Atividades

Curso explora as teorias sociais e políticas clássicas desenvolvidas por mulheres

Contextos
Pensadoras clássicas: feminismo e política nos séculos XVIII e XIX

Voltar para o início Pensadoras clássicas: feminismo e política nos séculos XVIII e XIX

Programa

O período do século XVIII ao XIX foi um momento crítico para o desenvolvimento de ações e teorias em torno das situações enfrentadas por mulheres em várias partes do mundo. As atividades das mulheres em movimentos revolucionários, movimentos abolicionistas, causas operárias e lutas anticoloniais fizeram com que elas produzissem inúmeras reflexões sobre conflitos sociais e políticos, questões econômicas, ideologias, revoluções, mudanças sociais e transformações globais.

Muitas delas atuaram em movimentos de mulheres e conectaram esses temas à posição de subordinação feminina dentro de estruturas de opressão de gênero. A partir de diferentes perspectivas, elas nos legaram repertórios e conceitos que foram fundamentais para a criação das diversas linhagens do pensamento e da ação feminista de hoje. Além disso, dialogaram criticamente com autores de seu tempo e deixaram escritos singulares sobre a política e a vida social.

Apesar da sua extrema importância, esse momento e essas pioneiras costumam ser muito pouco visitados. O objetivo desse curso é colaborar para sanar essa lacuna ao apresentar seis autoras clássicas essenciais para compreender as genealogias, o desenvolvimento e a pluralidade de formas de pensamento político e social de uma perspectiva atenta à posição das mulheres em diferentes tempos e espaços. 

Para tal, abordaremos as obras da Inglesa Mary Wollstonecraft, da brasileira Nísia Floresta, da russa Alexandra Kollontai, da lituana Emma Goldman, da norte-americana Anna Julia Cooper e da indiana Pandita Ramabai. Discutiremos a originalidade das suas contribuições e as diferentes formas como elas articularam questões de classe, gênero, raça, Estado e nação, influenciando a história e os debates do presente.

Cronograma

09/01: Mary Wollstonecraft (Inglaterra, 1759 - 1797) e Nísia Floresta (1810-1885): a linguagem dos direitos das mulheres e as pioneiras do feminismo na Inglaterra e no Brasil
10/01: Alexandra Kollontai (Império Russo, 1872 - 1952): o comunismo, a tripla jornada de trabalho das mulheres e a liberação sexual feminina
11/01: Emma Goldman (Império Russo, 1869 - 1940): o anarquismo, o anticapitalismo e a emancipação das mulheres
12/01: Anna Julia Cooper (Estados Unidos, 1858 - 1964): as conexões entre discriminação de raça e gênero
13/01: Pandita Ramabai Saraswati (Índia, 1858 - 1922): colonialismo, nacionalismo e feminismos transnacionais

As inscrições pela internet podem ser realizadas até um dia antes do início da atividade. Após esse período, caso ainda haja vagas, é possível se inscrever pessoalmente em todas as unidades. Após o início da atividade não é possível realizar inscrição.

Condições especiais de atendimento, como tradução em libras, devem ser informadas por email ou telefone, com até 48 horas de antecedência do início da atividade.
centrodepesquisaeformacao@sescsp.org.br / 11 3254-5600

(Foto: Divulgação)

Palestrantes

Verônica Toste Daflon

Verônica Toste Daflon

Doutora em Sociologia pelo IESP-Uerj e mestre em Sociologia pelo IUPERJ. Atualmente faz pós-doutorado do Programa de Pós-Graduação em Sociologia e Antropologia (PPGSA, UFRJ). É pesquisadora do Núcleo de Estudos de Sexualidade e Gênero (NESEG, UFRJ) e pesquisadora visitante no Instituto de Estudos Avançados na Universidade de Princeton (IAS).
(Foto: Acervo Pessoal)

Marcia Rangel

Marcia Rangel

Doutoranda e mestre em Ciência Política pelo IESP-UERJ. Graduada em Ciências Sociais pelo IFCS-UFRJ. É subcoordenadora do Grupo de Estudos Multidisciplinares da Ação Afirmativa (GEMAA) e pesquisadora associada do Laboratório de Estudos de Mídia e Esfera Pública (LEMEP).
(Foto: Acervo Pessoal)

Bibliografia

COOPER, Anna. A Voice from the South from a Black Woman from the South. Ohio: The Aldine Printing House, 1892.
DAVIS, Angela. Mulheres, Raça e Classe. São Paulo: Boitempo, 2016
GOLDMAN, Emma. A Tragédia da Emancipação Feminina. [1906]. Disponível em: http://diplomatique.org.br/a-tragedia-da-emancipacao-feminina/
_________________. O Indivíduo, a Sociedade e o Estado, e outros ensaios. São Paulo: Hedra,  20017.
KOLLONTAI, Alexandra. A Nova Mulher e a Moral Sexual. São Paulo: Expressão Popular, 2007.
_____________________. Comunismo e a Família. Barcelona: Editorial Marxista, 1937. [1920]. Disponível em: https://www.marxists.org/portugues/kollontai/1920/mes/com_fam.htm
RAMABAI, Pandita. The High Caste Hindu Woman. Philadelphia, 1888. Disponível em: https://archive.org/details/highcastehinduwo025195mbp
SPIVAK, Gayatri. Pode o Subalterno Falar? Belo Horizonte: Editora UFMG, 2010.
WOLSTONECRAFT, Mary. Reivindicação dos Direitos da Mulher. São Paulo: Boitempo, 2015

Data

09/01/2018 a 13/01/2018

Dias e Horários

Terça a Sábado, 10h às 13h

As inscrições podem ser feitas a partir de 19 de dezembro às 14h, aqui no site do Centro de Pesquisa e Formação ou nas Unidades do Sesc em São Paulo.

Local

Rua Dr. Plínio Barreto, 285 - 4º andar
Bela Vista - São Paulo.

Valores

R$ 18,00 - credencial plena: trabalhador do comércio de bens, serviços e turismo matriculado no Sesc e dependentes
R$ 30,00 - pessoa com mais de 60 anos, pessoa com deficiência, estudante e professor da rede pública com comprovante
R$ 60,00 - inteira