Atividades

o direito de existir das populações negras e indígenas

Perspectivas
Quando Zumbi chegar: entre experiências quilombolas e movimentos sociais de hoje

Voltar para o início Quando Zumbi chegar: entre experiências quilombolas e movimentos sociais de hoje

Programa

Condições especiais de atendimento, como tradução em libras, devem ser informadas por email ou telefone, com até 48 horas de antecedência do início da atividade.
centrodepesquisaeformacao@sescsp.org.br / 11 3254-5600


O ciclo de diálogos tem foco nas relações históricas dos quilombos com a cidade e o direito de existir das populações negras e indígenas: seja nas cidades, seja nos quilombos. A programação faz parte do lançamento da web série "Quando Zumbi Chegar", realizado na Serra da Barriga e no Quilombo do Muquem (AL), que suscita as questões abordadas:

18/04. Quando Zumbi Chegar: o mito, a história e a consciência política na formação racial brasileira
Quem foi Zumbi? Este encontro tem como objetivo refletir sobre como a criação de heróis e mitos contribuem às lutas dos movimentos negros e a construção de identidade da população negra na sociedade brasileira.

Com Pai Célio Rute Costa. Mediação: Salloma Salomão.
 
25/04. De Dandara à Beatriz Nascimento: o pensamento feminista na formação dos quilombos
A história oficial apagou dos livros a presença das mulheres na formação e na liderança de Palmares. Este encontro tem como foco explicitar como os quilombos refletem uma organização feminista e matriarcal.

Com Joice Berth e Lourdinha Silva. Mediação: Djamila Ribeiro.
 
02/05. Quilombagem: as relações da demarcação de terra com a gentrificação nas cidades
Este diálogo proporá uma reflexão sobre as relações do processo de demarcação de terra quilombolas e indígenas, a luta por terra e a preservação do direito à moradia e à existência.

Com Jerá Poty Miri e Carmem Silva: Mediação: Alex Ratts.
 
*A cada encontro será exibido um episódio da série com apresentação de Maitê Freitas.

As inscrições pela internet podem ser realizadas até um dia antes do início da atividade. Após esse período, caso ainda haja vagas, é possível se inscrever pessoalmente em todas as unidades. Após o início da atividade não é possível realizar inscrição.

(Foto: Guma)

Palestrantes

Djamila Ribeiro

Djamila Ribeiro


Mestre em Filosofia Política pela UNIFESP. Ex-Secretária Adjunta da Secretaria Municipal de Direitos Humanos e Cidadania de São Paulo.

(Foto: Acervo pessoal)

Salloma Salomão Jovino da Silva

Salloma Salomão Jovino da Silva

Doutor em História pela PUC SP com estágio no Instituto de Ciências Sociais da Universidade de Lisboa. Músico e educador, com ênfase na temática negra e afro-diaspórica.  
(Foto: Acervo Pessoal)

Alex Ratts

Alex Ratts

Mestre em Geografia e doutor em Antropologia Social pela USP. Coordenador do Laboratório de Estudos de Gênero, Étnico-Raciais e Espacialidades do Instituto de Estudos Sócio-Ambientais da UFG.
(Foto: Acervo Pessoal)

Carmen Silva

Carmen Silva

Uma das fundadoras e a principal liderança do Movimento Sem Teto do Centro (MSTC), na cidade de São Paulo, Brasil. Com um amplo histórico de luta por moradia e ao lado de outros relevantes movimentos sociais brasileiros.
(Foto: Acervo Pessoal)

Célio Rodrigues dos Santos (Pai Célio)

Célio Rodrigues dos Santos (Pai Célio)

Historiador e babalorixá criador do Núcleo de Cultura Afro brasileira Iyá Ogum Té. Um dos responsáveis pela celebração religiosa no Parque da Serra Barriga, durante o dia da Consciência Negra.
(Foto: Acervo Pessoal)

Jera Poty Miri

Jera Poty Miri

Professora e liderança do povo Guarani Mbya, da aldeia indígena Tenonde Porã. Formada em pedagogia pela USP e desde 2012 realiza atividades dentro e fora da aldeia pelo direito legitimo da demarcação da terra indígena.
(Foto: Renata Martins/Emponderadas)

Joice Berth

Joice Berth

Arquiteta e urbanista, feminista, escritora, colunista de portais como Justificando e Língua de Trapo, pesquisadora sobre questões raciais e feminismo negro e co-organizadora da Virada Feminista pela descriminalização do aborto.
(Foto: Acervo Pessoal)

Maitê Freitas

Maitê Freitas

Mestranda em Estudos Culturais (EACH - USP). Jornalista. Idealizadora e realizadora do projeto multimídia Samba Sampa e da web-série Quando Zumbi Chegar. Colabora como produtora executiva do projeto Empoderadas.
(Foto: Opá Negra)

Maria de Lourdes Silva

Maria de Lourdes Silva

Uma das mulheres, lideranças do Quilombo Conceição das Crioulas, no sertão de Pernambuco. O quilombo tem um artesanato de mulheres Educadora e artesã, especialista em Psicopedagogia. 
(Foto: Acervo Pessoal)

Rute Costa

Rute Costa

Doutoranda do programa de pós-graduação em educação em ciência e saúde e membro do Núcleo de Estudos Afrobrasileiros da UFRJ. Atua junto à comunidade quilombola Machadinha, Quissamã no Rio de Janeiro.
(Foto: Acervo Pessoal)

Data

18/04/2017 a 02/05/2017

Dias e Horários

Terças, 14h às 18h
*Dia 2/5: 15h às 18h

As inscrições podem ser feitas a partir de 23 de março às 14h, aqui no site do Centro de Pesquisa e Formação ou nas Unidades do Sesc em São Paulo.

Local

Rua Dr. Plínio Barreto, 285 - 4º andar
Bela Vista - São Paulo.

Valores

R$ 18,00 - credencial plena: trabalhador do comércio de bens, serviços e turismo matriculado no Sesc e dependentes
R$ 30,00 - pessoa com mais de 60 anos, pessoa com deficiência, estudante e professor da rede pública com comprovante
R$ 60,00 - inteira