Atividades

Conceitos, teorias, políticas e práticas na relação entre o urbano e gênero.

Conferências e Seminários
Seminário Cidade, Gênero, Interseccionalidades

Voltar para o início Seminário Cidade, Gênero, Interseccionalidades

Programa

Embora o planejamento urbano no Brasil tenha avançado no debate acerca do direito à cidade e procurado construir processos democráticos de governança urbana, até agora, não conseguiu adotar práticas e políticas para o território considerando as diferenças e desigualdades estruturais, para além das classes sociais.

O seminário pretende colocar em debate e fazer a reflexão crítica acerca dos conceitos relativos à gênero como categoria de análise do território e para o planejamento urbano, considerando interseccionalidade ou a sobreposição de identidades sociais e sistemas relacionados de opressão, dominação ou discriminação – especialmente os marcadores sociais da diferença associados à esta abordagem como classe, raça, nacionalidade, sexualidade.

Discutirá abordagens teóricas do planejamento urbano e gênero internacionais e nacionais, versus abordagens totalizantes e universais, desenvolvendo análise crítica e explorando teorias contra hegemônicas recentes.

O espaço também tem como objetivo elaborar e refletir sobre os desafios da leitura do território e da prática do planejamento urbano, desde a concepção, gestão e implementação de políticas urbanas, considerando as diferenças de gênero e sociais.

28/1, 14h30 às 17h30. Introdução, conceitos, mulheres.
Discussão de alguns conceitos e assuntos essenciais para a compreensão do ciclo de debates, entre eles: “gênero”; “marcadores sociais da diferença”; interseccionalidades, patriarcado; teorias do cuidado; relação entre casa e trabalho feminino, entre outros.
Debatedoras: Ângela Figueiredo, Glaucia Marcondes e Luana Pinheiro.
Mediadora: Marina Harkot.

29/1, 14h30 às 17h30. Um pouco de história
Apresentação de abordagens históricas sobre mulher e a cidade, da designação aos espaços privados e a relação com a domesticidade à vivência e interação com o espaço público.
Debatedoras: Joana Mello e Sabrina Fontenele.
Mediadora: Paula Freire Santoro.

30/1, 14h30 às 17h30. Leituras e políticas do urbano com recorte de gênero, parte I
Primeira sessão sobre as mulheres e o urbano. Debate em torno das desigualdades que se explicitam na violência de gênero sofrida nos espaços públicos da cidade e na sua vivência diferente por mulheres. Desigualdades de gênero e sua expressão na mobilidade cotidiana.
Debatedoras: Paula Soto Villagrán e Marina Harkot.
Mediadora: Letícia Lindenberg Lemos.

31/1, 14h30 às 17h30. Leituras e políticas do urbano com recorte de gênero, parte II
Segunda sessão sobre as mulheres e o urbano. Debate em torno das desigualdades que se explicitam na violência de gênero sofrida nos espaços públicos da cidade e na sua vivência diferente por mulheres. Desigualdades de gênero e sua expressão na habitação e no planejamento urbano.
Debatedoras: Rossana Tavares e Paula Freire Santoro.
Mediadora: Diana Helene.

1/2, 14h30 às 17h30. Movimentos de mulheres, resistências
Diferentes movimentos de mulheres envolvidos nas disputas urbanas – quais as suas pautas, formas de organização, táticas de atuação, barreiras enfrentadas e as principais conquistas? Como os movimentos de mulheres atuam em pautas que não se referem exclusivamente à temática de gênero?
Debatedoras: Eva Blay, Claudia Rosane Garcez e Gabriela Leandro Pereira.
Mediadora: Paula Santoro.

Concepção do seminário: Profa. Dra. Paula Freire Santoro e Marina Kohler Harkot.
Seminário realizado em parceria com o LabCidade, da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo (FAU-USP).

As inscrições pela internet podem ser realizadas até um dia antes do início da atividade. Após esse período, caso ainda haja vagas, é possível se inscrever pessoalmente em todas as unidades. Após o início da atividade não é possível realizar inscrição.

