Atividades

É possível fazer da cultura um espaço de respeito e difusão dos direitos humanos?

Gestão Cultural
Gestão Cultural na Perspectiva dos Direitos Humanos

Voltar para o início Gestão Cultural na Perspectiva dos Direitos Humanos

Programa

O objetivo do curso é oferecer aos gestores culturais, produtores e demais profissionais da cultura arcabouço teórico e prático no âmbito dos direitos humanos para administrar locais e eventos culturais, respeitando e incorporando as múltiplas realidades sociais coexistentes em nosso país, particularmente em território urbano.

O curso se divide em seis módulos, iniciando em agosto e encerrando em dezembro de 2018. Os encontros acontecerão em sábados intervalados (a cada 15 dias conforme programação abaixo).
O curso agrega professores-pesquisadores, gestores e ativistas de movimentos sociais e culturais.
A metodologia compreende aulas teóricas e um workshop.
     
4/8 - Módulo 1: A cultura como direito humano

10h às 13h: O que são Direitos Humanos
?
Com Ana Lúcia Pastore.

13hs às 14h30: Intervalo para almoço

14h30 às 17h30: Relatos de pesquisa
Direito à educação e à cultura
Com Francione Carvalho.

Direito à memória e à verdade como parte da política e do empoderamento de grupos, etnias e comunidades vitimadas ou atingidas por poderes autoritários, discricionários e soberanos.
Com Suzenalson Kanindé.

18/8 - Módulo 2: Políticas públicas e o direito constitucional à cultura

10h às 13h: A cultura na Constituição de 1988
Com Guilherme Varella.

13h às 14h30: Intervalo para almoço

14h30 às 17h30: Lei de fomento à periferia
Com coletivo Perifatividade e coletivo Quilombaque.

1/9 - Módulo 3 (Primeira parte): Narrativas hegemônicas: representação e/ou ausência do outro

10h às 13h: Branquitudes, masculinidades, cisgeneridades, heterossexualidade compulsória, eurocentrismo
.

13h às 14h30: Intervalo para almoço

14h30 às 17h30: Branquitudes, masculinidades, cisgeneridades, heterossexualidade compulsória, eurocentrismo.
Com Ana Helena Passos, Bruno Puccinelli e Waldemir Rosa.

15/9 - Módulo 3 (Segunda parte): Narrativas hegemônicas: representação e/ou ausência do outro

10hs às 13hs: Apresentação de pesquisas que revelam a reprodução de desigualdades sociais e preconceitos nas produções culturais gerando distorções e prejuízos para os grupos sub-representados.


Perfil da literatura brasileira contemporânea .

Com Regina Dalcastagné.

Projeto Históriada-rte (historiada-rte.org)
Com Bruno Moreschi.

13h às 14h30: Intervalo para almoço

14h30 às 17h30: Narrativas hegemônicas nos museus
Com Pedro Paulo Funari.

29/9 - Módulo 4: Narrativas contra hegemônicas: protagonismo e empoderamento

10h às 13h: Aulas sobre a necessidade e importância da criação de narrativas próprias dos grupos à margem dos espaços hegemônicos de produção de cultura e saber.


13h às 14h30: Intervalo para almoço

14h30 às 17h30: Aulas sobre a necessidade e importância da criação de narrativas próprias dos grupos à margem dos espaços hegemônicos de produção de cultura e saber.
Com Rosane Borges, Cristino Wapichana e Amara Moira.

27/10 - Módulo 5 (Primeira parte): Diversidade de público e de programação: “Nada sobre nós, sem nós!”
Nesse módulo se discutirá a importância de incorporar grupos vulneráveis no desenvolvimento da programação, no protagonismo dos discursos sobre eles, de modo que não sejam apenas “temas” programáticos, mas também os porta-vozes de suas próprias vivências.

10h às 13h: Acessibilidade cultural para pessoas com deficiência


13h às 14h30: Intervalo para almoço

14h30 às 17h30: Acessibilidade cultural para pessoas com deficiência
Com Claudio Rubino.

