Atividades

Livro se debruça sobre a política de ações afirmativas em relação com o multiculturalismo emancipatório

Autografias
Repensar o multiculturalismo e o Desenvolvimento da População negra (1995-2009)

Voltar para o início Repensar o multiculturalismo e o Desenvolvimento da População negra (1995-2009)

Programa


Condições especiais de atendimento, como tradução em libras, devem ser informadas por email ou telefone, com até 48 horas de antecedência do início da atividade.
centrodepesquisaeformacao@sescsp.org.br / 11 3254-5600


A presente obra emergiu das inquietações do autor em encontrar um meio para se equacionar teórica e politicamente as questões presentes no debate daquela época sobre a integração da população negra mediante a política de ações afirmativas e cotas.

Articula-se em torno de dois grandes blocos.
O primeiro convida ao diálogo com as epistemologias afro-africanas do sul global subalterno, revelando a feitura da bioepistemologia; as aproximações e dissensos no que se tinha produzido até então no campo dos estudos do desenvolvimento, do multiculturalismo e das relações raciais, sugerindo um novo conceito, denominado de desenvolvimento econômico multicultural, apontando a necessidade de se superar os reducionismos e simplificações na investigação das realidades negras.
O segundo bloco mostra o quanto desenvolvimento econômico multicultural não é somente um recurso teórico, mas igualmente metodológico que integra no seu procedimento a avaliação da quinta geração.

Para refletir sobre as possibilidades das relações existentes entre a questão do multiculturalismo e o desenvolvimento das populações negras, foram avaliados, com base na pesquisa documental, quatro programas: Projeto Cor da Cultura; Políticas de ações afirmativas nas instituições de ensino superior; UNIPALMARES; e Programa de capacitação de afrodescendentes do banco Itaú.

As descobertas contidas no livro continuam de grande atualidade, no tempo atual de crise política e institucional, uma vez que nos possibilitam compreender que o que está em jogo, no Brasil, é a disputa do projeto nação que opõe, de um lado, os/as adeptos/as do paradigma da democracia racial e, do outro lado, os/as defensores/as do paradigma da igualdade racial.

Nesse último paradigma é que se situa o multiculturalismo emancipatório e o desenvolvimento econômico multicultural contra-hegemônico que as forças progressistas, de modo particular, os movimentos sociais negros desde sempre defendem.

As inscrições pela internet podem ser realizadas até um dia antes do início da atividade. Após esse período, caso ainda haja vagas, é possível se inscrever pessoalmente em todas as unidades. Após o início da atividade não é possível realizar inscrição.



(Foto: Divulgação)

Palestrantes

Bas´Ilele Malomalo

Bas´Ilele Malomalo

Doutor em Sociologia, Docente na UNILAB. Líder do Grupo de pesquisa África-Brasil: Produção de conhecimento, Sociedade civil, Desenvolvimento e Cidadania Global; pesquisador do Centro dos Estudos das Culturas e Línguas Africanas e da Diáspora Negra (CLADIN-Unesp), da Rede para o Constitucionalismo Democrático Latino-Americano/Brasil, do Harriet Tubman Institute for Research on the Global Migrations of African Peoples (York University, Toronto), Member of United Nations - Harmony with Nature e integrante e fundador do Instituto da Diáspora Africana no Brasil (IDDAB).

Bibliografia

MALOMALO, Bas´Ilele. Repensar o multiculturalismo e o desenvolvimento no Brasil: políticas públicas de ações afirmativas para a população negra (1995-2009): volume 1 & 2. Porto Alegre, RS: Editora Fi, 2017.

Data

09/09/2017 a 09/09/2017

Dias e Horários

Sábado, das 15h00 às 17h00

As inscrições podem ser feitas a partir de 25 de agosto às 14h, aqui no site do Centro de Pesquisa e Formação ou nas Unidades do Sesc em São Paulo.

Local

Rua Dr. Plínio Barreto, 285 - 4º andar
Bela Vista - São Paulo.

Valores

Grátis