Atividades

Trajetória da obra de Guimarães Rosa pelo sertão

Em Debate: Os Sertões de Guimarães Rosa
As Dobras do texto na Obra de Guimarães Rosa

Voltar para o início As Dobras do texto na Obra de Guimarães Rosa

Programa

A pesquisa de doutorado "As dobras do texto - trajetória da obra de Guimarães Rosa pelo sertão", de Elizabeth Ziani, estrutura-se a partir de experiências com a literatura de Guimarães Rosa no sertão de Minas Gerais e ressalta aspectos do retorno da sua obra a determinadas localidades, constituindo o que ela define como Território Literário. Alguns aspectos contribuíram nesse processo: representação do real na obra; recepção da obra geradora de ações em torno da leitura; adaptações da obra em outras linguagens.

Na perspectiva de observar o percurso da obra pelo sertão, são abordados projetos artísticos e pesquisas que mostram o texto como mobilizador de vivências no sertão real. Destaca-se a expedição Os Loucos por Rosa (1995) como o início de um projeto coletivo em Cordisburgo, Morro da Garça e Andrequicé/Três Marias, cidades de referência na vida e obra do escritor e a partir dela as iniciativas que se firmaram nesses locais: semana culturais; narração de textos literários de cor; o bordado; pintura. 

As adaptações do texto para a narração oral são apresentadas pelos projetos Contadores de Estórias Miguilim e Caminhos do Sertão, ambos desenvolvidos em Cordisburgo/MG. Na recriação da obra em imagem destacam-se os projetos artísticos: na pintura, o trabalho do artista plástico José Murilo; no bordado, experiências coletivas nas cidades, mostrando técnicas e métodos utilizados.

Nessa perspectiva, a proposição de Território Literário firma-se nos caminhos da obra entre espaço, sons, imagem e várias outras ações literárias, que resultaram na valorização da cultura local e na relação estabelecida pelas comunidades com seu Território, revitalizado a partir da literatura.

Esta palestra abordará diálogos interartísticos entre texto e imagens (pintura e bordado); texto e som (literatura narrada de cor) e ressaltará aspectos da recepção e difusão da obra de João Guimarães Rosa pelo sertão.

As inscrições pela internet podem ser realizadas até um dia antes do início da atividade. Após esse período, caso ainda haja vagas, é possível se inscrever pessoalmente em todas as unidades. Após o início da atividade não é possível realizar inscrição.

Se você necessita de recursos de acessibilidade, como tradução em Libras, audiodescrição, entre outros, solicite por e-mail ou telefone, com até 48 horas de antecedência do início da atividade. centrodepesquisaeformacao@sescsp.org.br / 11 3254-5600

(Foto: Elizabeth Ziani)

Palestrantes

Elizabeth Maria Ziani

Elizabeth Maria Ziani

Professora e pesquisadora nas áreas de literatura e memória. Doutora em Estudos Comparados pela USP. Desenvolve projetos culturais e educacionais em cidades relacionadas à vida e à obra de Guimarães Rosa (Cordisburgo/Morro da Garça/Andrequicé). Curadora de projetos e exposições, como: "Do Danúbio ao São Francisco - Guimarães Rosa para todos" (SP), "Brasil Fio a Fio" (SP), entre outros. Dirigiu o documentário: Conto o que vi, o que não vi, não conto.
(Foto: Acervo Pessoal)

Data

14/11/2018 a 14/11/2018

Dias e Horários

Quarta, 19h30 às 21h30.

As inscrições podem ser feitas a partir de 25 de Outubro, às 14h, aqui no site do Centro de Pesquisa e Formação ou nas Unidades do Sesc em São Paulo.

Local

Rua Dr. Plínio Barreto, 285 - 4º andar
Bela Vista - São Paulo.

Valores

R$ 4,50 - credencial plena: trabalhador do comércio de bens, serviços e turismo matriculado no Sesc e dependentes
R$ 7,50 - pessoa com mais de 60 anos, pessoa com deficiência, estudante e professor da rede pública com comprovante
R$ 15,00 - inteira