10/11 - Módulo 5 (Segunda parte): Diversidade de público e de programação: “Nada sobre nós, sem nós!”
10h às 13h: Acolhimento e programação com migrantes
Com Julio Moracen Naranjo.

13h às 14h30: Intervalo para almoço

14h30 às 17h30: Espaços de lazer, cultura e resistência.
Com Erica Malunguinho.

24/11 - Módulo 6 (Primeira Parte): Sociedade e cultura: Questões emergentes
Esse módulo visa colocar em debate situações que gestores e profissionais da cultura têm vivenciado com mais frequência recentemente e para as quais, em alguns momentos, tem dificuldade de encontrar soluções. A partir de casos recentes, serão discutidos temas como:
•Intolerância
•Assédio
•Xenofobia
•Racismo
•Acesso da população em situação de rua aos espaços de cultura
•A livre circulação de jovens
•Liberdade de expressão X discurso de ódio
•Criminalização de expressões culturais
•E outras.
Os temas serão trabalhados em grupo, num formato de workshop. Cada grupo deve analisar um caso apresentado e buscar uma solução que esteja em consonância com o respeito aos direitos humanos.

10h às 13h: Organização dos grupos, seleção dos casos.

13h às 14h30: Intervalo para almoço

14h30 às 17h30: Análise do material selecionado.
Com Ana Helena Passos, Bruno Puccinelli, Erica Malunguinho e Claudio Rubino.

8/12 - Módulo 6 (Segunda Parte): Sociedade e cultura: Questões emergentes
10h às 13h: Apresentações.

14h30 às 17h30: Avaliação do curso e encerramento.
Com Ana Helena Passos, Bruno Puccinelli, Erica Malunguinho e Claudio Rubino.

As inscrições pela internet podem ser realizadas até um dia antes do início da atividade. Após esse período, caso ainda haja vagas, é possível se inscrever pessoalmente em todas as unidades. Após o início da atividade não é possível realizar inscrição.


Se você necessita de recursos de acessibilidade, como tradução em Libras, audiodescrição, entre outros, solicite por e-mail ou telefone, com até 48 horas de antecedência do início da atividade.

centrodepesquisaeformacao@sescsp.org.br / 11 3254-5600

(Arte: Walter Cruz)

Palestrantes

Guilherme Varella

Guilherme Varella

Gestor cultural, advogado e pesquisador em políticas culturais. Doutorando e mestre em Direito pela USP. Foi Secretário de Políticas Culturais do MinC (2015/mai2016), Coordenador da Assessoria Técnica e Chefe de Gabinete da Secretaria Municipal de Cultura de São Paulo (2013-2015). É diretor do Instituto Cultura e Democracia.
(Foto: Sylvia Masini)

Ana Helena Passos

Ana Helena Passos

Doutora em Serviço Social pela PUC/RJ. Pesquisa estudos críticos da branquitude, racismo, história afro-brasileira e educação étnico-racial.
Co-fundadora e Diretora de Comunicação do Instituto Ella Criações Educativas.
(Foto: Acervo pessoal)

Bruno Moreschi

Bruno Moreschi

Artista visual, doutorando em Artes Visuais pela Universidade Estadual de Campinas.
(Foto: Acervo pessoal)

Waldemir Rosa

Waldemir Rosa

Doutor em Antropologia Social pelo Museu Nacional, professor da Unila e coordenador a Especialiação em Direitos Humanos na América Latina. Tem pesquisas na área de intersecção raça, gênero e classe, políticas públicas e relações raciais.

Cristino Wapichana

Cristino Wapichana

Músico, compositor, escritor, contador de historias. Prêmio Jabuti - 2017. Prêmio FNLIJ Ofélia Fontes – O Melhor Livro para Criança 2017. Prêmio Peter Pan - Suécia - 2018. Escritor brasileiro escolhido para figurar na Lista de honra do IBBY 2018.
(Foto: Acervo Pessoal)

Bruno Puccinelli

Bruno Puccinelli

Doutor em Ciências Sociais pela Unicamp e Mestre em Ciências Sociais pela UNIFESP. Tem trabalhado na interface entre gênero, sexualidade, espaço urbano e direitos humanos.
(Foto: Acervo Pessoal)

