Atividades

Espaços de lazer e conservação ambiental em São Paulo

Curso Presencial
Parques urbanos em São Paulo

Voltar para o início Parques urbanos em São Paulo

Programa

Esta atividade busca apresentar alguns parques urbanos em São Paulo e discutir o papel desses espaços, destacando as localizações e as vocações, as demandas sociais e usos públicos, as questões ambientais e serviços ecossistêmicos, a vegetação, drenagem urbana e a diversidade biológica, além da história, os projetos arquitetônico-paisagísticos e os desafios para gestão e manutenção.

Durante a atividade, visitaremos alguns parques da cidade de São Paulo e registraremos as múltiplas experiências nesses espaços.

O Centro de Pesquisa e Formação disponibilizará o transporte para os parques. O ônibus sairá às 13h da rua Dr. Plínio Barreto, nº 285, Bela Vista. Ao final da atividade, o ônibus retornará para o mesmo endereço.

Programa:

1. Apresentação

2. Parque da Água Branca
Muitos dos primeiros parques urbanos originam-se de jardins botânicos, criados para a reprodução e o intercâmbio de plantas. No caso do Parque da Água Branca, o mote da criação foram as exposições e o desenvolvimento da agropecuária. Os usos atuais são muito diversificados e o parque acolhe grande diversidade. Ainda que haja conflitos, é uma referência urbana de espaço vivo, que proporciona o contato com a história, flora, bichos e pessoas de tipos e origens diferentes.

3. Parque da Juventude
Parque urbano de porte, com projeto desenvolvido pela arquiteta paisagista Rosa Kliass, um expoente da profissão no país. A conversão da área em parque foi feita na sequência do massacre do Carandiru. Ele está dividido nos setores esportivo, contemplativo e cultural e faz divisa com áreas de moradia de diversos estratos sociais.  O desenho merece destaque pois é de fato um parque único, com desenho muito singular, sem equivalente no mundo. Nesta visita, seremos recebidos pelo arquiteto José Luiz Brenna, parceiro de Rosa Kliass no desenho do parque.

4. Parque Paraisópolis e Parque Burle Marx
O Parque Paraisópolis foi inaugurado em 2021 junto à comunidade de Paraisópolis recebeu projeto da equipe de Francine Sakata com a coordenação do corpo técnico da Secretaria do Verde e do Meio Ambiente do município. O Parque Burle Marx, no mesmo bairro, originou-se de um jardim de Burle Marx e foi convertido em parque público. É gerido, desde a sua criação, pela fundação Birmann. São dois temas ricos para reflexão: a experiência sensorial na obra de Burle Marx e o contraste urbano entre dois trechos do mesmo bairro.

5. Parque Villa Lobos e Parque Leopoldina Villas Boas
O Villa Lobos recebeu projeto moderno do arquiteto Decio Tozzi e é ponto de encontro de jovens e famílias. A estação de trem conectada ao parque é a estação de maior movimento nos finais de semana. Próximo a ele está um terreno destinado à parque - Parque Leopoldina Villas Boas - que já recebeu o projeto mas ainda não o teve implantado. Trata-se de uma área junto às marginais que já foi local de triagem de lixo e que hoje está esperando por destinação.

6. Parque do Jaraguá e Tekoá Ivy-Porã
O Parque do Jaraguá é, ao mesmo tempo, parque natural e urbano e terra indígena, mas os documentos legais que estabelecem essa dupla finalidade do território são contraditórios. A situação dos indígenas, sempre incerta, leva-os à necessidade de reinvenção a partir de valores tradicionais Guaranis, a fim de garantir a permanência na terra. Nesta visita, seremos recebidos pela liderança guarani e pela arquiteta Flavia Bueno, que desenvolveu mestrado sobre o Jaraguá.

7. Encerramento e apresentação dos registros

Recomendamos o uso de máscara cobrindo nariz e boca.

