Atividades

Vivenciar a produção de um programa de rádio com transmissão online junto da rádio Libertadora do Capão

Contextos
Práticas de fazer-cidade com a Rádio Libertadora do Capão Redondo

Voltar para o início Práticas de fazer-cidade com a Rádio Libertadora do Capão Redondo

Programa

A rádio Libertadora do Capão convida os participantes desta atividade a vivenciar a preparação e produção de um programa de rádio com transmissão online (e gravação podcast), experimentando desde a montagem dos equipamentos e chegando até a produção radiofônica.

Do ponto de vista do conteúdo, nossa rádio vai propor que os participantes se engajem em torno de temas da(s) cidade(s) que habitamos e suas (im)possibilidades. Pensar a rádio como um dispositivo de fazer-cidade, um território construído no cruzamento entre frequências, tecnologia, infraestruturas autônomas e novas possibilidades de conexão.

O programa de rádio poderá ser composto por conversas, debates e entrevistas ao vivo, músicas, poesias e pequenas apresentações. Deve utilizar os saberes e as tecnologias disponibilizadas, construídas e recicladas por cada um dos participantes presentes.

A atividade busca compor uma breve vivência de um conjunto de práticas existentes em diferentes rádios livres. O produto final da atividade depende do envolvimento, disposição e aprendizado ativo de seus participantes.

Desta forma, busca recompor e mimetizar o ambiente aberto, as vivências e as experiências presentes na rádio Libertadora do Capão, construída e reconstruída no bairro do Capão Redondo na zona sul de São Paulo. Queremos também abrir algumas brechas para pensar práticas de fazer-cidade a partir da autonomia técnica.

A Rádio Libertadora do Capão surgiu em 2017, fruto da luta dos e das trabalhadoras sem-teto.

A rádio foi gestada inicialmente como uma rádio poste e funcionava principalmente aos sábados, enquanto aconteciam as enormes assembleias do movimento e as cozinhas da ocupação estavam a todo vapor.

Neste mesmo ano, além da produção radial ao vivo, foram realizadas diversas atividades, tais como a oficina de radionovela, a produção de vídeos sobre os campeonatos de futebol de várzea (incluindo a cobertura de finais de campeonato), e a cobertura da festa junina do movimento.

Uma nova fase da rádio foi iniciada após o término vitorioso da ocupação sem-teto. Tendo em vista a iminente construção dos prédios de habitação popular, o estúdio da rádio teve de ser deslocado e inteiramente reconstruído.

Os e as compas decidiram então reerguer e ampliar o "barraco-estúdio", para que novas atividades pudessem ser comportadas. Logo nas primeiras atividades de 2019, a construção coletiva de uma rede comunitária, capaz de conectar o estúdio à internet por meio de wi-fi, empolgou os participantes da rádio.

A possibilidade de transmissão online, parecia abrir novos caminhos para a rádio.
No entanto, um incêndio devastador em 24 de janeiro fez com que a maior parte dos esforços de seus integrantes fossem destinados à reconstrução de um estúdio.

As inscrições pela internet podem ser realizadas até um dia antes do início da atividade. Após esse período, caso ainda haja vagas, é possível se inscrever pessoalmente em todas as unidades. Após o início da atividade não é possível realizar inscrição.

Se você necessita de recursos de acessibilidade, como tradução em Libras, audiodescrição, entre outros, solicite por e-mail ou telefone, com até 48 horas de antecedência do início da atividade. centrodepesquisaeformacao@sescsp.org.br / 11 3254-5600

(Foto: Ra?dio Libertadora Capa?o Redondo)

Palestrantes

Alana Moraes

Alana Moraes

É doutoranda em antropologia pela UFRJ. Interessada em cosmopolíticas subalternas. Militante feminista e das ruas.
(Foto: Acervo Pessoal)

Bruna Zanolli

Bruna Zanolli

É comunicadora popular e atua com tecnologias livres e interseccionalidades. Atualmente é fellow na Mozilla Foundation com foco em Redes Comunitárias, juntamente a Artigo 19 Brasil. Faz parte das vedetas.org e da Rede Transfeminista de Treinadoras de Segurança Digital.
(Foto: Acervo Pessoal)

Diogo Geo

Diogo Geo

É geógrafo, pesquisador em educação e em tecnologias livres. Colaborou em diferentes projetos de rádio e de tecnologias livres e populares.
(Foto: Acervo Pessoal)

Nildo Reggae

Nildo Reggae

É baiano acolhido pelo Capão Redondo desde sua chegada em São Paulo, transformou as diferentes questões do bairro em sua luta cotidiana. Desde sua primeira experiência com rádio, passou a divulgar os eventos culturais, as diferentes temáticas da região e, principalmente, a palavra de seus ouvintes.
(Foto: Acervo Pessoal)

Data

06/06/2019 a 06/06/2019

Dias e Horários

Quinta, 14h às 18h.

As inscrições podem ser feitas a partir de 28 de Maio, às 14h, aqui no site do Centro de Pesquisa e Formação ou nas Unidades do Sesc em São Paulo.

Local

Rua Dr. Plínio Barreto, 285 - 4º andar
Bela Vista - São Paulo.

Valores

R$ 4,50 - credencial plena: trabalhador do comércio de bens, serviços e turismo matriculado no Sesc e dependentes
R$ 7,50 - pessoa com mais de 60 anos, pessoa com deficiência, estudante e professor da rede pública com comprovante
R$ 15,00 - inteira