Se você necessita de recursos de acessibilidade, como tradução em Libras, audiodescrição, entre outros, solicite por e-mail ou telefone, com até 48 horas de antecedência do início da atividade. centrodepesquisaeformacao@sescsp.org.br / 11 3254-5600

(Foto: Luenne Albuquerque)

Palestrantes

Ângela Figueiredo

Ângela Figueiredo

Professora adjunta no centro de Artes, Humanidades e Letras da UFRB e em programas de pós-graduação na UFBA. Estuda em temas relacionados à classe média, gênero, raça e classe e feminismo negro. Coordenadora do Coletivo Angela Davis, um grupo de pesquisa ativista nas áreas de gênero, raça e subalternidade.
(Foto: Acervo Pessoal)

Claudia Rosane Garcez

Claudia Rosane Garcez

Líder na luta por moradia do MTST, da Ocupação Teresa de Benguela, está envolvida com o debate de gênero, saúde, violência contra a mulher, dentro do movimento.
(Foto: Acervo Pessoal)

Diana Helene

Diana Helene

Professora de estudos urbanos e de habitação social no curso de Arquitetura e Urbanismo da UNIGRANRIO. Trabalha com estudos de gênero desde 2010 quando iniciou seu doutorado, que ganhou o prêmio Capes em planejamento urbano em 2016. Criou em 2013, o blog FeminismUrbana, sobre gênero e cidade.
(Foto: Acervo Pessoal)

Eva Blay

Eva Blay

Professora Emérita do departamento de Sociologia da USP. Foi Senadora da República entre dezembro de 1992 e janeiro de 1995. Coordena o programa USP Mulheres/ONU. Publicou livros e artigos sobre questões urbanas, habitação operária, participação política da mulher, violência contra a mulher, feminismo e masculinidades e imigração judaica.
(Foto: Acervo Pessoal)

Gabriela Leandro Pereira

Gabriela Leandro Pereira

Mestra e doutora em arquitetura e urbanismo, professora do curso de Arquitetura e Urbanismo da Universidade Federal da Bahia, e do Programa de Pós-graduação em Arquitetura e Urbanismo da mesma instituição. Seus trabalhos e pesquisas atuais tem focado em construir aproximações e abordagens que articulam o campo da arquitetura, urbanismo e planejamento urbano do debate étnico-racial e interseccional, a partir do tensionamento sobre as narrativas, histórias, memórias, políticas e epistemologias produzidas sobre a cidade e seus apagamentos.
(Foto: Acervo Pessoal)

Glaucia Marcondes

Glaucia Marcondes

Demógrafa, Pesquisadora do Núcleo de Estudos de População Elza Berquó (NEPO) e Docente da Pós-Graduação em Demografia do IFCH/Unicamp. Membro da Diretoria da Associação Brasileira de Estudos Populacionais (ABEP). Desenvolve pesquisas com temas sobre Famílias, Gênero e Geração e Saúde Reprodutiva.
(Foto: Acervo Pessoal)

Joana Mello

Joana Mello

Docente do Departamento de História da Arquitetura e Estética do Projeto da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo (FAUUSP).
(Foto: Michel Riaudel)

Letícia Lindenberg Lemos

Letícia Lindenberg Lemos

Mestra e doutoranda em Planejamento Urbano e Regional na FAUUSP. Coordenou diversos planos e projetos urbanos e pesquisa mobilidade ativa, regulação urbanística, políticas urbanas que influem sobre a mobilidade ativa e desenho urbano, e incidência da sociedade civil em políticas de mobilidade urbana.
(Foto: Acervo Pessoal)

Luana Pinheiro

Luana Pinheiro

Doutora em sociologia, atua na Coordenação de Estudos e Pesquisas de Igualdade de Gênero, Raça e Gerações do Ipea, onde é técnica de planejamento e pesquisa desde 2004. Trabalhou na Secretaria de Política para as Mulheres da Presidência da República de 2007 a 2011.
(Foto: Acervo Pessoal)

Marina Harkot

Marina Harkot

Mestra em Arquitetura e Urbanismo pela Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da USP e pesquisadora do LabCidade FAUUSP onde pesquisa mobilidade urbana, gênero e temas correlatos. Atua como consultora em planejamento urbano no desenvolvimento de planos diretores e planos setoriais.
(Foto: Acervo Pessoal)

Paula Freire Santoro

Paula Freire Santoro

Arquiteta urbanista, professora da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da USP, coordena o projeto observaSP junto ao LabCidade, possui Auxílio à Pesquisa FAPESP. Trabalhou no Ministério Público do Estado de São Paulo, no Instituto Pólis e no Instituto Socioambiental – ISA.
(Foto: Acervo Pessoal)

Paula Soto Villagrán

Paula Soto Villagrán

Professora titular do Departamento de Sociologia da UAM-Iztapalapa, onde participa da área de pesquisa Espaço e Sociedade. Seus principais temas de trabalho são a relação entre a cidade, mobilidade e gênero, hábitat urbano, segurança cidadã e gênero, métodos qualitativos para o estudo do espaço urbano.
(Foto: Acervo Pessoal)

