Atividades

Cultura e Identidade

Percursos Urbanos
Comunidades e espaços balcânicos em São Paulo

Voltar para o início Comunidades e espaços balcânicos em São Paulo

Programa

Condições especiais de atendimento, como tradução em libras, devem ser informadas por email ou telefone, com até 48 horas de antecedência do início da atividade.
centrodepesquisaeformacao@sescsp.org.br / 11 3254-5600

Ciclo aborda a história e a participação das comunidades de origem balcânica na formação de São Paulo, apontando para as tradições culturais e os múltiplos espaços identitários na cidade.

05/06 - 19h30 às 21h30: Oficina sobre canções étnicas croatas
O objetivo desta oficina é mostrar um pouco da história e da cultura da Ístria e suas relações com o passado e com o presente, por meio do uso de dialetos regionais.
Com Elis Lovric e Magda Dourado Pucci.

*Com tradução consecutiva.

07/06 - 19h30 às 21h30: Quem são os sérvios? Um pouco de História, arte e cultura
A apresentação objetiva expor, de modo breve, a origem, identidade, cultura e História desse pequeno povo da Europa Centro-Oriental e que possui uma pequena comunidade no Brasil também.
Com Aleksandar Jovanovic.


10/06 - 14h às 17h: Visita ao clube SADA e roteiro dos imigrantes
Nos anos 1930 e 1940, o bairro do Belém, em seu trecho situado entre as igrejas de São José do Belém e de São Paulo Apóstolo, havia numerosas famílias imigrantes da Antiga Iugoslávia. Em 1959 foi inaugurada, no bairro do Belém, a sede da Sociedade Amigos da Iugoslávia – hoje Sociedade Amigos da Dalmácia.
Atualmente, a associação cultural se dedica a preservação e divulgação da cultura croata por meio do Grupo de Danças Folclóricas Jadran, do curso de croata, de encontros mensais sobre a cultura croata, do projeto Memória Dálmata, que visa digitalizar todo o acervo referente à imigração e de seus famosos almoços típicos de gastronomia croata.

Durante a visita, será apresentada a Feira do Leste Europeu. Promovida pela Associação dos Moradores da Vila Zelina (AMOVIZA) é um evento  mensal comunitário do bairro de Vila Zelina e adjacências - Distrito de Vila Prudente, região com aspecto cultural forte da imigração do Leste Europeu, com oferta da culinária e artesanato típico das comunidades de imigrantes e descendentes de imigrantes do Centro e do Leste Europeu que formaram a cultura desta região como os armênios, bielorrussos, búlgaros, croatas, eslovacos, eslovenos, estonianos, húngaros, letões, lituanos, poloneses, romenos, russos, tchecos e ucranianos.

Roteiro afetivo dos imigrantes croatas
Durante a primeira metade do século XX, imigrantes italianos, portugueses, espanhóis e também muitos croatas de origem dálmata fixaram residência ao redor das antigas indústrias têxteis. Os dálmatas, provenientes de Blato e Vela Luka acabaram reproduzindo nos bairros da Mooca e do Belenzinho - suas aldeias de origem.

Ainda hoje é possível reconhecer nesses bairros alguns marcos importantes, ainda desconhecidos da maioria dos paulistanos, um pouco da história dessa numerosa comunidade.
Este passeio busca resgatar um pouco da memória destes imigrantes, percorrendo as ruas, construções, e monumentos que fizeram parte de sua história, que se confunde com a própria história desses bairros. O percurso será feito em ônibus, partindo do Centro de Pesquisa e Formação do Sesc em São Paulo percorrendo as ruas dos bairros da Mooca e do Belenzinho que tenham sido cenário da história desses imigrantes.
Com Katia Gavranich e Victor Gers Jr.

12/06 - 19h30 às 21h30: A imigração da ex-Iugoslávia para o Brasil: camponeses da Dalmácia
O tema abordará a imigração da ex-Iugoslávia para o Brasil nos seus aspectos gerais, mas o enfoque principal será uma reflexão sobre um grupo de camponeses que, em 1925, saiu de duas Aldeias: Blato e Vela Luka para se fixar nas fazendas de café em vários município do Estado de São Paulo.
Com Norma Marinovic Doro.

14/06 - 19h30 às 21h30: Aproximações entre Brasil e Eslovênia
Os primeiros registros de imigrações eslovenas no Brasil datam do ano de 1890. Desde então, houve vários períodos imigratórios devido a motivos econômicos, político-religiosos ou devido a casamentos de cidadãos eslovenos com cidadãos brasileiros nativos. A União dos Eslovenos do Brasil (UEB) foi fundada em 1991 como uma associação da comunidade eslovena e seus amigos a fim de promover e divulgar a cultura eslovena entre todos os seus compatriotas, descendentes e outras pessoas interessadas, no sentido mais amplo.

Os intercâmbios culturais entre os dois países cresceram nos últimos anos. A publicação do livro A Terra e o seu entorno. História da Eslovênia, no Brasil, pela FUNAG, e da História do Brasil na Eslovênia, pelo ZRC SAZU (Centro de Pesquisa da Academia Eslovena de Ciências e Artes) faz parte de um projeto de longo alcance. A tradução dos livros, destinados a despertar o interesse recíproco e contribuir para realizar o potencial das relações entre o Brasil e a Eslovênia, é fruto da assinatura de um Protocolo de Intenções com o objetivo de estabelecer cooperação técnico-científica e cultural no campo das relações internacionais entre os dois países.
Com Anja Mrak e Barbara Juršic.