Julio Moracen Naranjo

Julio Moracen Naranjo

Antropólogo, doutorado na USP, pós-doutorado na Université de Perpignan Via Domitia, fez especialização em Antropologia na Universidade da Havana e Etnologia ed Etnoantropologia na Universitá Degli Studi Sapienza,Roma. Atualmente é professor da UNIFESP.
(Foto: Violeta Estrela)

Ana Lúcia Pastore

Ana Lúcia Pastore

Cientista social, antropóloga e advogada (USP). Atualmente é professora doutora do Departamento de Antropologia (USP), coordenadora do Núcleo de Antropologia do Direito (NADIR-USP).
(Foto: Acervo Pessoal)

Erica Malunguinho

Erica Malunguinho

Mestra em Estética e História da Arte, é deseducadora, artevista, transativista e pretativista. Artes, culturas e politicas. É criadora e gestora do quilombo urbano Aparelha Luzia.
(Foto: Acervo Pessoal)

Pedro Paulo Funari

Pedro Paulo Funari

Professor de História da Unicamp. Bacharel em História, mestre em Antropologia Social, doutor em Arqueologia pela USP. Livre-docente em História pela Unicamp.
(Foto: Acervo Pessoal)

Amara Moira

Amara Moira

Travesti, doutora em teoria literária pela UNICAMP, feminista e militante dos direitos de LGBTs e de profissionais do sexo.
(Foto:
Cintia Antunes)

 

Rosane Borges

Rosane Borges

Jornalista, pós-doutora em Ciências da Comunicação, professora universitária, integrante da Cojira-SP (Comissão de Jornalistas pela Igualdade Racial), autora de diversos livros, entre eles “Esboços de um tempo presente” (Malê, 2016) e“Espelho infiel: o negro no jornalismo brasileiro” (Imprensa Oficial, 2004).
(Foto: Ayalla Salvador)

Francione Carvalho

Francione Carvalho

Mestre e doutor em Educação, Arte e História da Cultura. Professor da Faculdade de Educação da UFJF e do Programa de Pós-Graduação em Humanidades, Direitos e Outras Legitimidades da FFLCH/USP.
(Foto: Acervo Pessoal)

Suzenalson Kanindé

Suzenalson Kanindé

Coordenador do Museu Indígena Kanindé na aldeia sitio Fernandes Aratuba, Ceará. Representante dos povos Indígenas do Ceará no Conselho Estadual de Politicas Culturais do Ceará. Membro da Rede Indígena de Memória e Museologia Social no Brasil.
(Foto: Acervo Pessoa)

Regina Dalcastagné

Regina Dalcastagné

Doutora em Teoria Literária pela Unicamp. Mestra em Literatura pela UnB. Graduada em Jornalismo pela UFSC. Profa de Literatura Brasileira na UnB.
(Foto: Acervo Pessoal)

Claudio Rubino

Claudio Rubino

Gestor de acessibilidade cultural, licenciado e bacharel em artes visuais pela Faculdade de Belas Artes de São Paulo, pós-graduado em educação inclusiva com ênfase em deficiência física pela UNIFESP. Um dos coordenadores do Programa de Acessibilidade do Instituto Tomie Ohtake, ex-coordenador do Programa de Acessibilidade Singular Plural do Museu Afro Brasil.
(Foto: Acervo Pessoal)

Data

04/08/2018 a 08/12/2018

Dias e Horários

Sábados, 10h às 17h30.

As inscrições podem ser feitas a partir de 04 de julho às 14h, aqui no site do Centro de Pesquisa e Formação ou nas Unidades do Sesc em São Paulo.

Local

Rua Dr. Plínio Barreto, 285 - 4º andar
Bela Vista - São Paulo.

Valores

R$ 36,00 - credencial plena: trabalhador do comércio de bens, serviços e turismo matriculado no Sesc e dependentes
R$ 60,00 - pessoa com mais de 60 anos, pessoa com deficiência, estudante e professor da rede pública com comprovante
R$ 120,00 - inteira