Atividades

Trajetórias pessoais e tensões profissionais na produção do espaço urbano

Perspectivas
Violências, mídias e juventude

Voltar para o início Violências, mídias e juventude

Programa

Condições especiais de atendimento, como tradução em libras, devem ser informadas por email ou telefone, com até 48 horas de antecedência do início da atividade.
centrodepesquisaeformacao@sescsp.org.br / 11 3254-5600

Composto por seis encontros, o curso realizado em parceria com o Núcleo de Estudos da Violência da USP (NEV-USP) aborda como a intolerância e a delinquência afetam a socialização e percepção dos jovens; os jovens como notícia e como produtores de notícia; a violência em contextos específicos como escolas e bares; o desrespeito ao direito da criança e do adolescente, o crescimento e a queda dos homicídios dolosos em São Paulo; e as formas de prevenção ao cometimento desses crimes.

08/05-Prevenção da violência entre jovens
Desde a década de 1990, a violência juvenil é considerada um importante problema social e de saúde pública. Abordagens abrangentes da violência juvenil consideram as interconexões entre as características individuais, o ambiente escolar e as relações familiares, seguindo uma perspectiva ecológica e multinível. De acordo com essa abordagem, os comportamentos dos jovens são influenciados por múltiplos contextos sociais que interagem simultaneamente uns com os outros. O objetivo, nesta palestra, é apresentar e discutir o modelo da Saúde Pública para prevenção da violência entre Jovens, destacando modelos de experiências promissoras.
Com Maria Fernanda Tourinho Peres.

10/05-Jovens na mídia, mídias da juventude e cidadania
Como os jovens são retratados nas mídias? Como se apropriam delas? A partir de casos práticos recentes, como as ocupações das escolas públicas, mobilizações políticas, como os protestos de junho de 2013 e outros e manifestações culturais como os bailes funk, buscaremos caracterizar os discursos sobre jovens e seus direitos individuais, políticos e culturais e como impactam o imaginário social sobre os jovens. Em outro eixo, discutiremos a apropriação de mídias pela juventude, como redes sociais, midiativismo e novos canais de expressão cultural, refletindo sobre suas potencialidades e controvérsias, como liberdade de expressão e seus reflexos na percepção de cidadania dos jovens.
Com Vitor Blotta.

15/05-Adolescentes em conflito com a lei: mecanismos de seletividade na justiça juvenil
Como o sistema de justiça juvenil cria os adolescentes em conflito com a lei? O universo de adolescentes que efetivamente cometeram atos infracionais é desconhecido. Mas uma parcela desse universo de jovens, somada à outra parcela de jovens que na realidade não cometeram infração alguma, é capturada pelo sistema de justiça juvenil e rotulada como em conflito com a lei. Parte desses adolescentes será internada por até três anos em unidades de atendimento socioeducativo. Quais os mecanismos pelos quais se toma a decisão por internar ou não um jovem em conflito com a lei? Quais os mecanismos judiciais que fazem com que adolescentes de determinadas características sociais frequentem mais assiduamente as unidades de atendimento socioeducativo?
Com Thiago Rodrigues Oliveira.

17/05-Brigas de bar
A violência é banalizada no país. Como na canção, quantas vezes se leu só nesta semana essa história contada assim por cima? Nos últimos anos, nos meios de comunicação ou em conversas corriqueiras, tem-se difundido a impressão de que há cada vez mais mortes causadas por toda sorte de ninharias. E para reduzir o homicídio “por impulso”, por razões “banais”, foram elaboradas tanto campanhas de conscientização quanto políticas para regulação dos horários de funcionamento de bares. Mas, pouco há de banal nesses conflitos interpessoais.
Com Renan Theodoro de Oliveira. 

