Atividades

música, expressão e engajamento

Contextos
Cortina Fechada: música e censura

Voltar para o início Cortina Fechada: música e censura

Programa

Condições especiais de atendimento, como tradução em libras, devem ser informadas por email ou telefone, com até 48 horas de antecedência do início da atividade.
centrodepesquisaeformacao@sescsp.org.br / 11 3254-5600

Essa atividade integra o projeto Cortina Fechada - Territórios da Arte: panorama de trabalhos e artistas que sofreram com a censura ao redor do mundo, realizado pelo Sesc Vila Marina e Centro de Pesquisa e Formação. É composto de três eixos temáticos.

O objetivo deste ciclo é desnudar as conexões que possibilitaram o diálogo entre artistas que tomando a canção como meio de expressão buscaram fazer da arte um espaço de engajamento e mobilização popular.

19/06. Eis o lixo do meu canto que é permitido escutar: resistência e conexões transnacionais na canção engajada latino-americana.
Aborda a experiência de resistência às ditaduras militares, período no qual ocorreu a aproximação entre músicos latino-americanos, que fizeram de suas canções instrumentos de atuação política.
Com Caio de Souza Gomes.

21/06. Entre muros que caem e pontes que unem: música popular, participação política e exílio.
Discute as experiências de músicos que, em virtude da participação política em seus países - Brasil, Argentina, Chile - sofreram perseguições e em decorrência partiram para o exílio. Problematiza as vivências e sua relação com a produção musical antes, durante e depois do exílio.
Com Geni Rosa Duarte.

26/06. Da canção de protesto à canção governista: a Nova Canção Chilena de fins dos anos 1960 a 1973.
A palestra aborda as seguintes questões: Como a chegada de Salvador Allende ao poder, em 1970, impactou o movimento da Nova Canção Chilena? É possível falar em uma mudança de enfoque no discurso engajado dos músicos?
Com Natália Ayo Schmiedecke.

28/06. A Nova Canção Chilena e a Ditadura civil-militar no Chile.
Aborda a Nova Canção Chilena, desde sua estruturação, desenvolvimento e término com a deflagração do golpe civil-militar de 11 de setembro, e o papel exercido por Víctor Jara neste movimento artístico e político.
Com Sílvia Sônia Simões.

03/07. A resistência da Nova Canção Chilena.
Busca compreender os canais de resistência, meios de sobrevivência e ferramentas empregadas pela Nova Canção Chilena - com destaque para os grupos Quilapayún e Inti-Illimani - para permanecer ativa e prosperar durante o exílio decorrente da ditadura militar chilena (1973-1990).
Com Rafael Rodrigues Cavalcante.

05/07. "Te dou uma canção": A música de Silvio Rodriguez e Pablo Milanes, patrimônio de uma América do futuro.
A comunicação aborda o estudo da criação artística e musical dos cantores e compositores cubanos  Silvio Rodriguez e Pablo Milanes como parte do "Movimento Nueva Trova", assim como o desdobramento de seus desempenhos musicais como exemplo de luta e resistência de esquerda nos espaços de Cuba, Latinoamerica e  o Caribe, para depois transcender a um espaço patrimonial Global como parte de uma história das inter-relações culturais e musicais no espaço atlântico.
Com Julio Moracen Naranjo.

As inscrições pela internet podem ser realizadas até um dia antes do início da atividade. Após esse período, caso ainda haja vagas, é possível se inscrever pessoalmente em todas as unidades. Após o início da atividade não é possível realizar inscrição.

(Arte: Marina Burity)

Palestrantes

Natália Ayo Schmiedecke

Natália Ayo Schmiedecke

Mestre e doutoranda em História-UNESP. Autora de Não há revolução sem canções: utopia revolucionária na Nova Canção Chilena, 1966-1973.
(Foto: Acervo Pessoal)

Caio de Souza Gomes

Caio de Souza Gomes

Doutorando em História Social pela FFLCH-USP, desenvolve pesquisas sobre as conexões transnacionais entre músicos latino-americanos nas décadas de 1960 e 1970.
(Foto: Mariana Rosell)

Geni Rosa Duarte

Geni Rosa Duarte

Doutora em História Social pela PUC/SP. Professora dos cursos de licenciatura em História e Pós-graduação em História da UNIOESTE.
(Foto: Helena Duarte)

Sílvia Sônia Simões

Sílvia Sônia Simões

Possui graduação e mestrado em história pela UFRGS.
(Foto: Ananda Simoes Fernandes)

Rafael Rodrigues Cavalcante

Rafael Rodrigues Cavalcante

Mestre e graduado em História pela UNESP/ Franca tendo desenvolvido a sua dissertação de mestrado sobre o exílio da Nova Canção Chilena.
(Foto: Bruna Watanabe)

Julio Moracen Naranjo

Julio Moracen Naranjo

Antropólogo, pós-doutorado na Université de Perpignan Via Domitia, fez especialização em Antropologia na Universidade da Havana e Etnologia ed Etnoantropologia na Universitá Degli Studi Sapienza,Roma. Atualmente é professor da USP e UNIFESP.
(Foto: Violeta_Estrela)

Data

19/06/2017 a 05/07/2017

Dias e Horários

Segundas e Quartas, 19h30 às 21h30

As inscrições podem ser feitas a partir de 24 de maio às 14h, aqui no site do Centro de Pesquisa e Formação ou nas Unidades do Sesc em São Paulo.

Local

Rua Dr. Plínio Barreto, 285 - 4º andar
Bela Vista - São Paulo.

Valores

R$ 24,00 - credencial plena: trabalhador do comércio de bens, serviços e turismo matriculado no Sesc e dependentes
R$ 40,00 - pessoa com mais de 60 anos, pessoa com deficiência, estudante e professor da rede pública com comprovante
R$ 80,00 - inteira