Atividades

Residências artísticas em ocupação habitacional

Em Debate: Cidade, Moradia e Políticas Urbanas
Ressignificação da cidade: Arte e ocupação no Hotel Cambridge

Voltar para o início Ressignificação da cidade: Arte e ocupação no Hotel Cambridge

Programa

A palestra reflete sobre como os profissionais de arte contemporânea se engajam com noções de desobediência epistêmica e com a produção de conhecimento para propor uma ressignificação da cidade a partir do caso da residência artística realizada na ocupação habitacional hotel Cambridge.

Nesse contexto a palestra aborda uma perspectiva sobre a construção do espaço urbano como produção social engendrada a partir de forças contraditórias e desiguais para pensar sobre os sentidos das artes visuais socialmente engajada.

Se por um lado, cada vez mais a arte contemporânea propõe refletir sobre a configuração e a reconfiguração do espaço urbano a partir de práticas particulares que se relacionam a contexto específicos; Por outro, os contextos em que essas práticas ocorrem significam que os artistas que trabalham nesse paradigma encontram e respondem a uma noção de "participação" diferente dos modelos baseados no ‘cubo branco' articulada por pesquisadores como Claire Bishop e Nicolas Bourriaud. Justamente, é fundamental pensar como o que caracteriza e forma esses processos é sua localização.

Esses artistas e suas práticas se situam na fronteira porosa entre os espaços de arte contemporânea institucionais e não institucionais e, muitas vezes, se inserem através de sua produção em lutas complexas como aquelas que reivindicam o direito à moradia.

As inscrições pela internet podem ser realizadas até um dia antes do início da atividade. Após esse período, caso ainda haja vagas, é possível se inscrever pessoalmente em todas as unidades. Após o início da atividade não é possível realizar inscrição.

Se você necessita de recursos de acessibilidade, como tradução em Libras, audiodescrição, entre outros, solicite por e-mail ou telefone, com até 48 horas de antecedência do início da atividade. centrodepesquisaeformacao@sescsp.org.br / 11 3254-5600

(Foto: Alex Flynn)

Palestrantes

Alex Ungprateeb Flynn

Alex Ungprateeb Flynn

Professor no Departamento de Antropologia na Universidade de Durham, Reino Unido. Sua pesquisa se dirige ao campo da arte contemporânea, com ênfase em estética e política. Em 2016 integrou a equipe curatorial da Residência Artística Cambridge para qual ganhou o troféu da APCA.
(Foto: Acervo Pessoal)

Bibliografia

AGIER, M. (2015). Do direito à cidade ao fazer-cidade: O antropólogo, a margem e o centro. Mana 21(3): 483-498;
BEAUREGARD, R. (2018). Cities in the Urban Age: A Dissent. Chicago: University of Chicago Press;
BISHOP, C. (2012), Artificial Hells: Participatory Art and the Politics of Spectatorship, London and New York: Verso;
BOURRIAUD, N. (2002). Relational Aesthetics, trans. S. Pleasance and F. Woods with the participation of M. Copeland, Dijon: Les presses du réel;
BOUTRS, A. and Straw, W. (2010). Circulation and the City: Essays on Urban Culture. Montreal: McGill-Queen's University Press.;
CALDEIRA, T. (2000), City of Walls: Crime, Segregation, and Citizenship in São Paulo, Berkeley, Los Angeles, London: University of California Press;
COSTA, P. Guerra, P. and P. Soares. (2017). Urban intervention, street art and public space. Lisboa: UrbanCreativity;
GARCIA CANCLINI, N. (2014), Art beyond itself: Anthropology for a Society without a Story Line, Durham and London: Duke University Press.;
HARVEY, David (2008). The right to the city. New Left Review(53): 23-40.;
JACOBS, J. (1961). The death and life of great American cities. New York: Vintage.
LEFEBVRE, H. (1996). The right to the city'. In Kofman, Eleonore; Lebas, Elizabeth, Writings on cities, Cambridge: Wiley-Blackwell. p. 147-159;
MAECKELBERGH, M. (2009), The Will of the Many: How the Alterglobalisation Movement is Changing the Face of Democracy, London: Pluto Press.;
MIGNOLO, W. (2009), Epistemic Disobedience, Independent Thought and De-Colonial Freedom', Theory, Culture & Society, 26 (7-8): 1-23.;
PARDUE, D. (2008). Ideologies of Marginality in Brazilian Hip Hop. New York: Palgrave Macmillan;
PETERSON, M. (2010). A Center for a Centrifugal City. In Sound, Space, and the City: Civic Performance in Downtown Los Angeles Philadelphia: University of Pennsylvania Press. pp. 16-45.;
RANCIÈRE, J. (2013).
The Politics of Aesthetics. London: Bloomsbury.;
ROLNIK, R. (2015). Guerra dos lugares: A Colonização de Terra e Moradia na Era de Finanças;

Data

04/10/2018 a 04/10/2018

Dias e Horários

Quinta, 10h às 12h.

As inscrições podem ser feitas a partir de 26 de Setembro, às 14h, aqui no site do Centro de Pesquisa e Formação ou nas Unidades do Sesc em São Paulo.

Local

Rua Dr. Plínio Barreto, 285 - 4º andar
Bela Vista - São Paulo.

Valores

R$ 4,50 - credencial plena: trabalhador do comércio de bens, serviços e turismo matriculado no Sesc e dependentes
R$ 7,50 - pessoa com mais de 60 anos, pessoa com deficiência, estudante e professor da rede pública com comprovante
R$ 15,00 - inteira

Inscreva-se agora