Atividades

Patrimônio material e imaterial dos imigrantes eslavos no Brasil

Percursos Urbanos
Eslavos no Brasil: conexões e legados

Voltar para o início Eslavos no Brasil: conexões e legados

Programa

As comunidades eslavas se estabeleceram no Brasil desde o começo da sua independência e contam atualmente com mais de dois milhões e meio de descendentes e diversas associações, grupos, comunidades e instituições.

Este ciclo de atividades propõe a aproximação das culturas eslavas ao público brasileiro por meio de palestras, oficinas, apresentações musicais e atividades nos espaços culturais de algumas comunidades, possibilitando o entendimento dessas comunidades na atualidade, o funcionamento dos seus países e regiões, bem como as suas relações com o Brasil.

Serão apresentados mapeamentos e resultados de pesquisas, destacando as tensões étnico-identitárias presentes tanto no país de origem como no de recepção, problematizando os estereótipos e o senso comum presente nas discussões, além de evidenciar o patrimônio material e imaterial que os imigrantes criaram e ainda cultivam, finalizando com apresentações musicais e folclóricas em plena expansão no país.

Nos dois sábados deste ciclo, serão oferecidas atividades em algumas associações eslavas em São Paulo, com o intuito tanto de conhecer os espaços físicos e a história, quanto o de realizar oficinas e palestras com os membros destas comunidades.


12/2 – 19h30 às 21h30: Mapeamentos e Fronteiras eslavas
Apresentação dos projetos “Memória Dálmata” e “História da Croácia e dos croatas no Brasil” cujo principal objetivo é preservação e divulgação da cultura eslava, em especial, croata, em forma de coleta, organização e análise de material documental produzido pelos imigrantes e suas famílias, resultando em mapeamentos e roteiros afetivos que colocam os eslavos no mapa cultural brasileiro.
Com Katia Gavranich Camargo e Milan Puh.

14/2 - 19h30 às 21h30: Construção de identidades: tensões eslavas
Serão discutidos os modos como diferentes grupos eslavos constroem suas identidades nos países de origem, mas também no Brasil, (re)elaborando as relações étnicas, tensionadas entre múltiplos entendimentos sobre o que é ser croata, sérvio, bósnio, iugoslavo, ucraniano e polonês. Os estudiosos dessa temática apresentarão suas pesquisas para que novas compreensões sobre o assunto surjam, aproximando estas comunidades eslavas na sua diversidade.
Com Milan Puh, Rhuan Targino Zaleski Trindade e Renata Summa.


16/2 – 10h às 17h: Visita à Catedral Ortodoxa Russa e Clube Tcheco
Visita a dois locais importantes para as culturas eslavas em São Paulo: a Catedral Ortodoxa Russa e a União Cultural Tcheco-Brasileira. O histórico e as atividades realizadas em prol das suas comunidades: um dos refúgios dos eslavos ortodoxos em São Paulo e o lugar central da vida tcheca em São Paulo.
Com Constantino Bussyguin, Katia Gavranich Camargo e Nora Machalousova.

19/2 - 19h30 às 21h30: Patrimônio (i)material eslavo
Nesse dia serão apresentados lugares onde a cultura eslava tem predominância, trazendo informações inéditas sobre a contribuição destas comunidades para com o patrimônio brasileiro. Inicialmente falaremos de um patrimônio (i)material urbano - a Feira Leste Europeia da Associação dos Moradores da Vila Zelina que reúne diversos países, na maioria de origem eslava, em um evento que promove produção artesanal, culinária, música, folclore e muitos outros aspectos típicos dos eslavos. Apresentaremos também o patrimônio eslavo no Rio de Janeiro: bairro Vila Croácia e sua gestão e todo o processo de construção patrimonial e preservação de um bairro croata na zona oeste do Rio de Janeiro, a interação com a população local e sua “brasileirização” e atual “croatização”. E por fim, partiremos para apresentação do patrimônio (i)material rural de origem eslavo-brasileira conhecido como o faxinal, um produto original da interação entre os eslavos e as populações chamadas de “caboclas” na região Centro-Sul do Paraná que resultaram em forma de vida tradicional-comunitária de uso coletivo da terra para produção animal e preservação da vegetação local da ameaçada araucária.  
Com Demetrio Dimitrov, Milan Puh e Geraldo Sérgio Raymundo.

21/2 - 19h30 às 21h30: Música eslava no Brasil
Apresentação sobre a música eslava no Brasil, abordando músicas tradicionais da Europa Oriental, balcânica e Mar Negro, com destaque para música tradicional búlgara e sérvia – rica em ritmos assimétricos e compassos compostos.
Com Mariana Paunova e Renato Ianovich.

23/2 – 10h às 17h: Sociedade Amigos da Dalmácia SADA e Oficina de sabores eslavos
Visita à associação cultural Sociedade Amigos da Dalmácia (SADA), um dos locais centrais para o convívio dos croatas e seus descendentes, na qual conheceremos o folclore, a música e outras atividades cultivadas pelos seus
membros e onde os participantes serão convidados  a fazer uma viagem gastronômica por três países eslavos: Eslovênia, Croácia e Sérvia. 
Com Matjaz Cokan, Katia Gavranich Camargo, Vesna Bakovic e Mario Gavranich Júnior.

As inscrições pela internet podem ser realizadas até um dia antes do início da atividade. Após esse período, caso ainda haja vagas, é possível se inscrever pessoalmente em todas as unidades. Após o início da atividade não é possível realizar inscrição.

