Atividades

Nazistas no país do carnaval

Perspectivas
O Nazismo no Brasil

Voltar para o início O Nazismo no Brasil

Programa

A imagem do Brasil de democracia racial e país que recebe todos os imigrantes de braços abertos oculta uma face sombria de nosso passado e presente: a existência de brasileiros e estrangeiros nazistas em nosso território, alguns deles envolvidos diretamente com o Holocausto.

O presente ciclo abordará essa presença em diferentes momentos históricos.

10/6 - O Partido Nazista no Brasil
O Partido Nazista no Brasil estabeleceu suas bases nesse país entre 1928 e 1938, sendo o maior grupo em número de adeptos - de todos os partidos nazistas instauradas fora da Alemanha na época - com 2.900 integrantes. Durante dez anos, o partido desempenhou livremente suas atividades sem qualquer tipo de censura da parte do governo brasileiro, desde a propaganda política em jornais e comícios políticos passando pelo estabelecimento de instituições nazistas como a Juventude Nazista, a Associação de Mulheres Nazistas e a Frente de Trabalho Alemã. Nesses anos de funcionamento, houve um considerável incremento nas relações políticas entre o Brasil e Alemanha, com assinatura de diversos tratados comerciais e o incremento das relações diplomáticas para o nível de embaixada.
Com Ana Maria Dietrich.

17/6 - Criminosos de guerra nazistas no Brasil
O caso do ex-oficial nazista Gustav Wagner, dentre outros criminosos de guerra que se abrigaram no Brasil após a Segunda Guerra, enseja a discussão sobre o papel do Brasil na trajetória de alguns desses nazistas, que, na maioria dos casos, viveram o resto de seus dias sem serem incomodados nem pagarem por seus crimes. Há quem diga até mesmo que proteger nazistas era do interesse da ditadura brasileira, o que é altamente questionável. Como tudo o que diz respeito àquele período - nazismo, regime militar e Guerra Fria -, o destino dos ex-oficiais de Hitler depois da guerra envolve acaloradas discussões, o que demanda um olhar mais sereno e objetivo, especialmente quando se fala de Josef Mengele, o Anjo da Morte de Auschwitz, e de Fritz Stangl, responsável por 900 mil assassinatos em Treblinka, dois dos nazistas que escolheram o Brasil como lar.
Com Marcos Guterman.

24/6-Neonazismo na internet
A palestra apresentará uma experiência etnográfica de quinze anos acerca do neonazismo na Internet. A preocupação central desta discussão é, primeiramente, apresentar a atual configuração do movimento e os pontos centrais de seu discurso Algumas questões cruciais surgiram dessa análise: entre elas, serão abordadas a bidimensão (biológica e mitológica) da construção da narrativa neonazista; o mapeamento dos grupos neonazistas, oriundo do trabalho etnográfico, da observação do ódio como centro da vida social do ativismo e da noção de pessoa construída pelo movimento.
Com Adriana Dias.

As inscrições pela internet podem ser realizadas até um dia antes do início da atividade. Após esse período, caso ainda haja vagas, é possível se inscrever pessoalmente em todas as unidades. Após o início da atividade não é possível realizar inscrição.

Se você necessita de recursos de acessibilidade, como tradução em Libras, audiodescrição, entre outros, solicite por e-mail ou telefone, com até 48 horas de antecedência do início da atividade. centrodepesquisaeformacao@sescsp.org.br / 11 3254-5600

(Foto: Acervo Arquivo do Estado de São Paulo)

Palestrantes

Adriana Dias

Adriana Dias

Doutora e mestra em Antropologia Social pela Unicamp. É membro fundadora do Comitê "Deficiência e Acessibilidade" da Associação Brasileira de Antropologia. Coordenadora de pesquisa no Instituto Baresi e na ONG Essas Mulheres. É membro da  American Anthropological Association.
(Foto: Acervo Pessoal)

Ana Maria Dietrich

Ana Maria Dietrich

Doutora em História pela USP com período sanduíche pelo Centro de Estudos de Antissemitismo da Universidade Técnica de Berlim. Autora de "Nazismo Tropical" (Todas as Musas, 2012) e "Caça às Suásticas" (Imprensa Oficial, 2007). Atualmente é professora da UFABC.
(Foto: Acervo Pessoal)

Marcos Guterman

Marcos Guterman

Doutor em História pela USP, especializado em nazismo. É autor do livro "Nazistas Entre Nós" (Ed. Contexto), ganhador do Prêmio Jabuti 2017, categoria Reportagem (2º lugar). Desde 2012 atua como editorialista no jornal O Estado de S. Paulo.
(Foto: Acervo Pessoal)

Data

10/06/2019 a 24/06/2019

Dias e Horários

Segundas, 19h30 às 21h30.

As inscrições podem ser feitas a partir de 28 de Maio, às 14h, aqui no site do Centro de Pesquisa e Formação ou nas Unidades do Sesc em São Paulo.

Local

Rua Dr. Plínio Barreto, 285 - 4º andar
Bela Vista - São Paulo.

Valores

R$ 15,00 - credencial plena: trabalhador do comércio de bens, serviços e turismo matriculado no Sesc e dependentes
R$ 25,00 - pessoa com mais de 60 anos, pessoa com deficiência, estudante e professor da rede pública com comprovante
R$ 50,00 - inteira

Inscreva-se agora