Atividades

Entre Textos e Manifestos Artísticos

Contextos
O Artista como Ensaísta - Escritos de Artistas

Voltar para o início O Artista como Ensaísta - Escritos de Artistas

Programa

O curso realiza um percurso não sistemático pela produção artística desde os 1960 até o século XXI a partir da leitura de textos ou manifestos de artistas e cineastas. Apesar da desconfiança que os textos de artistas suscitaram no campo da crítica e da história da arte, eles desempenharam um papel central na produção artística contemporânea.

Coube muitas vezes aos próprios artistas criar o vocabulário crítico para sua recepção e as condições culturais e políticas para sua prática. Para além disso, em vários casos, os textos integraram o processo e a poética dos artistas, transformando-se, eles próprios, em campos de ação e experimentação.

Ao longo dos encontros, privilegiaremos os textos que existem e sobrevivem como objetos autônomos. Pretendemos vê-los não como uma ferramenta interpretativa para as obras, mas como parte delas e em diálogo com o restante da produção de cada artista.

Também interessa-nos pensar aqueles textos que atuaram e atuam mais diretamente no front crítico, inserindo-se em uma discussão mais alargada sobre cultura visual.

Programa:

27/11 - "O cinema [e a arte do nosso tempo], como a América, não foi descoberto".
Leitura e discussão de textos de Allan Kaprow (O legado de Jackson Pollock, 1958); Claes Oldenburg (Sou a favor de uma arte..., 1961), Jonas Mekas (Primeira declaração do grupo do novo cinema americano, 1961) e Stan Brakhage (Metáforas da Visão, 1963). Abordaremos as reivindicações dos artistas por uma nova arte, mais próxima da vida.

29/11 - O caso brasileiro - a fome, a precariedade, o lazer.
Leitura e discussão de textos de Hélio Oiticica (Esquema geral da nova objetividade, 1967; Crelazer, 1969; Cosmococa), Artur Barrio (Manifesto, 1970) e Glauber Rocha (Estética da Fome, 1965; Eztetyka do Sonho, 1971). Abordaremos a demanda de artistas por uma estética própria não submissa aos ditames e modos da produção internacional.

4/12 - Saindo do museu.
Leitura e discussão de textos de Robert Smithson (A Tour of the Monuments of Pasaic, New Jersey, 1966; A cinematic Atopia, 1971) e Dan Graham (Homes of America, 1966; The City as Museum, 1971). Abordaremos a relação dos artistas com a linguagem e os esforços para expandir e repensar a história da arte a partir de uma nova perspectiva.

6/12 - Pensando e corrompendo o museu.
Leitura e discussão de textos de Hito Steyerl (In defense of the poor image; Is the Museum a Factory?); Andrea Fraser (An Artists Statement, 1992; In and Out of Place, 1991). O circuito e lugares das imagens pensados a partir das dinâmicas do capital.

11/12 - Descolonizando o pensamento.
Leitura e discussão do Manifesto Afrofuturista e de textos de Rashen Araeen (Why Third Text?), Anjalika Sagar e Kodwo Eshun (The Militant Image: A Ciné-Geography, 2011). Práticas de reinvenção da cultura artística a partir de perspectivas não eurocêntricas ou ocidentais.


13/12 - Projeções de futuros do passado.
Anton Vidokle (Art Without Death) e Pedro Neves Marques (Look above, The Sky is Falling: Humanity Before and After the End of the World, 2015; How Many Natures can Nature Nurture", 2016). Face a distopia, abordaremos práticas de intervenções críticas ligadas a imaginação da ficção científica.

As inscrições pela internet podem ser realizadas até um dia antes do início da atividade. Após esse período, caso ainda haja vagas, é possível se inscrever pessoalmente em todas as unidades. Após o início da atividade não é possível realizar inscrição.

Se você necessita de recursos de acessibilidade, como tradução em Libras, audiodescrição, entre outros, solicite por e-mail ou telefone, com até 48 horas de antecedência do início da atividade. centrodepesquisaeformacao@sescsp.org.br / 11 3254-5600

(Foto: Escritos de artistas, de David Gomez Fontanills)

Palestrantes

Patrícia Mourão

Patrícia Mourão

Doutora em Cinema pela USP e pós doutoranda em Artes Visuais pela mesma universidade. Atua como programadora de cinema organizando mostras no Brasil e em outros países. É a curadora convidada do seminário Docs Kingdom 2018, em Portugal, e colaboradora do site da Zum.
(Foto: Acervo Pessoal)

Data

27/11/2018 a 13/12/2018

Dias e Horários

Terças e Quintas, 19h às 21h30.

As inscrições podem ser feitas a partir de 25 de Outubro, às 14h, aqui no site do Centro de Pesquisa e Formação ou nas Unidades do Sesc em São Paulo.

Local

Rua Dr. Plínio Barreto, 285 - 4º andar
Bela Vista - São Paulo.

Valores

R$ 18,00 - credencial plena: trabalhador do comércio de bens, serviços e turismo matriculado no Sesc e dependentes
R$ 30,00 - pessoa com mais de 60 anos, pessoa com deficiência, estudante e professor da rede pública com comprovante
R$ 60,00 - inteira