19/06 - 19h30 às 21h30: Minorias balcânicas
Uma das menores comunidades judaicas da Europa no começo do século XX, a da antiga Iugoslávia, foi uma das que mais sofreu com o Holocausto Nazista. Quais foram alguns dos percursos de fuga que seguiram os judeus que se salvaram dessa catástrofe e como alguns deles vieram parar no Brasil?

Além de receber os refugiados judeus do nazifascismo, o Brasil foi também um dos principais destinos para os imigrantes ciganos da ex-Iugoslávia que se estabeleceram no continente americano. Os caminhos e alguns aspectos culturais desses grupos ciganos dos Bálcãs que vivem no Brasil serão apresentados durante o encontro.
Com Emil Eskenazy Lewinger, Elez Bislim e Zuleica Iovanovich

As inscrições pela internet podem ser realizadas até um dia antes do início da atividade. Após esse período, caso ainda haja vagas, é possível se inscrever pessoalmente em todas as unidades. Após o início da atividade não é possível realizar inscrição.

(Foto: Divulgação)

Palestrantes

Elez Bislim

Elez Bislim

Ativista cigano macedônio e pesquisador do LEER/USP.
(Foto: Vanessa Torres Bravos)

 

Anja Mrak

Anja Mrak

Mestre em Estudos Globais pela Universidade de Ljubljana e representante da União dos Eslovenos do Brasil.
(Foto: Acervo Pessoal)

Katia Gavranich

Katia Gavranich

Graduada em Nutrição pela USP e autora do livro "Croácia: Cozinha e Memória Dálmata".
(Foto: Acervo Pessoal)

Elis Lovric

Elis Lovric

Atriz, cantora e pesquisadora, nascida na cidade de Labin, Estado da Ístria, Croácia.
(Foto: Acervo Pessoal)

Magda Dourado Pucci

Magda Dourado Pucci

Musicista (arranjadora, compositora e intérprete), pesquisadora da música de vários povos há mais de 20 anos. Dirige e produz o MAWACA, desde sua formação, grupo que recria músicas de diferentes tradições do mundo. É formada em Regência pela ECA-USP. Estudou música popular no Espaço Musical e jazz na Manhattan School of Music em Nova York, além de ter participado de várias oficinas com mestres de diversos lugares do mundo.
(Foto: Acervo Pessoal)

Aleksandar Jovanovic

Aleksandar Jovanovic

Doutor em Semiótica e Linguística Geral pela USP. Professor de cursos de Graduação e Pós-Graduação da Faculdade de Educação da USP.
(foto: Acervo Pessoal)

Victor Gers Jr.

Victor Gers Jr.

Engenheiro, coordenador da Feira Cultural Leste Europeu de São Paulo. Participante e Conselheiro do Projeto de Tematização do Bairro de Vila Zelina como o Leste Europeu da cidade.
(Foto: Acervo Pessoal)

Norma Marinovic Doro

Norma Marinovic Doro

Doutora em Doutora em História Social pela USP e professora da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul. Pesquisadora do LEER-USP.
(Foto: Acervo Pessoal)

Barbara Juršic

Barbara Juršic

Doutora em Estudos Românicos com especialidade na área da Literatura Portuguesa pela Universidade de Ljubljana, tradutora literária e intérprete oficial do Governo da República da Eslovênia, jornalista e animadora de programas culturais, autora de artigos científicos, palestrante, responsável pelas relações internacionais da Associação eslovena de tradutores literários e colaboradora do CLEPUL da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa.
(Foto: Acervo Pessoal)

Emil Eskenazy Lewinger

Emil Eskenazy Lewinger

Mestrando em estudos judaicos pela FFLCH-USP, estudando o judaísmo iugoslavo e a trajetória de vida de alguns de seus membros. É bacharel em filosofia, também pela FFLCH-USP e Engenheiro pela POLI-USP. É membro ativo e mediador do JUPROG, coletivo judaico ligado a causas progressistas e aos direitos humanos.
(Foto: Acervo Pessoal)

Zuleica Iovanovich

Zuleica Iovanovich

De origem romani da Sérvia. É graduada em Direito pela PUC Campinas e pesquisadora do LEER/USP.  
(Foto: Acervo Pessoal)

Data

05/06/2017 a 19/06/2017

Dias e Horários

Segundas e Quartas, das 19h30 às 21h30

10/6, Sábado, das 14h às 17h

As inscrições podem ser feitas a partir de 24 de maio às 14h, aqui no site do Centro de Pesquisa e Formação ou nas Unidades do Sesc em São Paulo.

Local

Rua Dr. Plínio Barreto, 285 - 4º andar
Bela Vista - São Paulo.

Valores

R$ 18,00 - credencial plena: trabalhador do comércio de bens, serviços e turismo matriculado no Sesc e dependentes
R$ 30,00 - pessoa com mais de 60 anos, pessoa com deficiência, estudante e professor da rede pública com comprovante
R$ 60,00 - inteira

Inscreva-se agora