22/05-Violência na Escola
A escola transformou-se nas últimas décadas, bem como seu papel na vida de crianças e jovens, fenômeno esse que se conecta a alterações mais profundas nas sociedades contemporâneas. No âmbito de todas essas mudanças, é possível destacar a centralidade que a violência e suas diferentes manifestações têm adquirido como preocupação, inclusive no ambiente escolar. Pretende-se, dessa forma, propor uma discussão sobre as diferentes formas de relação entre violência e escola, assim como sua prevenção.
Com Caren Ruotti.

24/05-Homicídio de jovens, a nacionalização do crime e o caso de São Paulo
A apresentação vai mostrar o quadro nacional e paulistano da violência contra jovens e discutir a aparente contradição entre a melhora dos indicadores sociais e o crescimento dos homicídios, abordando questões como o mercado de drogas e as políticas públicas de segurança.
Com Bruno Paes Manso e Marcelo Batista Nery.

As inscrições pela internet podem ser realizadas até um dia antes do início da atividade. Após esse período, caso ainda haja vagas, é possível se inscrever pessoalmente em todas as unidades. Após o início da atividade não é possível realizar inscrição.

(Foto: Titi Jota)

Palestrantes

Vitor Blotta

Vitor Blotta

Professor doutor do Departamento de Jornalismo e Editoração da ECA-USP. Pesquisador Associado do NEV-USP e atual Presidente da Associação Nacional de Direitos Humanos - Pesquisa e Pós-Graduação (ANDHEP).
(Foto: Acervo Pessoal)

Bruno Paes Manso

Bruno Paes Manso

Doutor em Ciência Política pela USP. Realiza pesquisa de Pós-Doutorado no NEV-USP. É pesquisador-pleno do grupo de pesquisa Jornalismo, Direito e Liberdade, ligado à ECA-USP e ao Instituto de Estudos Avançados da USP.
(Foto: Filipe Araujo)

Marcelo Batista Nery

Marcelo Batista Nery

Doutor em Sociologia pela USP. Realizou doutorado sanduíche em City and Regional Planning na University of California, Berkeley. Atualmente realiza pesquisas no NEV-USP.
(Foto: Acervo Pessoal)

Maria Fernanda Tourinho Peres

Maria Fernanda Tourinho Peres

Professora doutora do Departamento de Medicina Preventiva da Faculdade de Medicina da USP, coordenadora do Centro Colaborador da Organização Mundial de Saúde sobre Pesquisa em Violência e Prevenção da Violência do NEV-USP.

Thiago Rodrigues Oliveira

Thiago Rodrigues Oliveira

Sociólogo e pesquisador do NEV-USP. Possui mestrado em Sociologia pela USP. Foi pesquisador visitante no International Institute for the Sociology of Law (IISL), em Oñati (Espanha), em 2015.
(Foto: Acervo Pessoal)

Renan Theodoro de Oliveira

Renan Theodoro de Oliveira

Sociólogo e pesquisador do NEV-USP. Mestre em Sociologia pela USP, desenvolve pesquisas abordando conflitos interpessoais, violências, legitimidade e socialização legal.
(Foto: Isadora Araga?o)

Caren Ruotti

Caren Ruotti

Doutora e mestre pelo Programa de Pós-Graduação do Departamento de Sociologia da USP. Pesquisadora do NEV-USP. Tem experiência na área de Sociologia, com ênfase nas temáticas de violência e direitos humanos. 
(Foto: Acervo Pessoal)

Data

08/05/2017 a 24/05/2017

Dias e Horários

Segundas e Quartas, 19h30 às 21h30

As inscrições podem ser feitas a partir de 25 de abril às 14h, aqui no site do Centro de Pesquisa e Formação ou nas Unidades do Sesc em São Paulo.

Local

Rua Dr. Plínio Barreto, 285 - 4º andar
Bela Vista - São Paulo.

Valores

R$ 18,00 - credencial plena: trabalhador do comércio de bens, serviços e turismo matriculado no Sesc e dependentes
R$ 30,00 - pessoa com mais de 60 anos, pessoa com deficiência, estudante e professor da rede pública com comprovante
R$ 60,00 - inteira