Atividades

Arte e pessoas com deficiência

Curso On-Line
Suturando histórias mal contadas: cultura visual, arte e pessoas com deficiência

Voltar para o início Suturando histórias mal contadas: cultura visual, arte e pessoas com deficiência

Programa

Partindo da necessidade de ir contra uma perspectiva/lógica, normativa, bípede
como diz o performer e artista Edu O. Uma lógica que tem segregado artistas com deficiência a eventos e datas específicas. Esse ciclo de encontros busca trilhar encruzilhadas que partam do reconhecimento de que corpas dissidentes, pessoas com def. (deficiência) são produtoras de conhecimento, informação e arte. Para compreender os caminhos que levaram as corpas com deficiência a serem sinônimos de corpas ineficientes, incapazes e ainda outros tantos estigmas que foram instituídos pela cultura visual e alimentados pelas artes, vamos encruzilhar momentos da história da arte com a história de artistas com def. e desse movimento social.

Juntos, vamos pensar: Como a arte vem segregando e apagando identidades de artistas com deficiência? Como hoje artistas contemporâneos com deficiência buscam a retomada de sua história e ancestralidade? Quantos artistas visuais com deficiência são suas referências? O que ainda precisa ser suturado em nossa história?

Construir esses espaços de encontros, é alinhavar tessituras de resistências de
corpas com def. com suas histórias e ancestralidades. É um convite para um ato contra-corrente, de suturar feridas em uma estrutura, cis, hétero, branca, normativa, sem deficiência, magra e simétrica.

Aula 1 - O movimento segregado dos outros
Descrição: Com o intuito de compreendermos a ancestralidade das pessoas com def. Esse encontro tem o foco na história do movimento social das pessoas com deficiência:
1 - O movimento Segregado dos outros;
2 - Como eram retratadas as pessoas com deficiência no decorrer da história da
arte? -Como fomos e somos retratados e reconhecidos no decorrer dos anos desde Hieroglifos até hoje na televisão e publicidades.
3- Assentamento: momento de partilha de percepções sobre o que foi apresentado.

Aula 2 - Encruzilhadas do anti-capacitismo.
Descrição: Habitar incertezas e encruzilhadas é o caminho para a compreensão da luta anti-capacitista, para isso precisamos agora nos aproximar de alguns conceitos:
1- Cripface, independência vs dependência, representatividade, objetificação,
apropriação e humanização do capital.
2- Assentamos esses conceitos com uma leitura conjunta, habitando uma
encruzilhada do tempo: Leitura dos trabalhos de Diane Arbus da década de 60 e entendendo como sistema normativo o demarcou, encruzilhando com o trabalho
de Hsu Che-Yu, Single copy - (cópia única) de 2019, presente recentemente na
34ª Bienal.

Aula 3 - Do barroco ao contemporâneo no Brasil.
Descrição: Do barroco ao contemporâneo. Vamos pensar juntes sobre a trajetória de alguns artistas e como a estrutura da história da arte os reconhece.
1- O convite é para um olhar anticapacitista sobre a trajetória de artistas como:
Antonio Francisco Lisboa, Anita Malffati, Bispo do Rosário e Nazaré Pacheco.
2- Assentamento: momento de partilha de percepções sobre o que foi
apresentado.

Aula 4 - Retomada e reparação:
Descrição: Retomada e reparação. Como a arte tem sido utilizada como meio de
produção e reflexão, por uma cultura não simétrica, não normativa, com deficiência?
1- Um percurso por uma lista de artistas contemporâneos com deficiência.
2- Aliades e o conceito de interdependência: Quais seriam os caminhos para
pensarmos com aliades as alternativas de reparação para sanar as
desigualdades que estamos submetides?

Obs: O participante precisa ter celular e computador e conhecer os princípios básicos para uso desses equipamentos. Após a conclusão da sua inscrição on-line na atividade e/ ou curso, você receberá por e-mail um link de acesso à Plataforma Microsoft Teams, onde será realizada a atividade e/ou curso, com até 1 (um) dia de antecedência da data de início. O acesso também poderá ser realizado através do web navegador de sua preferência.

Se você necessita de recursos de acessibilidade, como tradução em Libras, solicite pelo e-mail centrodepesquisa.cpf@sescsp.org.br, após a conclusão e efetivação do pagamento da sua inscrição, com até 48 horas de antecedência do início da atividade.

Os encontros em ambiente on-line não são gravados, não sendo disponibilizados seus registros para posterior visualização.

As inscrições podem ser feitas a partir das 14h do dia 5/1, aqui no site do Centro de Pesquisa e Formação do Sesc. Após o início da atividade não é possível realizar inscrição. O cadastro é pessoal e intransferível.

O pagamento dever ser feito através do cartão de crédito, e trabalhamos com as bandeiras Visa, Mastercard, Elo e Hipercard.

*Este curso será 100% Online. A declaração será enviada automaticamente em até 10 dias após a finalização da atividade e caso isso não ocorra, você poderá solicitar pelo e-mail: declaracao.cpf@sescsp.org.br

(Arte: Walter Cruz)

Palestrantes

Desiree Helissa

Desiree Helissa

Graduada em Artes Visuais, artista-bordadeira e educadora. Recentemente, atuou na equipe de conservação de acervo e na organização de formações em acessibilidade no Espaço de Leitura, projeto idealizado por Tatiana Fraga, foi Artista Orientadora do Programa Vocacional da edição 2021. Fundadora do Coletivo Filomena, integrante do Coletivo Feminista Helen Keller de mulheres com deficiência.
(Foto: Gabriel Bratti)

Data

19/01/2022 a 28/01/2022

Dias e Horários

Quartas e Sextas, 19h às 21h.

Curso On-line
Inscrições a partir das 14h do dia 5/1, até o dia 17/1.
Enquanto houver vagas.

Local

Plataforma Microsoft Teams

Valores

R$ 15,00 - credencial plena: trabalhador do comércio de bens, serviços e turismo matriculado no Sesc e dependentes
R$ 25,00 - pessoa com mais de 60 anos, pessoa com deficiência, estudante e professor da rede pública com comprovante
R$ 50,00 - inteira

Inscreva-se agora