Rossana Tavares

Rossana Tavares

Professora da Escola de Arquitetura e Urbanismo da Universidade Federal Fluminense EAU/UFF e da UNIGRANRIO. Tem experiência nos temas de política urbana, urbanismo, habitação, saneamento ambiental e gênero. Atuou 8 anos na ONG FASE RJ, acumulando prática em educação e participação popular.
(Foto: Acervo Pessoal)

Sabrina Fontenele

Sabrina Fontenele

Mestre e doutora pela FAU-USP; arquiteta e urbanista pela UFC. Pesquisadora de pós-doutorado do IFCH-Unicamp com apoio da Fapesp. Autora do livro Edifícios modernos e o traçado urbano no Centro de São Paulo (1938/1960).
(Foto: Acervo Pessoal)

Bibliografia

BORIS, Eileen. Produção e reprodução, casa e trabalho. In: Dossiê – Trabalho e Gênero: controvérsias. Tempo Social – Revista de Sociologia da USP, v. 26, n. 1, 2014, p. 101-121. Disponível em <http://www.periodicos.usp.br/ts/issue/view/6498>, acessso 10 mai. 2018.


CARVALHO, Vânia Carvalho Carneiro de. Gênero e artefato: o sistema doméstico na perspec-tiva da cultura material. São Paulo, 1870-1920. São Paulo: Edusp, 2008.


FAINSTEIN, Susan S.; SERVON, Lisa J. Gender and planning: a reader. USA: Rutgers The State University of New Jersey, 2005. p. 67-85.


FARAH, Marta Ferreira Santos. Gênero e políticas públicas. Estudos feministas, v. 12, n. 1, p. 47, 2004.


FEDERICI, Silvia. Feminismo e as políticas do comum em uma era de acumulação primitiva. In: MORENO, Renata. Feminismo, economia e política: debates para a construção da igualdade e autonomia das mulheres. São Paulo: Sempreviva organização feminista, 2014, pp. 145-158.


GONZAGA, Terezinha de Oliveira. A cidade e a Arquitetura também mulher: conceituando a metodologia de planejamento urbano e dos projetos arquitetônicos do ponto de vista de gênero. Tese de doutorado, FAUUSP, julho de 2004.


MOUTINHO, Laura. Diferenças e desigualdades negociadas: raça, sexualidade e gênero em produções acadêmicas recentes. Cadernos Pagu, vol. 42, 2014, pp. 201-248.


NICHOLSON, L. Interpretando o gênero. Estudos Feministas. Vol. 8, No. 2 (2000), pp. 9-41. Publicado originamente em The Play or Reason: From the Modern to the Postmodern. Cornell University Press, 1999, p. 53-76.


OLIVEIRA, M. C.; VIEIRA, J. M.; MARCONDES, G. dos S. Cinquenta anos de relações de gêneo e geração no Brasil: mudanças e permanências. ARRETCHE, M. (org.) Trajetórias das desigualdades: como o Brasil mudou nos últimos cinquenta anos. São Paulo: Editora Unesp/CEM, 2015, pp. 309-334.


RAGO, Margareth. A mulher brasileira nos espaços público e privado. Editora Fundação Perseu Abramo, 2004.


SANTORO, Paula Freire. Gênero e planejamento territorial: uma aproximação. XVI Encontro Nacional de Estudo Populacionais, Caxambu, MG, 2008.


SCOTT, Joan. Gender: A Useful Category of Historical Analysis. The American Historical Review, V. 91, No. 5 (Dec., 1986), p. 1053-1075. Oxford University Press on behalf of the American Historical Association. Disponível em: <http://www.jstor.org/stable/1864376>. Acesso em: 25 fev. 2018.


VILLAGRÁN, Paula Soto. Patriarcado y ordem urbano. Nuevas y viejas formas de dominación de gênero em la ciudad. In: Revista Venezoelana de Estudios de la Mujer, v. 19, n. 42. Caracas: Universidad Central de Venezuela, 2014.

Data

28/01/2019 a 01/02/2019

Dias e Horários

Segunda a Sexta, 14h30 às 17h30.

As inscrições podem ser feitas a partir de 19 de Dezembro, às 14h, aqui no site do Centro de Pesquisa e Formação ou nas Unidades do Sesc em São Paulo.

Local

Rua Dr. Plínio Barreto, 285 - 4º andar
Bela Vista - São Paulo.

Valores

R$ 15,00 - credencial plena: trabalhador do comércio de bens, serviços e turismo matriculado no Sesc e dependentes
R$ 25,00 - pessoa com mais de 60 anos, pessoa com deficiência, estudante e professor da rede pública com comprovante
R$ 50,00 - inteira