Atividades

Debates historiográficos e uma perspectiva histórica dos usos de drogas através dos tempos para problematizar as políticas públicas contemporâneas

Pesquisa em Foco
História e historiografia do uso de drogas e suas proibições

Voltar para o início História e historiografia do uso de drogas e suas proibições

Programa

Condições especiais de atendimento, como tradução em libras, devem ser informadas por email ou telefone, com até 48 horas de antecedência do início da atividade.
centrodepesquisaeformacao@sescsp.org.br / 11 3254-5600

A violência que assola a sociedade contemporânea tem íntima relação com as políticas públicas que adotamos para lidar com os usos problemáticos de drogas.

Muitas vezes análises feitas sobre tais questões reproduzem velhas dicotomias que pouco explicam tal contexto.

A modernidade trouxe consigo a difusão de alguns fármacos através dos continentes, estabelecendo padrões globais de consumo. Esse fenômeno, conhecido como "Revolução Psicoativa", teve uma importante participação do mundo atlântico composto por muitos luso-brasileiros.

O Brasil, distante dos conflitos imperialistas em torno do uso e da venda do ópio, também utilizava esse e outros fármacos proibidos atualmente na terapêutica diária. A arte de formular remédios, difundida em diversos agentes terapêuticos, influenciou decisivamente as primeiras restrições legais. Muitas substâncias, hoje ilícitas, foram usadas legalmente pela medicina liberal até a década de 1960, em harmonia com a introdução silenciosa dos substitutos comercializados pela indústria farmacêutica.

Os códigos culturais produzidos pela arte de formular remédios serão nossa entrada ao mundo da terapêutica que vingou durante todo o século XIX e boa parte do XX.

As políticas atuais são resultado de fenômenos recentes fruto do lento desenvolvimento das contradições da política anterior e da transformação da figura do médico em centro de concentração de capital.

Este encontro revisita a história das drogas a partir do viés das ciências humanas, da pré-história aos dias atuais, mostrando como as diferentes substâncias se espalharam ao redor do globo, assim como os padrões culturais de consumo que se estabeleceram em diversas sociedades e tempos.

As inscrições pela internet podem ser realizadas até um dia antes do início da atividade. Após esse período, caso ainda haja vagas, é possível se inscrever pessoalmente em todas as unidades. Após o início da atividade não é possível realizar inscrição.

(Foto: Enrique Lopez Tamayo Biosca CC by 2.0 Wikimedia Commons)

Palestrantes

Carlos Eduardo Martins Torcato

Carlos Eduardo Martins Torcato

Doutor em História pela USP, com a tese "A história das drogas e sua proibição no Brasil: da Colônia à República". É professor na Universidade do Estado do Rio Grande do Norte.
(Foto: Ana Paula Messa Koetz)

Bibliografia

ADIALA, Julio Cesar. Drogas, Medicina e Civilização na Primeira República. Tese. (Programa de Pós-Graduação em História das Ciências da Saúde/Fundação Oswaldo Cruz), 2011.
BERRIDGE, Virginia. Demons: Our changing attitudes to alcohol, tabacco, & drugs. Oxford: Oxford University Press, 2013.
CARNEIRO, Henrique. Amores e sonhos da flora: afrodisíacos e alucinógenos na botânica e na farmácia. São Paulo: Xamã, 2002.
______. Bebida, Abstinência e Temperança: na história antiga e moderna. São Paulo: SENAC, 2010.
CARVALHO, Jonatas Carlos de. Regulamentação e criminalização das drogas no Brasil: A Comissão Nacional de Fiscalização de Entorpecentes. Rio de Janeiro: Multifoco, 2013.
CARVALHO, Salo de. A política criminal de drogas no Brasil: Estudo criminológico e dogmático. Rio de Janeiro: Lumen Juris, 2007.
COURTWRIGHT, David T. Forces of Habit: Drugs and the Making of the Moderns World. Massachusetts/London: Harvard/Cambrindge, 2001.
DIKOTTER, Frank; LAAMANN, Lars; XUN, Zhou. Narcotic Culture: a history of drugs on China. Chicago: The University of Chicago Press, 2004.
ESCOHOTADO, Antonio. Historia General de las Drogas: incluyendo el apéndice Fenomenologia de las Drogas. Madrid: Espasa Calpe, 2008.
SHERRATT, Andrew. Alcohol and its alternatives: symbol and substance in pre-industrial cultures. In: GOODMAN Jordan; LOVEJOY, Paul E; SHERRATT, Andrew (org). Consuming Habits: Drugs in History and Antropology. London/New York: Routledge, 1995, p.11-46.
SILVA, Maria de Lourdes. Drogas: Da medicina à repressão policial - a cidade do Rio de Janeiro entre 1921 e 1945. Rio de Janeiro: Outras Letras, 2015.
STÜCKER, Ananda; CYTRYNOWICZ, Monica Musatti. Origens e trajetória da indústria farmacêutica no Brasil. São Paulo: Narrativa Um, 2007.
RUBIN, Vera (org). Cannabis and Culture: World Anthropology. Haia: Mouton, 1975.
TEIXEIRA, Luiz Antônio; EDLER, Flavio Coelho. História e cultura da medicina no Brasil. São Paulo: AORI Produções Culturais, 2012.

Data

24/07/2017 a 24/07/2017

Dias e Horários

Segunda, 19h30 às 21h30

As inscrições podem ser feitas a partir de 27 de junho às 14h, aqui no site do Centro de Pesquisa e Formação ou nas Unidades do Sesc em São Paulo.

Local

Rua Dr. Plínio Barreto, 285 - 4º andar
Bela Vista - São Paulo.

Valores

R$ 4,50 - credencial plena: trabalhador do comércio de bens, serviços e turismo matriculado no Sesc e dependentes
R$ 7,50 - pessoa com mais de 60 anos, pessoa com deficiência, estudante e professor da rede pública com comprovante
R$ 15,00 - inteira