetivação do pagamento da sua inscrição, com até 48 horas de antecedência do início da atividade.

As inscrições podem ser feitas a partir das 14h do dia 26/1 no site do Centro de Pesquisa e Formação do Sesc ou presencialmente em qualquer unidade do Sesc São Paulo. Após o início da atividade não é possível realizar inscrição. O cadastro é pessoal e intransferível.

O pagamento pode ser feito através do cartão de crédito, débito ou em dinheiro. Trabalhamos com as bandeiras Visa, Mastercard, Elo e Hipercard.

** Ao término do curso, você poderá solicitar sua declaração de participação pelo e-mail declaracao.cpf@sescsp.org.br
A declaração será encaminhada em até 30 dias

*** Havendo ainda disponibilidade de vagas para os cursos presenciais, as inscrições poderão ser feitas no dia do curso no Centro de Pesquisa e Formação.

O cancelamento poderá ser realizado com até 48 horas antes do início da atividade, por email: centrodepesquisa.cpf@sescsp.org.br

Palestrantes

Bruna Della Torre

Bruna Della Torre

Doutora em Sociologia, realizou pós-doutorado no Departamento de Teoria Literária e Literatura Comparada (USP). É pós-doutoranda no Departamento de Sociologia (Unicamp).
(Foto: Acervo Pessoal)

Data

09/02/2023 a 16/03/2023

Dias e Horários

Quintas, 19h às 21h30.

Exceto dia 23/2

Curso Presencial

Inscrições a partir das 14h do dia 26/1, até o dia 8/2.
Enquanto houver vagas.

Local

Rua Dr. Plínio Barreto, 285 - 4º andar
Bela Vista - São Paulo.

Valores

R$ 18,00 - credencial plena: trabalhador do comércio de bens, serviços e turismo matriculado no Sesc e dependentes
R$ 30,00 - pessoa com mais de 60 anos, pessoa com deficiência, estudante e professor da rede pública com comprovante
R$ 60,00 - inteira

Inscreva-se agora