Atividades

Como se dá a circulação e exposição de práticas artísticas desde os anos 1960 até nossos dias

Contextos
Re-apresentar, cohabitar Práticas artísticas contemporâneas, museus e exposições

Voltar para o início Re-apresentar, cohabitar Práticas artísticas contemporâneas, museus e exposições

Programa

O curso abordará, por meio de apresentação de obras de artistas contemporâneos e de programas de museus que se propuseram a trabalhar com a arte de seu tempo, as seguintes questões: O que são práticas artísticas contemporâneas? Se a presença e/ou a ação do artista passam a ser obra de arte, como coleciona-las em museus? Sobretudo, como re-apresentar obras de arte que não se baseiam apenas em objetos, de forma potente no presente? Como se dá a circulação e exposição de práticas artísticas, muitas vezes sem um corpo definido materialmente, desde os anos 1960?

Finalmente, como pensar a subjetividade contemporânea em tempos de coabitação e destruição acelerada do planeta, por meio de algumas práticas artísticas?

As aulas consistem na apresentação da obra de alguns artistas em sua complexidade - incluindo filmes, imagens, textos dos artistas, exposições -, e pretendem tecer relações entre tais produções e as diferentes formas de trazê-las a público. Haverá uma breve bibliografia com textos de artistas e/ou pensamento filosófico/crítico relacionado a cada encontro, a ser discutido e aprofundado em aula.

Se por um lado, a produção artística parece ter passado do objeto autônomo para relações entre diferentes contextos, deslocamentos e objetos, por outro testemunhamos um sistema da arte cada vez mais estruturado na ideia de arte como objeto - vendável, colecionável-, assim como em um formato padrão de exposição de arte que reproduz infinitamente aquele criado pelo Museu de Arte Moderna de Nova York em 1929.

Como acolher a produção efêmera, impalpável, não-museológica da arte dos últimos 60 anos é tema relevante e atual no nosso contexto.

Aula 1: The Power of Display: Formas de escrever histórias da arte no século XX por meio da montagem de exposições e arquitetura de museus.
Tópicos/artistas: Hannover Landsmuseum, Alemanha, sob a direção de Alexander Dorner (1922 a 1936); El Lissitzky: Abstract Cabinet (1927-1928); Laszlo Moholy-Nagy: The Room of Our Time (c. 1930); The Museum of Modern Art - MoMA, Nova York, sob direção de Alfred Barr (inaugurado em 1929); Herbert Bayer.

Aula 2: Como re-apresentar obras de arte que não se baseiam apenas em objetos, de forma potente no presente?
Tópicos/ artistas: Lygia Clark, trajetória da artista; Lygia Clark, arquivo para uma obra-acontecimento - projeto de ativação da memória corporal de uma trajetória artística e seu contexto, arquivo de entrevistas realizado por Suely Rolnik, 2002-10.

Aula 3: Inserções em circuitos ideológicos: Produção, circulação e recepção de práticas artísticas sob regimes ditatoriais da guerra fria (1960/1970).
Tópicos/artistas: Museu de Arte Contemporânea da Universidade de São Paulo - MAC USP, sob direção de Walter Zanini (1963-1978); mail art [arte postal]; Antoni Muntadas; Cildo Meireles; Ulisses Carrión; Regina Silveira; Information - exposição no Museu de Arte Moderna de Nova York, 1970 (Adrian Piper; On Kawara; Joseph Kosuth; Hans Hacke; Robert Barry; Cildo Meireles - "Cruzeiro do Sul"); galerias de artistas nos anos 1960 e 1970.

Aula 4: Sobre os filmes de Yael Bartana, novas subjetividades em tempos de coabitação.
Tópicos/artistas: Yael Bartana; Melik Ohanián; Bruno Latour; Armin Linke; Martin Gusinde, Patricio Guzman. Assistiremos um filme da artista Israelense Yael Bartana e pensaremos a ideia de cohabitação de Bruno Latour, a partir de filmes e exposições da alguns artistas apresentados.

As inscrições pela internet podem ser realizadas até um dia antes do início da atividade. Após esse período, caso ainda haja vagas, é possível se inscrever pessoalmente em todas as unidades. Após o início da atividade não é possível realizar inscrição. O cadastro é pessoal e intransferível.

Se você necessita de recursos de acessibilidade, como tradução em Libras, audiodescrição, entre outros, solicite por e-mail ou telefone, com até 48 horas de antecedência do início da atividade. centrodepesquisaeformacao@sescsp.org.br / 11 3254-5600

(Foto: Armin Linke)

Palestrantes

Ana Paula Cohen

Ana Paula Cohen

Curadora independente, editora e escritora. Foi curadora residente do Center for Curatorial Studies – CCS, Nova York, co-curadora da 28ª Bienal de São Paulo e co-curadora do Encuentro Internacional de Medellín, na Colômbia. Atualmente é coordenadora da Pós-graduação em Estudos e Práticas Curatoriais, FAAP, e doutoranda no Núcleo de Estudos da Subjetividade, PUC-SP.
(Foto: Acervo Pessoal)

Data

19/11/2019 a 10/12/2019

Dias e Horários

Terças, 10h às 13h.

As inscrições podem ser feitas a partir de 29 de outubro, às 14h, aqui no site do Centro de Pesquisa e Formação ou nas Unidades do Sesc em São Paulo.

Local

Rua Dr. Plínio Barreto, 285 - 4º andar
Bela Vista - São Paulo.

Valores

R$ 18,00 - credencial plena: trabalhador do comércio de bens, serviços e turismo matriculado no Sesc e dependentes
R$ 30,00 - pessoa com mais de 60 anos, pessoa com deficiência, estudante e professor da rede pública com comprovante
R$ 60,00 - inteira

Inscreva-se agora