Atividades

Contribuições da teoria sociológica para a interpretação de temas como as desigualdades ambientais no Brasil ou a crise hídrica em São Paulo?

Gestão Cultural
Conflitos socioambientais no Brasil: da sociedade de risco à justiça ambiental

Voltar para o início  Conflitos socioambientais no Brasil: da sociedade de risco à justiça ambiental

Programa

Condições especiais de atendimento, como tradução em libras, devem ser informadas por email ou telefone, com até 48 horas de antecedência do início da atividade.
centrodepesquisaeformacao@sescsp.org.br / 11 3254-5600

O objetivo deste curso é discutir a emergência da questão ambiental no contexto da alta modernidade. Serão trabalhadas as estratégias de interpretação da temática ambiental elaboradas pela sociologia, particularmente nos estudos sobre sociedade de risco, reflexividade ecológica e justiça ambiental, em termos de lutas políticas e epistêmicas.

O curso será divido em três partes. Inicialmente, será discutida a leitura sobre a crise ambiental produzida pela chamada Economia Ambiental - approach hegemônico no debate internacional entre Estados nacionais e agências multilaterais.

Na segunda parte serão apresentadas estratégias de problematização sociológica da questão ambiental elaboradas pela perspectiva da sociedade de risco e pela abordagem crítica da justiça ambiental. Por fim, na terceira parte serão discutidos alguns dos conflitos socioambientais de maior repercussão no contexto brasileiro deste início de século.

Em particular, serão analisados os conflitos decorrentes da construção e gestão de barragens (com atenção aos conflitos de ampla repercussão e impacto, como o recente caso de Mariana, em Minas Gerais) e a crise hídrica paulista.

Com Rodrigo Constante Martins.

Conteúdo programático:

20/04. A construção social dos problemas ambientais. Economia e meio ambiente
Construcionismo e meio ambiente. A classificação da moderna questão ambiental. O paradigma da Economia Ambiental Neoclássica. A valoração econômica dos recursos naturais.

27/04. Do paradigma da sociedade de risco à justiça ambiental
Da sociedade classes à sociedade de riscos. Risco e meio ambiente. Reflexividade ecológica. O fenômeno da confiança. A dimensão de classe dos riscos. Mecanismos de produção de desigualdade (injustiça) ambiental. Racismo ambiental.

04/05. Conflitos socioambientais no Brasil contemporâneo
Desenvolvimento e meio ambiente. Grandes paisagens industriais e agroindustriais (hidrelétricas, monoculturas de soja, cana-de-açúcar e eucalipto). Barragens e impactos socioambientais.  A crise hídrica paulista.

As inscrições pela internet podem ser realizadas até um dia antes do início da atividade. Após esse período, caso ainda haja vagas, é possível se inscrever pessoalmente em todas as unidades. Após o início da atividade não é possível realizar inscrição.

(Foto: Roge?rio Alves/TV Senado)

Palestrantes

Rodrigo Constante Martins

Rodrigo Constante Martins

Coordenador do Programa de Pós Graduação em Sociologia da UFSCar, no qual é professor adjunto na Pós-graduação em Sociologia e nas Ciências Ambientais da UFSCar. Pós-doutorado em sociologia pela École des Hautes Études en Sciences Sociales de Paris, como bolsista. Doutor em Ciências da Engenharia Ambiental, na área de sociologia ambiental, pela USP.
(Foto: Acervo Pessoal)

Bibliografia

MARTINS, Rodrigo Constante. A classificação disciplinar no mercado dos enunciados ambientais. Revista Brasileira de Ciências Sociais, v. 30, n.87, p.97-113, 2015.

BECK, Ulrich. Sociedade de risco: rumo a uma outra modernidade. São Paulo: Editora 34, 2010.
ACSELRAD, Henri; MELLO, Cecilia; BEZERRA, G. O que é justiça ambiental. Rio de Janeiro, Garamond, 2009.

MARTINS, Rodrigo Constante. Fronteiras entre desigualdade e diferença na governança das águas. Ambiente e Sociedade, vol.18, n.1, p.221-238, 2015.

ZHOURY, Andréa. Desenvolvimento e conflitos ambientais no Brasil rural: o caso das usinas hidrelétricas. Ambiente e Sociedade, vol.10, n.6-7, p.119-135, 2007.

Data

20/04/2017 a 04/05/2017

Dias e Horários

Quintas, 14h às 17h

As inscrições podem ser feitas a partir de 23 de março às 14h, aqui no site do Centro de Pesquisa e Formação ou nas Unidades do Sesc em São Paulo.

Local

Rua Dr. Plínio Barreto, 285 - 4º andar
Bela Vista - São Paulo.

Valores

R$ 18,00 - credencial plena: trabalhador do comércio de bens, serviços e turismo matriculado no Sesc e dependentes
R$ 30,00 - pessoa com mais de 60 anos, pessoa com deficiência, estudante e professor da rede pública com comprovante
R$ 60,00 - inteira