Para ingressar nas unidades do Sesc no estado de São Paulo é necessário apresentar comprovante de vacinação contra Covid-19 (físico ou digital) e um documento com foto:

- Maiores de 12 anos devem apresentar o comprovante contendo as duas doses ou dose única da vacina.

-Crianças de 5 a 11 anos devem apresentar comprovante evidenciando uma dose (consulte o calendário e as orientações do município onde acontecerá a atividade).

*O acesso as unidades do Sesc estão sujeitas a legislação municipal em relação a Covid-19.

Se você necessita de recursos de acessibilidade, como tradução em Libras, solicite pelo e-mail centrodepesquisa.cpf@sescsp.org.br, após a conclusão e efetivação do pagamento da sua inscrição, com até 48 horas de antecedência do início da atividade.

As inscrições podem ser feitas a partir das 14h do dia 28/4, aqui no site do Centro de Pesquisa e Formação do Sesc. Após o início da atividade não é possível realizar inscrição. O cadastro é pessoal e intransferível.

O pagamento dever ser feito através do cartão de crédito, e trabalhamos com as bandeiras Visa, Mastercard, Elo e Hipercard.

** A declaração será enviada automaticamente em até 10 dias após a finalização da atividade e caso isso não ocorra, você poderá solicitar pelo e-mail: declaracao.cpf@sescsp.org.br

*** Havendo ainda disponibilidade de vagas para os cursos presenciais, as inscrições poderão ser feitas no dia do curso no Centro de Pesquisa e Formação.

(Foto: Acervo Quapá)

Palestrantes

Ana Lucia Burjato de Faria

Ana Lucia Burjato de Faria

Doutoranda na FAU-USP. Professora na Universidade Mackenzie.  Desde 1988 arquiteta na Secretaria de Meio Ambiente do Estado de São Paulo - SMA, na assessoria técnica da Coordenadoria de Parques Urbanos.
(Foto: Acervo Pessoal)

Flávia Assumpção de Godoy Bueno

Flávia Assumpção de Godoy Bueno

Graduada em Arquitetura pela Columbia University de Nova York (2001) e Arquitetura e Urbanismo pelo Centro Universitário Belas Artes de São Paulo (2012). Pesquisadora do Núcleo de Estudos da Paisagem (NEP) e professora convidada da Escola da Cidade.
(Foto: Acervo Pessoal)

Francine Sakata

Francine Sakata

Arquiteta paisagista, doutora em Arquitetura e Urbanismo pela FAUUSP, autora dos livros "Parques Urbanos no Brasil" (com Silvio Macedo) e "Paisagismo Urbano - requalificação e criação de imagens" e professora da FAUUSP de 2018 a 2021. Pesquisadora do Laboratório Quapá-SEL.
(Foto: Acervo Pessoal)

José Luiz Brenna

José Luiz Brenna

Arquiteto e paisagista. Titular da SOMA Arquitetos, integrou a equipe de Rosa Kliass e é co-autor do projeto do Parque da Juventude.
(Foto: Acervo Pessoal)

Jurandir Jekupe

Jurandir Jekupe

Liderança do Tekoá Ivy Porã.
(Foto: Acervo Pessoal)

Marcio Boggarim

Marcio Boggarim

Liderança do Tekoá Ivy Porã.
(Foto: Acervo Pessoal)

Data

13/05/2022 a 01/07/2022

Dias e Horários

13/5 e 1/7 - Sextas, 15h às 17h30.

20/5 a 24/6 - Sextas, 13h às 17h30.

Curso Presencial

Inscrições a partir das 14h do dia 28/4, até o dia 13/5.
Enquanto houver vagas.

Local

Rua Dr. Plínio Barreto, 285 - 4º andar
Bela Vista - São Paulo.

Valores

R$ 24,00 - credencial plena: trabalhador do comércio de bens, serviços e turismo matriculado no Sesc e dependentes
R$ 40,00 - pessoa com mais de 60 anos, pessoa com deficiência, estudante e professor da rede pública com comprovante
R$ 80,00 - inteira