Se você necessita de recursos de acessibilidade, como tradução em Libras, audiodescrição, entre outros, solicite por e-mail ou telefone, com até 48 horas de antecedência do início da atividade. centrodepesquisaeformacao@sescsp.org.br / 11 3254-5600

Palestrantes

Milan Puh

Milan Puh

Doutor em Educação pela USP com pesquisa sobre a preservação da língua e cultura em comunidades eslavas no Brasil. Mestre em Filologia e Língua Portuguesa pela USP, mestre em Linguística pela Universidade de Zagreb. Pós-doutorando na Universidade do Centro-Oeste do Paraná com pesquisa sobre línguas eslavas. Organizador dos livros “A Croácia no Brasil: histórias de uma imigração” (2015) e “Croácia no Brasil até 1918: primeira fase de imigração” (2017).
(Foto: Acervo Pessoal)

Renato Ianovich

Renato Ianovich

Acordeonista de origem romani matchuaia (Sérvia). Atualmente está preparando um álbum de música cigana balcânica.
(Foto: Acervo pessoal)

Matjaz Cokan

Matjaz Cokan

Esloveno, graduado em História e Sociologia pela Universidade de Ljubljana. Cozinheiro, diretor da Gorenje do Brasil (empresa fabricante de eletrodomésticos da Eslovênia) e “Off-duty”: importador de vinhos naturais da Eslovênia.
(Foto: Acervo Pessoal)

Vesna Bankovic

Vesna Bankovic

Sérvia, formada em canto lírico pela Universidade de Música de Bucareste. Apresentou-se em recitais de música de câmara na ex-Iugoslávia, Romênia, França, Grécia e Brasil. Desde 2007 faz parte do grupo Audi Coelum sob a regência do maestro Roberto Rodrigues.
(Foto: Acervo Pessoal)

Katia Gavranich Camargo

Katia Gavranich Camargo

Mestre em Engenharia de Produção pela UFSC. Membro do Conselho Deliberativo da Sociedade Amigos da Dalmácia e coordenadora do projeto Memória Dálmata, sobre a imigração croata proveniente da região da Dalmácia na década de 1920. Autora do livro, “Croácia - Cozinha e Memória Dálmata” e de artigos sobre a ocupação dálmata no bairro do  Belenzinho.
(Foto: Acervo Pessoal)

Renata Summa

Renata Summa

Doutora em Relações Internacionais pela PUC-Rio, com estágio doutoral na Open University, Reino Unido. Professora da PUC-Rio. Sua tese de doutorado, "Enacting everyday boundaries in post-Dayton Bosnia and Herzegovina: disconnection, re-appropriation and displacement(s)" ganhou o prêmio de melhor tese da Associação Brasileira de Relações Internacionais (2017).
(Foto: Acervo Pessoal)

Rhuan Targino Zaleski Trindade

Rhuan Targino Zaleski Trindade

Mestre em História pela UFRGS. Doutorando em História pela UFPR, focalizando a construção de um “imperialismo polonês” entre intelectuais e políticos brasileiros nos anos 1930. Professor colaborador da Universidade Estadual do Centro-Oeste PR, membro do Núcleo de Estudos Eslavos (NEES) da mesma universidade.
(Foto: Acervo Pessoal)

Geraldo Sérgio Raymundo

Geraldo Sérgio Raymundo

Geógrafo, com formação complementar em educação física e segurança, atuando na área de esportes e educação infantil desde 2006 com fundação da ONG Jovens Conexões Sociais que recebe o projeto Vila Croácia no bairro Senador Camará no Rio de Janeiro.
(Foto: Acervo Pessoal)

Demetrio Dimitrov

Demetrio Dimitrov

Gerente administrativo da ONG Trevo, presidente da Associação de Moradores da Vila Zelina, organizador da Fera Cultural Leste Europeia.

Mariana Paunova

Mariana Paunova

Búlgara, formada em Filologia Eslava na Universidade de Sofia "Sv. Kliment Ohridski". Mestre em língua, literatura e cultura dos povos da ex-Iugoslávia. Aprofundou seus estudos na área de etnologia e folclore, com pesquisa sobre a simbologia sagrada e o papel da dança em rituais e práticas religiosas, entre outras.
(Foto: Acervo Pessoal)

Mario Gavranich Júnior

Mario Gavranich Júnior

Engenheiro Ambiental, responsável pelo Grupo Folclórico Jadran, da Sociedade Amigos da Dalmácia.
(Foto: Acervo Pessoal)

Constantino Bussyguin

Constantino Bussyguin

Bacharel em Teologia pela Seminário Ortodoxo Russo em Jordanville,  Nova Iorque. Padre da Catedral Ortodoxa Russa de São Nicolau em São Paulo desde 1986.
(Foto: Acervo Pessoal)

Nora Machalousova

Nora Machalousova

Nascida em Roudnice, República Tcheca. Toca e canta no grupo Pramen, grupo de música tcheca da União Cultural tcheco brasileira. Doutoranda em Educação na Universidade Nacional de Rosário, Argentina.

Data

12/02/2019 a 23/02/2019

Dias e Horários

12 a 21/2 - Terças e Quintas, 19h30 às 21h30.

16 e 23/2, sábados, 10h às 17h.

As inscrições podem ser feitas a partir de 29 de janeiro, às 14h, aqui no site do Centro de Pesquisa e Formação ou nas Unidades do Sesc em São Paulo.

Local

Rua Dr. Plínio Barreto, 285 - 4º andar
Bela Vista - São Paulo.

Valores

R$ 24,00 - credencial plena: trabalhador do comércio de bens, serviços e turismo matriculado no Sesc e dependentes
R$ 40,00 - pessoa com mais de 60 anos, pessoa com deficiência, estudante e professor da rede pública com comprovante
R$ 80,00 - inteira