Atividades

A busca por um patrimônio compartilhado

Gestão Cultural
Viver o Centro Histórico de Quito

Voltar para o início Viver o Centro Histórico de Quito

Programa

Como é viver e trabalhar em um centro histórico como Quito? Desde o vínculo emocional e a visão estreita da vida cotidiana como habitantes, até o envolvimento profissional nos processos de corresponsabilidade cidadã, gestão público-privada, construção de consenso, intervenções de ativação de bairro ou reabilitação física.

A ação arquitetônica que transforma um patrimônio que acompanha o ritmo das mudanças sociais.

A cidade histórica deve ser preservada como um exemplo de organização bem-sucedida, que sobreviveu graças à sua eficiência e capacidade de se adaptar ao longo do tempo às mudanças nos critérios de habitabilidade.

O centro histórico como uma oportunidade de reorganização em direção a uma cidade sustentável com intenso uso social.

As inscrições pela internet podem ser realizadas até um dia antes do início da atividade. Após esse período, caso ainda haja vagas, é possível se inscrever pessoalmente em todas as unidades. Após o início da atividade não é possível realizar inscrição. O cadastro é pessoal e intransferível.

Se você necessita de recursos de acessibilidade, como tradução em Libras, audiodescrição, entre outros, solicite por e-mail ou telefone, com até 48 horas de antecedência do início da atividade. centrodepesquisaeformacao@sescsp.org.br / 11 3254-5600

(Foto: Angel M. Felicisimo)

Palestrantes

José María Sáez

José María Sáez

Arquiteto pela Universidade Politécnica de Madri, especialista em arquitetura ambiental e bioclimática e especialista em condicionamento e instalações em reabilitação. Iniciou sua carreira como professor da Faculdade de Arquitetura e Design da Pontifícia Universidade Católica de Quito. No PUCE, foi diretor de vários cursos de pós-graduação e diretor do curso de Arquitetura. Recebeu 1º lugar no Concurso Utopías para Quito (2001), em colaboração com Handel Guayasamín e o Workshop Experimental, com o tema "Uma entrada para Quito", e o Prêmio Nacional, Categoria A, Projeto Arquitetônico da XVII Bienal de Arquitetura de Quito, com a Casa de Los Algarrobos, Quito 2012, entre outros.
(Foto: Divulgação Escola da Cidade)

Mónica Moreira

Mónica Moreira

Arquiteta equatoriana especializada em políticas e gestão de centros históricos. Especialista em arquitetura e ambiente bioclimático pela Universidade Politécnica de Madri. Possui diploma em políticas e gestão de centros históricos e em desenvolvimento cultural e gestão de centros históricos na FLACSO-Equador. Foi co-fundadora e coordenadora do Fórum da Cidade da Faculdade de Arquitetos do Equador. Fez parte da equipe do Primeiro Plano Diretor de Reabilitação das Áreas Históricas de Quito. Foi chefe da equipe de Turismo do Plano de Reabilitação de Potosí Bolívia, e consultora dos Planos Sucre e Chiquitanía Boliviana.
(Foto: Divulgação Escola da Cidade)

Data

13/11/2019 a 13/11/2019

Dias e Horários

Quarta, 15h às 17h.

Local

Rua Dr. Plínio Barreto, 285 - 4º andar
Bela Vista - São Paulo.

Valores

R$ 4,50 - credencial plena: trabalhador do comércio de bens, serviços e turismo matriculado no Sesc e dependentes
R$ 7,50 - pessoa com mais de 60 anos, pessoa com deficiência, estudante e professor da rede pública com comprovante
R$ 15,00 - inteira

Inscreva-se agora