Atividades

Sobre refugiados e migrantes

Contextos
A psicanálise no campo do desterro

Voltar para o início A psicanálise no campo do desterro

Programa

Condições especiais de atendimento, como tradução em libras, devem ser informadas por email ou telefone, com até 48 horas de antecedência do início da atividade.
centrodepesquisaeformacao@sescsp.org.br / 11 3254-5600

Tem como objetivo iluminar o campo sombrio do desterro e refletir sobre a crise social e psíquica que emerge a partir dos movimentos migratórios.  Pretende ainda compreender os sofrimentos causados pelo deslocamento forçado por violência e pela migração de modo a promover reflexão sobre as diversas maneiras de reconhecer, incluir ou excluir o outro.

Desorganização psíquica e isolamento social são marcas profundas, traumáticas, de difícil superação. Abordar o preconceito, a exploração e a perda de referências psíquicas e sociais que emergem das situações de deslocamento populacional e desenraizamento se faz necessário. Mapear aspectos da vulnerabilidade e exclusão social para avançar na compreensão do racismo e desigualdade, além de tocar nas raízes históricas da construção da identidade brasileira, é um passo importante, pois na perspectiva psicanalítica conhecer e investigar são formas de curar e cuidar.

Programação
11/08
Debate: Os sem lugar no mundo e a solidão.
Conversa sobre a imigração forçada por violência, a migração e a desorganização psíquica subsequente ao desterro e ao isolamento. Luto, melancolia, esvaziamento psíquico, desamparo, culpa e vergonha; bem como a reorganização psíquica, a recuperação da memória e da narrativa para tecer novos laços pessoais e sociais.

Palestra 1 - Imigrantes e refugiados: trajetórias de articulação entre desejo e política.
Com Miriam Debieux Rosa.

Palestra 2 - Desenraizamento e solidão na migração e no exílio: por uma escuta transformativa.
Com Bernardo Tanis.
Mediação: Luciana Saddi.

18/08
Debate: Os migrantes: Deslocamentos e paralisias
Abordar os sofrimentos que emergem do preconceito, da exploração e da perda de referências psíquicas e sociais dos migrantes. Discutir as dificuldades na inserção urbana, no mercado de trabalho e na educação de adultos e crianças migrantes, moradores das franjas da cidade, bem como examinar a confusão de referências - o choque entre culturas diversas - do educador em relação ao migrante de zonas rurais são os objetivos desse debate.

Pretendemos mapear aspectos da vulnerabilidade e exclusão social para avançar na compreensão do racismos e desigualdade, além de tocar nas raízes históricas da construção da identidade brasileira. 

Palestra 1 - A educação escolar de adultos migrantes: deslocamentos do educador.
Com Fernando Frochtengarten.

Palestra 2 - Exílio na Cidade: Algumas reflexões.
Com Silvia Maia Bracco.
Mediação: Leda Maria Codeço Barone.

As inscrições pela internet podem ser realizadas até um dia antes do início da atividade. Após esse período, caso ainda haja vagas, é possível se inscrever pessoalmente em todas as unidades. Após o início da atividade não é possível realizar inscrição.

Palestrantes

Miriam Debieux Rosa

Miriam Debieux Rosa

Livre-docente do Instituto de Psicologia da USP, coordenadora do Laboratório Psicanálise e Sociedade.  Prof. Titular do Programa de Psicologia Social da PUC-SP. Coordenadora do Grupo Veredas Psicanálise e Imigração. Psicanalista.
(Foto: Acervo Pessoal)

Bernardo Tanis

Bernardo Tanis

Presidente da SBPSP, doutor pelo Núcleo de Psicanálise da PUC-SP. Membro efetivo da SBPSP e docente do Instituto de Psicanálise. Diretor de Comunidade e Cultura da FEPAL (2008-9).
(Foto: Acervo Pessoal)

Luciana Saddi

Luciana Saddi

Psicanalista, membro efetivo da Sociedade Brasileira de Psicanálise (SP), mestre em Psicologia Clínica pela PUC-SP.
(Foto: Acervo Pessoal)

Fernando Frochtengarten

Fernando Frochtengarten

Doutor em Psicologia Social, coordenador dos Cursos Noturnos do Colégio Santa Cruz (São Paulo). Autor de "Memórias de vida, memórias de guerra" (Perspectiva/FAPESP) e "Caminhando sobre fronteiras" (Summus).
(Foto: Acervo Pessoal)

Silvia Maia Bracco

Silvia Maia Bracco

Membro associado da Sociedade Brasileira de Psicanálise de São Paulo, SBPSP. Mestre em Psicologia Clínica pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, PUCSP. Coordenadora da área de saúde do Ateliê Acaia.
(Foto: Acervo Pessoal)

Leda Maria Codeço Barone

Leda Maria Codeço Barone

Doutorado em Psicologia Escolar pelo Instituto de Psicologia da Universidade de São Paulo.

Data

11/08/2017 a 18/08/2017

Dias e Horários

Sextas, 14h às 17h

As inscrições podem ser feitas a partir de 25 de julho às 14h, aqui no site do Centro de Pesquisa e Formação ou nas Unidades do Sesc em São Paulo.

Local

Rua Dr. Plínio Barreto, 285 - 4º andar
Bela Vista - São Paulo.

Valores

R$ 15,00 - credencial plena: trabalhador do comércio de bens, serviços e turismo matriculado no Sesc e dependentes
R$ 25,00 - pessoa com mais de 60 anos, pessoa com deficiência, estudante e professor da rede pública com comprovante
R$ 50,00 - inteira