Atividades

Ciclo aborda a cultura HipHop a partir das possibilidades de interpretação de mundo que o movimento suscita

Perspectivas
Hip Hop na mesa

Voltar para o início Hip Hop na mesa

Programa

A a cultura Hiphop tem possibilitado pesquisadores dos mais diversos campos a compreenderem as dinâmicas sociais dos contextos urbanos, de questões geográficas a questões educacionais e econômicas.

Desta forma, movimento tem sido também um instrumento que contribui para revelar fatores históricos, do cotidiano e de desenvolvimento, o que o torna um importante instrumento para as universidades, para a gestão pública e para os organismos internacionais.

1) Identidades de gênero no Hiphop
Com Tiely, Waldemir Rosa e Luana Hansen.

2) O rap narra a violência racial
Com Panikinho, Dexter e Ana Lúcia Silva Souza.

3) Hiphop e mercado
Com GOG e Márcio Macedo.

4) Memória e patrimonialização da Cultura Hiphop
Com King Nino Brown e João Batista Felix.

Mediação: Jaqueline Lima Santos.

As inscrições pela internet podem ser realizadas até um dia antes do início da atividade. Após esse período, caso ainda haja vagas, é possível se inscrever pessoalmente em todas as unidades. Após o início da atividade não é possível realizar inscrição.

Condições especiais de atendimento, como tradução em libras, devem ser informadas por email ou telefone, com até 48 horas de antecedência do início da atividade.
centrodepesquisaeformacao@sescsp.org.br / 11 3254-5600

(Foto: Markus Rodder)

Palestrantes

King Nino Brown

King Nino Brown

Dançarino, Historiador e colecionador autodidata da cultura Hiphop, fundador da primeira Casa de Cultura de Hiphop do Brasil e membro da Zulu Nation.

Waldemir Rosa

Waldemir Rosa

Doutor em Antropologia Social pelo Museu Nacional, professor da Unila, pesquisa relações raciais, masculinidade e cultura Hiphop.

Luana Hansen

Luana Hansen

Mulher negra, lésbica e periférica. É DJ, MC, Produtora Musical e Atriz. Seu trabalho tem a mulher como carro-chefe, suas letras abordam violência doméstica, aborto, machismo, homofobia, genocídio da juventude negra. Por meio de seu trabalho visa empoderar as mulheres negras, periféricas e LGBT.
(Foto: Priscila Bertucci)

Tiely

Tiely

Artista, cineasta, cantor/rapper, escritor, dançarino, batuqueiro. Fundador da inciativa "Hiphop Mulher".

Márcio Macedo

Márcio Macedo

Doutorando em Sociologia pela The New School for Social Research, professor da FGV-SP e pesquisador nas áreas de relações raciais, cultura, juventude e Hiphop.
(Foto: Acervo Pessoal)

GOG

GOG

Rapper, cantor, e escritor brasileiro. É um dos pioneiros do movimento rap no Distrito Federal. Mentor do Banco "Nós por nós" e "Hiphop porta a porta".
(Foto: Acervo Pessoal/Reprodução Facebook)

Ana Lúcia Silva Souza

Ana Lúcia Silva Souza

Doutora em linguística pela UNICAMP, professora da UFBA. Atua nas áreas de literatura, relações raciais e culturas juvenis.
(Foto: Acervo Pessoal)

Dexter

Dexter

Rapper, foi um dos fundadores do grupo 509-E.
(Foto: Acervo Pessoal/Reprodução Facebook)

Panikinho

Panikinho

MC/rapper, graduado em pedagogia pela Universidade Mackenzie, pesquisador orgânico do movimento Hiphop, ativista.
(Foto: Acervo Pessoal/Reprodução Facebook)

João Batista Félix

João Batista Félix

Doutor em Antropologia Social pela USP, professor da Universidade Federal de Tocantins e pesquisador nas áreas de relações étnico-raciais, cultura negra e Hiphop.
(Foto: Acervo Pessoal)

Jaqueline Lima Santos

Jaqueline Lima Santos

Doutoranda em Antropologia Social pela UNICAMP. Recebeu o prêmio Kabengele Munanga de melhor trabalho científico pelo Fórum África, 2º lugar no concurso regional de ensaios "A Luta contra o Racismo das Mulheres na América Latina e no Caribe" promovido pela UNIFEM.
(Foto: Acervo Pessoal)

Data

10/10/2017 a 11/10/2017

Dias e Horários

Terça e Quarta, 16h às 20h30

As inscrições podem ser feitas a partir de 27 de setembro às 14h, aqui no site do Centro de Pesquisa e Formação ou nas Unidades do Sesc em São Paulo.

Local

Rua Dr. Plínio Barreto, 285 - 4º andar
Bela Vista - São Paulo.

Valores

R$ 18,00 - credencial plena: trabalhador do comércio de bens, serviços e turismo matriculado no Sesc e dependentes
R$ 30,00 - pessoa com mais de 60 anos, pessoa com deficiência, estudante e professor da rede pública com comprovante
R$ 60,00 - inteira

Inscreva-se agora